Normatividade e descritividade em referenciais teóricos na área de ensino de Física

Autores

  • Olavo Leopoldino da Silva Filho Universidade de Brasília, Instituto de Física, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física, Brasília, Distrito Federal, Brasil https://orcid.org/0000-0001-8078-3065
  • Marcello Ferreira Universidade de Brasília, Instituto de Física, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física, Brasília, Distrito Federal, Brasil https://orcid.org/0000-0003-4945-3169
  • Antony Marco Mota Polito Universidade de Brasília, Instituto de Física, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física, Brasília, Distrito Federal, Brasil https://orcid.org/0000-0002-1271-8648
  • André Luís Miranda de Barcellos Coelho Secretaria de Educação do Distrito Federal, Brasília, Distrito Federal, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.34019/2237-9444.2021.v11.32564

Palavras-chave:

Teorias de aprendizagem, Teorias da educação, Práticas de ensino, Produtos educacionais

Resumo

Na literatura brasileira relacionada com aplicações didáticas em ciências, frequentemente se verifica que os fundamentos teóricos alegadamente empregados são escolhidos exclusivamente dentre teorias psicológicas de aprendizagem, sem, contudo, que elas sejam utilizadas com a devida propriedade. É possível que esse fenômeno seja uma consequência de um fato evidente: teorias psicológicas estão muito distantes da prática de sala de aula, pois elas foram desenvolvidas para cumprir uma função descritiva e não normativa. Neste trabalho, revisamos esse problema, defendendo a tese de que teorias psicológicas de aprendizagem jamais devem ser utilizadas fora do contexto de alguma teoria da educação, de modo que os fundamentos normativos sejam providos e a conexão com o contexto prático seja alcançada. Como exemplo, construímos uma relação entre a teoria de aprendizagem de David Ausubel e a teoria de educação de Matthew Lipman, mostrando como sua mútua articulação permite alcançar um referencial teórico mais eficiente. Analisamos, por fim, a importância da dimensão psicométrica como concretizadora do nexo entre uma teoria educacional e a(s) teoria(s) psicológica(s) de fundo.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Olavo Leopoldino da Silva Filho, Universidade de Brasília, Instituto de Física, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física, Brasília, Distrito Federal, Brasil

Graduado Física, Matemática, Ciência da Computação e Filosofia (UnB). Mestre em Física e Filosofia (UnB). Doutor em Física (UnB). Professor Associado do Instituto de Física da Universidade de Brasília (UnB) e do respectivo Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física. Coordenador da Licenciatura em Física EaD e do Curso de Especialização no Ensino de Ciências (Ciência é 10) da UnB. Currículo

Lattes: http://lattes.cnpq.br/2385734808526524.

Marcello Ferreira, Universidade de Brasília, Instituto de Física, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física, Brasília, Distrito Federal, Brasil

Graduado Física (UnB). Mestre em Ensino de Física (UnB). Doutor em Educação em Ciências (UFRGS). Pós-Doutor em Educação em Ciências (UFSCar). Professor Adjunto do Instituto de Física da Universidade de Brasília (UnB) e do respectivo Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física. Pró-Reitor do Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física (MNPEF) junto à Sociedade Brasileira de Física (SBF).

Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/3108824986425884.

Antony Marco Mota Polito, Universidade de Brasília, Instituto de Física, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física, Brasília, Distrito Federal, Brasil

Graduado Física (UnB). Mestre em Física (UnB). Doutor em Física (UnB). Professor Adjunto do Instituto de Física da Universidade de Brasília (UnB) e do respectivo Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física. Texto de até oito linhas.

Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/9758462703332629.

André Luís Miranda de Barcellos Coelho, Secretaria de Educação do Distrito Federal, Brasília, Distrito Federal, Brasil

Graduado em Física (UnB). Mestre em Ensino de Física (UnB). Doutorando em Educação em Ciências (UnB). Professor de Física e Ciências da Natureza na Secretaria de Estado de Educação e na rede privada de ensino do Distrito Federal.

Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/9449068100958520.

Referências

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de Filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

AUSUBEL, David Paul. The acquisition and retention of knowledge: a cognitive view. Netherlands: Springer Science+Business Media Dordrecht, 2000.

