Reflexões sobre a relação entre a sátira juvenaliana e a declamatio

Autores

  • Rafael do Carmo doutorando em Letras Clássicas pela UFES

Palavras-chave:

Juvenal, sátira latina, declamatio

Resumo

O trabalho aborda a relação entre a sátira juvenaliana e o fenômeno da declamatio. O estudo observa tais relações a partir da distinção feita por Ribbeck (1859), que propôs serem os poemas juvenalianos divididos em dois grupos distintos: os efetivamente escritos pelo satirista e aqueles que seriam obra de um declamador, tendo sido atribuídos ao poeta. Partindo-se da teoria ribbeckiana, objetiva-se explicitar como a declamatio parece ser fenômeno de amplas implicações em todo o corpus poético de Juvenal, analisando-se, para tanto, especificamente a Sátira 1, a fim de reconhecer ali o tratamento satírico de elementos pertencentes à declamatio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDERSON, WILLIAM. Anger in Juvenal and Sêneca. In: ______. Essays on Roman Satire. Princeton: Princeton University, 1982 [1964], p. 293-361.

______. Juvenal and Quintilian. In: ______. Essays on Roman Satire. Princeton: Princeton University, 1982 [1961], p. 396-486.

BELLANDI, Franco. Etica diatribica e protesta sociale nelle satire di Giovenale. Bologna: Pàtron, 1980.

BONNER, S.F. Roman declamation in the Late Republic and Early Empire. Liverpool: Liverpool University, 1949.

BRAUND, Susanna Morton. Declamation and contestation in Satire. In: PLAZA, Maria (Org.). Juvenal and Persius. New York: Oxford University, 2009, p. 450-468.

CAIRNS, Francis. Generic composition in Greek and Roman Poetry. Rev. ed. Ann Arbor: Michigan Classical, 2007 [1972].

CITRONI, Mario. Musa pedestre. In: CAVALLO, Guglielmo; FEDELI, Paulo;

GIARDINA, Andrea. O espaço literário da Roma antiga. Volume I: a produção do texto literário. Trad. Daniel Peluci Carrara & Fernanda Messeder Moura. Belo Horizonte: Tessitura, 2010 [1989]. p. 329-360.

HIGHET, Gilbert. Juvenal, the satirist: a study. Oxford: Clarendon, 1954.

KEANE, Catherine. Satiric memories: autobiography and the construction of Genre. The Classical Journal. V. 97, n. 3, 2002, p. 215-231. Disponível em: http://www.jstor.org/stable/3298094. Acesso em: 17 mai. 2013.

KNOCHE, Ulrich. Juvenal’s cannons of social criticism. In: PLAZA, Maria (Org.). Juvenal and Persius. New York: Oxford University, 2009, p. 257-276

PERSIUS ET IVVENALIS. Satvrae. Edidit brevique adnotatione critica denvo instrvxit W.V. Clausen. New York: Oxford University, 1992 [1959].

ROMANO, Alba C. Irony in Juvenal. Hildesheim; New York: Georg Olms Verlag, 1979.

SENECA THE ELDER. Declamations. Translated by Michael Winterbottom. Cambridge, MA; London: Harvard University, ano. 2v.

Downloads

Publicado

2015-08-18

Como Citar

DO CARMO, R. Reflexões sobre a relação entre a sátira juvenaliana e a declamatio. Rónai – Revista de Estudos Clássicos e Tradutórios, [S. l.], v. 1, n. 2, p. 61–78, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/ronai/article/view/23074. Acesso em: 24 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.