Análise de tecnologias educacionais em um curso de licenciaturas interdisciplinares e integradas

Autores

  • Marcello Ferreira Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • André Luís Silva da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Palavras-chave:

Alfabetização científica, Formação docente, Licenciatura interdisciplinar, Pedagogia da pesquisa, Resolução de problemas, Tecnologias educacionais

Resumo

Este artigo apresenta um estudo sobre a relação de três tecnologias educacionais (TE), a Alfabetização Científica (AC), a Resolução de Problemas (RP) e a Pedagogia da Pesquisa (PP) – respectivamente como concepção, metodologia e autonomia na formação de um professor de Ciências – em relação à proposta pedagógica do Curso de Licenciatura em Ciências Exatas (CLCE) da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), que oferece formação em quatro licenciaturas (Ciências, Física, Matemática e Química) interdisciplinares e integradas. Para tanto, utilizou-se a análise de conteúdo, que propicia o estudo das correlações entre os elementos textuais e as intenções do emissor, visando à interpretação textual. Verificaram-se eixos centrais que demonstram uma aproximação da proposta do CLCE às TE da AC, RP e PP, bem como a influência dessas perspectivas na formação do professor de Ciências encaminhada no curso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANASTASIOU, L.; ALVES, L. P. Processos de Ensinagem na Universidade: Pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 8. ed. Joinville: UNIVILLE, 2009.
ANTUNES, C. Professores e Professauros. Petrópolis-RJ: Editora Vozes, 2012.
BARDIN, L. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.
BARROS, A. J. P.; LEHFELD, N. A. S. Projeto de Pesquisa: propostas metodológicas. 21. ed. Petrópolis-RJ: Editora Vozes, 2012.
BERG, B. L. Qualitative research methods for the social sciences. 3. ed. Boston-MA: Allyn & Bacon, 1998.
BRASIL. Secretaria da Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ciências Naturais. Brasília: MEC/SEF, 1997.
CACHAPUZ, A.; GIL-PEREZ, D.; CARVALHO, A. M. P.; PRAIA, J.; VILCHES, A. (org.). A necessária renovação do ensino de ciências. São Paulo: Cortez, 2005.
CANDAU, V. M. F. Tecnologia Educacional: concepções e desafios. Cadernos de Pesquisa da Fundação Carlos Chagas, São Paulo, n. 28, p. 61-66, mar. 1979.
CANDIOTTO, Cesar; BASTOS, Cleverson Leite. Fundamentos da Pesquisa Científica: Teoria e Prática. Petrópolis-RJ: Editora Vozes, 2011.
CARVALHO, A. M. P.; VANNUCCHI, A. I.; BARROS, M. A. ; GONÇALVES, M. E. R.; REY, R. C. Ciências no Ensino Fundamental - O Conhecimento Físico. São Paulo: Editora Scipione, 1998.
CHASSOT, A. Alfabetização científica: questões e desafios para a educação. Ijuí: Editora Unijuí, 2000.
CHASSOT, A. Alfabetização científica: uma possibilidade para a inclusão social. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 22, p. 89-100, jan./abr. 2003.
COSTA, F.; COSTA, B. Projeto de Pesquisa: entenda e faça. Petrópolis-RJ: Editora Vozes, 2012.
DEMO, P. Conhecer e Aprender: sabedoria dos limites e desafios. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.
FAZENDA, I. C. A. Integração e Interdisciplinaridade no Ensino Brasileiro: Efetividade ou Ideologia? São Paulo: Loyola, 1979.
FERREIRA, M.; LOGUERCIO, R. Q. Análise de conteúdo como estratégia de pesquisa interpretativa em ensino de ciências. Revista de Educação, Linguagem e Literatura, Inhumas-GO, v. 6, n.2, p. 33-49, out. 2014.
FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 33. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2006.
FURIÓ, C.; VILVHES, A.; GUISASOLA, J.; ROMO, V. Finalidades de la enseñanza de las ciencias en la secundaria obligatoria. ¿Alfabetización científica o propedéutica? Enseñanza de las ciencias, Barcelona, v. 19, n. 3, p. 365-376, 2001.
GALIAZZI, M. C.; GONÇALVES, F. P. A natureza pedagógica da experimentação: uma pesquisa na Licenciatura em Química. Química Nova, São Paulo, v.27, n.2, p.326-331, 2004.
GARCIA, J. J. G.; CANUL, J. F. C. ¿Para qué enseñar ciencias en la actualidad? Una propuesta que articula la tecnología, la sociedad y el medio ambiente. Revista Educación y Pedagogía, Medellín, v. XX, n. 50, p. 111-122, ene./abr. 2008.
