Relacionamento entre Organizações e Competitividade Turística: um estudo sobre o Conselho Nacional de Turismo

  • Daniel Pires Vieira Universidade de Brasília - UnB
  • Valmir Emil Hoffmann Universidade de Brasília
Palavras-chave: Competitividade, Modelos de Competitividade, Competitividade Sistêmica.

Resumo

O estudo da competitividade de destinos turísticos envolve não só as organizações relacionadas diretamente ao processo produtivo, mas o conjunto de relacionamentos capazes de fomentar sinergias e promover a competitividade e o desenvolvimento, tanto para empresas, quanto para a região ou país em que o destino se insere. O objetivo do presente trabalho é avaliar o relacionamento entre as organizações que compõem o Conselho Nacional de Turismo – CNT – em termos de sua contribuição conjunta para a competitividade dos destinos turísticos brasileiros. Para tanto, buscou-se a veri cação dos indicadores propostos pelo modelo de Dwyer e Kim (2003), mais especi camente em sua dimensão Gestão do Destino, nas variáveis Organização da Administração e Políticas, Planejamento e Desenvolvimento. Foi utilizada análise documental das atas das reuniões do Conselho entre os anos de 2003 e 2010. As conclusões apontam que a atuação do CNT tem potencial para contribuir de forma positiva para a competitividade do turismo nacional, no entanto essa contribuição vem diminuindo ao longo dos anos.