CEBRASPE. Matriz de referência do PAS-UnB. Brasília: UnB, 2019.

DUTRA, Luiz Henrique de Araújo. Introdução à teoria da ciência. Florianópolis: Editora da UFSC, 2017.

EYSENCK, Michael W.; KEANE, Mark. T. Cognitive Psychology: A Student’s Handbook. Hove, UK: Psychology Press, 2000.

GAZZANIGA, Michael. S.; HEATHERTON, Todd. F.; HALPERN, David J. Psychological Science: mind, brain and behavior. New York: Norton & Company, 2015.

GODFREY-SMITH, Peter. Theory and reality: an introduction to the Philosophy of Science. Chicago: University of Chicago Press, 2003.

LAWTON, Joseph. T.; SAUNDERS, Ruth. A.; MUHS, Paul. Theories of Piaget, Bruner, and Ausubel: Explications and Implications. The Journal of Genetic Psychology, v. 136, p. 121-136, 1980.

LEFRANÇOIS, Guy. R. Teorias da aprendizagem. São Paulo: Cengage Learning, 2009.

LIPMAN, Matthew. O pensar na educação. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1995.

LIPMAN, Matthew.; SHARP, Ann. M; OSCANYAN, Frederick. S. A Filosofia na sala de aula. 3. ed. São Paulo: Nova Alexandria, 2001.

MOREIRA, Marco Antonio. Aprendizagem significativa. Brasília: Editora da UnB, 1999.

MOREIRA, Marco Antonio. Unidades de enseñanza potencialmente significativas. Aprendizagem Significativa em Revista, v. 1, n. 2, p. 43-63, 2011.

MOREIRA, Marco Antonio. Unidades de Ensino Potencialmente Significativas–UEPS. Temas de ensino e formação de professores de ciências. Natal: EDUFRN, 2012.

MOREIRA, Marco Antonio. Teorias de aprendizagem. São Paulo: E.P.U, 2017a.

MOREIRA, Marco Antonio. Grandes desafios para o ensino da física na educação contemporânea. Revista do Professor de Física, v. 1, n. 1, p. 01-13, 2017b.

MOREIRA, Marco Antonio; MASINI, Elcie Aparecida Fortes Salzano. Aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Moraes, 2016.

NOVAK, Joseph Donald; GOWIN D. Bob. Learnig how to learn. Cambridge: Cambridge University Press, 1984.

PASQUALI, Luiz. Psicometria: teoria dos testes na psicologia e na educação. Petrópolis: Vozes, 2013.

PASQUALI, Luiz; PRIMI, Ricardo. Fundamentos da teoria da resposta ao item: TRI. Aval. psicol. [online]. 2003, v. 2, n. 2, p. 99-110.

POLITO, Antony M. M.; DE BARCELLOS COELHO, André Luís Miranda. Referenciais teóricos na pesquisa em ensino de Física e o caso da teoria ausubeliana. In: ENCONTRO DE PESQUISA EM ENSINO DE FÍSICA, 17. Anais [...]. Campos do Jordão: Sociedade Brasileira de Física, 2018.

RODRIGUES JR., José Florêncio. A taxonomia de objetivos educacionais. Brasília: EdUnB,2016.

SCHURTZ, ‪Gerhard. Philosophy of Science: a unified approach. New York: Routledge, 2013. ‬‬‬‬‬‬‬‬‬

SILVA FILHO, Olavo Leopoldino; FERREIRA, Marcello. Teorias da aprendizagem e da educação como referenciais em práticas de ensino: Ausubel e Lipman. Revista do Professor de Física. v. 2, n. 2, p. 104-125, 2018.

Downloads

Publicado

2021-03-30 — Atualizado em 2021-07-27

Versões

Como Citar

Silva Filho, O. L. da, Ferreira, M., Polito, A. M. M., & Coelho, A. L. M. de B. (2021). Normatividade e descritividade em referenciais teóricos na área de ensino de Física. Revista Pesquisa E Debate Em Educação, 11(1), 1–33, e32564. https://doi.org/10.34019/2237-9444.2021.v11.32564 (Original work published 30º de março de 2021)

Edição

Seção

Pesquisa aplicada

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)