GARDNER, H. Inteligência. Um conceito reformulado. Rio de Janeiro: Objetiva, 2000.
GIL-PÉREZ, D.; GONZÁLEZ, E. Las praticas de laboratorio en fisica en La formación del profesorado: un analisis critico. Revista de Enseñanza de La Fisica, Córdoba, v.6, n.1, p. 47-61, 1993.
GIL-PÉREZ, D.; VILCHES, A. Educación ciudadana y alfabetización científica: mitos y realidades. Revista Iberoamericana de Educación, Madrid, n. 42, p. 31-53, sep./dic. 2006.
GONSALVES, E. P. Conversas sobre iniciação à pesquisa científica. 4. ed. Campinas: Alínea, 2005.
HAZEN, R. M.; TREFIL, J. Saber ciência. São Paulo: Cultura Editores Associados, 1995.
HURD, P. D. Scientific Literacy: New Minds for a Changing World. Science Education, Malden-MA, v. 82, n. 3, p. 407-416, jun. 1998.
KUHLMANN JÚNIOR, M. As grandes festas didáticas: a educação brasileira e as exposições internacionais (1862-1922). Bragança Paulista-SP: Editora da Universidade São Francisco, 2001.
LEAL, M. C.; SOUZA, G. G. Mito, ciência e tecnologia no ensino de ciências: o tempo da escola e do museu. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências, 1, 1997, Águas de Lindóia-SP. Atas... Águas de Lindóia-SP, 1997. p. 328-337.
LUCKESI, C. C. Independência e inovação em Tecnologia Educacional: ação- -reflexão. Tecnologia Educacional, Rio de Janeiro, v.15, n. 71/72, p.55-64, jul./out. 1986.
LOPES, B. J. Resolução de problemas em física e química: modelo para estratégias de ensino-aprendizagem. Lisboa: LDA, 1994.
MACEDO, L. Ensaios Pedagógicos: como construir uma escola para todos? Porto Alegre: ARTMED, 2005.
MALDANER, O. A. A formação inicial e continuada de professores de química. Ijuí: Editora Unijuí, 2000.
MAZZI, A. P. R. Tecnologia Educacional: pressupostos de uma abordagem crítica. Tecnologia Educacional, Rio de Janeiro, v.10, n. 39, p. 25-29, mar./abr. 1981.
MEIRIEU, P. Aprender... sim, mas como? 7. ed. Trad. Vanise Dresch. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.
MILLAR, R.; OSBORNE, J. Beyond 2000: Science Education for the Future.London: King’s College, 1998.
MILLER, J. D. Scientific Literacy: a conceptual and empirical review. Daedalus, Cambridge-MA, v. 112, n. 2, p. 29-48, 1983.
NEUMAN, W. L. Social research methods. 2. ed. Boston-MA: Allyn & Bacon, 1994.
NUNES, D. R. P. Teoria, pesquisa e prática em Educação: a formação do professor- pesquisador. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 34, n. 1, jan./abr. 2008.
PELLA, M. O.; O'HEARN, G. T.; GALE, C. W. Referents to scientific literacy. Journal of Research in Science Teaching, NARST, v. 4, n. 3, p. 199-208, sep. 1966.
PERRENOUD, P. Dez Novas Competências para Ensinar. Porto Alegre: ARTMED, 2000.
PIMENTA, S. G.; GHEDIN, E. (org.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2005.
POZO, J. I. (org.). A Solução de Problemas: Aprender a resolver, resolver para aprender. Porto Alegre: Artmed, 1998.
SASSERON, L. H.; CARVALHO, A. M. P. Alfabetização científica: uma revisão bibliográfica. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 16, n. 1, p. 59-71, 2011.
SILVA, T. T. Documentos de Identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.
SILVERMAN, D. Interpreting qualitative data: methods for analyzing talk, text and interaction. Thousand Oaks-CA: Sage, 1993.
SOARES, M. B. Um olhar sobre o livro didático. Presença Pedagógica, Belo Horizonte, v. 2, n. 12, p. 53-62, nov. – dez. 1996.
TAJRA, S. F. Informática na Educação: novas ferramentas para o professor da atualidade. 2. ed. São Paulo: Érica, 2000.
THIOLLENT, M. Metodologia da Pesquisa Ação. São Paulo: Cortez, 2011.
UNIPAMPA. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Ciências Exatas.Caçapava do Sul: Unipampa, 2014.

Downloads

Como Citar

Ferreira, M. ., & Silva, A. L. S. da . (2020). Análise de tecnologias educacionais em um curso de licenciaturas interdisciplinares e integradas. Pesquisa E Debate Em Educação, 5(1), 83–105. Recuperado de https://periodicos.ufjf.br/index.php/RPDE/article/view/31966

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)