Referências

ANDRÉ, M. Políticas Locales de Dinamización
Turística y Grandes Atractivos Culturales: El Caso
de Figures. In: Sentias, Josep F. Casos de Turismo
cultural: de la plani cación estratégica a la gestión
del producto. Barcelona: Ariel, 2004.
BARNEY, J.B. Firm Resources and Sustained
Competitive Advantage. Journal of Management, v.
17, p. 99-120, 1991.
BONET, L. La estrategia de Turismo de Barcelona,
un consorcio público-privado de éxito. In: Sentias,
Josep F. Casos de Turismo cultural: de la plani cación
estratégica a la gestión del producto. Barcelona: Ariel,
2004.
BRASIL, Presidência da República. Decreto
Presidencial n° 6.705, de 19 de dezembro de 2008.
60
Diário O cial da União. Poder Executivo. Brasília,
2008.
BUHALIS, D. Marketing the competitive
destination of the future. Tourism Management, n°
21, p. 97 – 116, 2000.
CASTRILLÓN, I.D.; CANTO, A.G.;
CANTORNA, A.S.; CERRADELO, L.B. Análisis
de los Principales Modelos Explicativos de la
Competitividad de los Destinos Turísticos en el
Marco de la Sostentabilidad. Revista Cultura e
Turismo, ano 05, nº 02, 2011.
CASTRO, M.; BULGACOV, S.; HOFFMANN,
V.E. Relacionamentos Interorganizacionais e
Resultados: Estudo em uma Rede de Cooperação
Horizontal da Região Central do Paraná. Revista de
Administração Contemporânea - RAC, Curitiba, v.
15, n° 1, 2011.
CAVALCANTI, P. A. B. Um Olhar Crítico
sobre o Conselho Nacional de Turismo. São Paulo.
Dissertação (Mestrado em Administração Pública)
Fundação Getúlio Vargas, 2006.
COSTA, H.A.; HOFFMANN, V.E.
Competitividade de destinações turísticas:
elementos e indicadores aplicados no estudo da
administração turística de Balneário Camboriú –
SC – Brasil. Turismo em Análise, v.17, n. 2, p. 113-
134, 2006.
COYNEY, K.P. Sustainable competitive advantage:
What It Is, What it Isn´t. Business Horizons, 1986.
CROUCH, G. I.; RITCHIE, J. R. B. Tourism,
Competitiveness, and Societal Prosperity. Journal of
Business Research, vol. 44, n. 3, p. 137–152, 1999.
Dwyer, l.; Kim, C.. Destination Competitiveness:
Determinants and Indicators. Current Issues in
Tourism, v.6, n.5, 2003.
ESSER, K.; HILLEBRAND, W.; MESSNER, D.;
MYER-STAMER, J. Competitividad Sistémica:
Nuevo Desafío a las Empresas y a la Política. Revista
de la Cepal, n. 59, p. 39-52, 1996.
FRANCO, M. J. B. Tipologia de Processos
de Cooperação Empresarial: uma Investigação
Empírica sobre o Caso Português. Revista de
Administração Contemporânea, Vol. 11, Número
03, 2007.
FURRER, O.; THOMAS, H.; GOUSSEVSKAIA,
A. e structure and evolution of the strategic
management eld: a content analysis of 26 years
of strategic management research. International
Journal of Management Reviews, v. 10. n. 1, p. 1-23,
2008.
GRANT, R. M. e Resource-Based eory of
Competitive Advantage: Implications for Strategy
Formulation. California Management Review,
p.114-135, 1991.
GONZÁLEZ, M. B.; RUIZ, D. F. La
Competitividad Internacional de los Destinos
Turísticos: del enfoque Macroeconómico al enfoque
Estratégico. Cuadernos de Turismo, n° 17, p. 7-24,
Universidad de Murcia, 2006.
HASSAN, S. S. Determinants of Market
Competitiveness in an Environmentally Sustainable
Tourism Industry. Journal of Travel Research, Vol.
38, p. 239-245, 2000.
HOFFMAN, N. P. An examination of the
“Sustainable competitive advantage” concept: past,
present, and future. Academy of Marketing Science
Review, n. 4, p. 1-16, 2000.
HOFFMANN, V. E.; COSTA, H. A.; BATAGLIA,
W. Systemic Competitiveness in Tourism. In:
EURAM - European Academy of Management,
Roma, Anais do EURAM, 2010.
MAZARO, R. M. La Sustentable Levedad del
Visitar: modelo de evaluación de competitividad
y sostenibilidad estratégica de destinos turísticos.
Turismo - Visão e Ação - vol. 9 - n.3, p. 325-339,
2007.
MEYER-STAMER, J. Estratégias de
Desenvolvimento Local e Regional: Cluster, Política
de Localização e Competitividade Sistêmica.
Friedrich Ebert Stiftung, Policy Paper, n. 28, 2001.
MIKI, A.F.C.; GÂNDARA, J.M.G.; MEDINA61
MUÑOZ, D.R. O Estado Atual das Pesquisas
Sobre Competitividade Turística no Brasil. VIII
Seminário da Associação Nacional Pesquisa e Pós-
Graduação em Turismo, Balneário Camboriú – SC,
Anais VIII ANPTUR, 2011.
MINISTÉRIO DO TURISMO. Atas da 1ª à 32ª
Reunião do Conselho Nacional de Turismo. Brasília.
(disponível em www.turismo.gov.br, acesso em 28
de novembro de 2011).
______. Portaria n° 55, de 22 de abril de 2009.
Diário O cial da União. Poder Executivo. Brasília,
2009.
______. Plano Nacional de Turismo 2003 - 2007.
Brasília: 2003.
PORTER, M. Estratégia Competitiva. São Paulo:
Campus, Capítulos 1 e 20, 1986.
RITCHIE, J. R. B.; CROUCH, G. I. A Model
of Destination Competitiveness/ Sustainability:
Brazilian perspectives. Revista de Administração
Pública – RAP, Rio de Janeiro, 44(5), pp. 1049-66,
2010.
RIVERO, M. S.; CALDERA, M. A. F. La
Competitividad de los Destinos Turísticos: un
Análisis Cuantitativo Mediante Modelos Logísticos.
Aplicación a los Municípios Extremeños. I Jornadas
de Economía del Turismo. Palma de Mallorca, p.
1-21, 2004.
TRIMARCHI, M. Distritos culturales y desarrollo
económico del territorio: la experiencia de los
museos de Siena. In: Sentias, Josep F. Casos de
Turismo cultural: de la plani cación estratégica a la
gestión del producto. Barcelona: Ariel, 2004.
VASCONCELOS, F. C.; CYRINO, A. B.
Vantagem Competitiva: os modelos teóricos
atuais e a convergência entre estratégia e teoria
organizacional. Revista de Administração de Empresas
– RAE, n. 4, 2000.
WILDE, S. J.; COX, C. Linking destination
competitiveness and destination development:
ndings from a mature Australian tourism
destination. Proceedings of the Travel and Tourism
Research Association (TTRA) European Chapter
Conference, Helsinki, p. 467-478, 2008.
YIN, R. K. Estudo de Caso: Planejamento e Métodos.
Porto Alegre, Bookman, 2010.
Publicado
2013-08-12
Seção
RESULTADOS DE PESQUISA EMPÍRICA / EMPIRICAL RESEARCH RESULTS / RESULTADOS DE INVESTIGACIÓN EMPÍRICA