Parcerias entre Centros de Pesquisa e Gestão Pública de Turismo

  • Marcela Costa Bifano Oliveira Universidade Federal de Juiz de Fora
Palavras-chave: Centros de Pesquisa, Estado, Política Pública, Turismo

Resumo

O objetivo deste trabalho, de cunho teórico, é identificar quais são as relações possíveis entre Estado e centros de pesquisa para a promoção e/ou execução de políticas públicas em turismo no Brasil. Logo, buscou-se analisar a lógica de relacionamento entre as políticas públicas feitas pelo Estado e os centros de pesquisa, partindo do princípio de que esses atores são contribuintes para o desenvolvimento científico do turismo. O turismo, como uma atividade de grande potencial na melhoria de vida da sociedade e do desenvolvimento do país, necessita de políticas públicas substantivas. E as parcerias entre Estado e centros de pesquisa poderiam facilitar ou resolver questões relativas a essas políticas. O que se observa é que o Estado, como promotor de políticas públicas, não utiliza, ou utiliza de forma mínima, os centros de pesquisa – no contexto brasileiro, essencialmente atrelados às universidades – como parceiras na ajuda às descobertas de melhores soluções e alternativas para a execução de suas políticas. Metodologicamente, o estudo foi feito a partir de uma abordagem teórica. A partir do cruzamento analítico de teorias e categorias conceituais relativas ao Estado, políticas públicas e centros de pesquisa, a partir das quais se criou um modelo teórico sobre relações entre organizações do setor público, envolvidas com o desenvolvimento. Pode-se concluir que ao centrarem-se na especialização funcional, por papéis e atividades fins específicas, e não desenvolverem articulações /relações horizontais perde-se uma visão holística, do todo, capaz de nortear não apenas o aspecto formal como também o conteúdo das políticas em si, e uma análise crítica de sua existência. Além disso, a própria questão da eficiência fica subotimizada uma vez que o cálculo marginal do uso de articulações horizontais potencializaria o próprio alcance dos aspectos funcionais das políticas em si.

Biografia do Autor

Marcela Costa Bifano Oliveira, Universidade Federal de Juiz de Fora
Turismo

Referências

ALTHUSSER, L. Ideologia e Aparelhos Ideológicos do Estado. Lisboa: Presença, 1970. 22p.

BRASIL. Plano Nacional do Turismo. Disponível em: Acesso em: 22 nov. 2012.

CHAVES, M. P. A institucionalização das políticas públicas de turismo em âmbito municipal no Brasil. Universidade Federal de Lavras / UFLA, Lavras (MG), 2011.

CHRISTIAN, L. Pesquisa em turismo nos Estados Unidos. Working Paper. Instituto do Transporte, Universidade da Manitoba, EUA, s/d.

COMEELATTO, D.; COLLISELLI, L.; KLEBA, M. E.; MATIELLO, A.; RENK, E. C. Gestão de políticas públicas e intersetorialidade: diálogos e construções essências para os conselhos municipais. Revista Katál, Florianópolis, v.10, n.2, p.265-271, 2007.

DYE, T. Understanding Public Policy. Englewood Cliffs, N.J.: Prentice-Hall. 1984.

FRATUCCI, C. A dimensão espacial das políticas públicas de turismo no Brasil. In: PIMENTEL, Thiago Duarte (Org.); EMMENDOERFER, Magnus Luiz (Org.); TOMAZZONNI, Edegar Luis (Org.). Gestão Pública do Turismo no Brasil: teorias, metodologias e aplicações. 1. ed. Caxias do Sul (RS): Editora da Universidade de Caxias do Sul / EDUCS, 2014. v. 1. p. 30-48.

FREY, K. Desenvolvimento sustentável local na sociedade em rede: o potencial das novas tecnologias de informação e comunicação. Revista Sociologia Política, Curitiba, n.21, p.165-185, 2003.

GALDINO, L. C. F.; COSTA, M. L. Análise das principais políticas públicas de turismo no Brasil, da década de 1990 à atualidade. Observatório de Inovação do Turismo - Revista Acadêmica.Vol. VI, nº4, Rio de Janeiro, SET. 2011.

IPIRANGA, A. S. R.; ALMEIDA, P. C. H. O Tipo de Pesquisa e a Cooperação Universidade, Empresa e Governo: Uma Análise na Rede Nordeste de Biotecnologia.Salvador. Organização & Sociedade, v. 19, n.60, p. 17-34, 2012.

JUNQUEIRA, L. A. P.; INOSOJA, R. M.; KOMATSU. S. Desentralização e intersetorialidade na gestão pública municipal do Brasil: a experiência de Fortaleza. Caracas, 1997.

KNUPP, M. E. C. G. Análise de políticas públicas de turismo: uma abordagem metodológica baseada em redes sociais. In: PIMENTEL, T. D.; EMMENDOERFER, M. L. TOMAZZONI, E. L. GESTÃO PÚBLICA DO TURISMO NO BRASIL: teorias, metodologias e aplicações. Caxias do Sul: EDUCS, 2014. p. 285-316.

LASWELL, H.D. Politics: Who Gets What, When, How. Cleveland, Meridian Books. 1936/1958.

MARQUES, E.C. Redes sociais e instituições na construção do Estado e da sua permeabilidade. Revista Brasileira de Ciências Sociais. V.14, n.41, p.45-67, 1999.

OBSERVATÓRIO DE TURISMO DO PARANÁ. Disponível em: Acesso em: 09 ago. 2013.

OLIVEIRA, R. A. Descentralização: Um paralelo entre os circuitos turísticos de Minas Gerais e o modelo francês de regionalização do turismo. In: PIMENTEL, T. D.; EMMENDOERFER, M. L. TOMAZZONI, E. L. Gestão Pública Do Turismo No Brasil: teorias, metodologias e aplicações. Caxias do Sul: EDUCS, 2014. p.125-150.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO TURISMO. Disponível em: Acesso em: 5 ago. 2013.

PIMENTEL T. D. (2103) Orientações metodológicas para o trabalho final, Gestão de destinos Turísticos. Curso de Turismo, UFJF (cópia fornecida pelo autor).

PIMENTEL, M. P. C. A Dimensão Institucional das Políticas Públicas de Turismo no Brasil. pp.15-38. In: PIMENTEL, T. D.; EMMENDOERFER, M. L.; TOMAZZONI, E. L. Gestão Pública do Turismo no Brasil: teorias, metodologias e aplicações. Caxias do Sul (RS): EDUCS, 2014. 528p.

PIMENTEL, T. D. Projeto de Pesquisa-Extensão: por uma estratégia de intervenção social a partir dos estudos clínicos da Sociologia da Ação Organizacional. Administração Pública e Gestão Social, v. 4, n. 1, p. 100-124, 2012.

PLANO NACIONAL DO TURISMO, 2013

RUHANEN, L.; COOPER, C. Aplicando uma Estrutura de Gestão do Conhecimento para a pesquisa de Turismo. Austrália: School of Tourism and Leisure Management, The University of Queensland. 2011.

SERAFIM, M. P.; DAGNINO, R. P. A Política Científica e Tecnológica e as Demandas da Inclusão Social no Governo Lula (2003-2006). Salvador, Organização & Sociedade, v.18, p. 423-447, 2011.

SOUZA, C. Políticas Públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, Porto Alegre, ano 8, nº 16, jul/dez 2006, p. 20-45.
Publicado
2014-10-31
Seção
PESQUISA EMPÍRICA / EMPIRICAL RESEARCH / INVESTIGACIÓN EMPÍRICA