Culturas indígenas roraimenses

algumas abordagens no 3º ano do ensino fundamental

Palavras-chave: Roraima, Culturas indígenas, Ensino Fundamental

Resumo

Este artigo apresenta culturas indígenas roraimenses a partir de abordagens realizadas no Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Roraima - CAp/UFRR. Os sujeitos da pesquisa são 25 alunos do 3º ano do ensino fundamental. O colégio está localizado em Boa Vista, capital do estado. O objetivo central do estudo foi ampliar os conhecimentos discentes em relação às riquezas culturais dos povos indígenas roraimenses, por isso, parte de uma realidade concreta, assumindo natureza aplicada. A pesquisa é caracterizada como explicativa com abordagem qualitativa. Entre os instrumentos de coleta de dados estão: questionário, relatórios descritivos e atividades escritas. Nos resultados, verificou-se que abordar culturas indígenas, a partir da sequência didática elaborada, favoreceu a ampliação de conhecimentos discentes referentes às importantes contribuições indígenas para a formação da cultura brasileira, na qual as crianças perceberam que muitos de seus conhecimentos são originalmente de matriz indígena.

Biografia do Autor

Soraya de Araújo Feitosa, Universidade Federal de Roraima/Colégio de Aplicação

Professora do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Roraima- CAp/UFRR, Mestre em Ensino de Ciências pela Universidade Estadual de Roraima-UERR, Graduada em Matemática e Pedagogia.

Laura Juliana Neris Machado Barros, CAp/UFRR

Professora do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Roraima- CAp/UFRR, Mestranda em Educação pela Universidade Estadual de Roraima - UERR, Graduada em Pedagogia e Letras.

Sâmella Kalyne Araújo Feitoza, Universidade Estadual de Roraima - UERR

Mestranda em Educação pela Universidade Estadual de Roraima- UERR, Graduada História pela UFRR.

Referências

BRASIL. Lei n° 11.465/08 de 10 de março de 2008. Estabelece a obrigatoriedade do estudo da temática "História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena". Diário Oficial da União, Seção 1, 11 de março de 2008, página 1. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11645.htm. Acesso em: 01 abr. 2019.

BRASIL. Lei N° 6.001, de 19 De dezembro de 1973: Estatuto do Índio. Diário Oficial da República federativa do Brasil, Seção 1. Disponível em: http://www.planalto.gov.br. Acesso em: 01 abr. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF, 2018.

COSTA, Carlos Odilon. Autonomia em Paulo Freire e a educação indígena. 2005. Disponível em: https://pt.scribd.com/document/221900790/Autonomia-Em-Paulo-Freire-e-a-Educacao-Indigena. Acesso em: 03 ago. 2019.

EUSEBI, Luigi. A barriga morreu! O genocídio dos yanomami. São Paulo: Edições Loyola, 1991.

G1 RORAIMA. Roraima. Proporcionalmente Roraima tem maior população indígena do país. Disponível em: http://g1.globo.com/rr/roraima/noticia/2013/04/proporcionalmente-roraima-tem-maior-populacao-indigena-do-pais.html. Acesso em: 05 abr. 2019.

ISA. Waiwai. Povos indígenas no Brasil. Disponível em: https://pib.socioambiental.org/pt/Povo:Waiwai. Acesso em: 17 nov. 2019.

OLIVEIRA, João Pacheco de; FREIRE, Carlos Augusto da Rocha. A presença indígena na formação do Brasil. Brasília: Ministério da Educação: LACED/Museu Nacional, 2006.

RIBEIRO, Berta Gleizer: Amazônia urgente: cinco séculos de história e ecologia. Belo Horizonte: Itatiaia, 1990.

SAMPIERI, Roberto Hernández; COLLADO, Carlos Fernández; LUCIO, Pilar Baptista. Metodologia de pesquisa. 3.ed. São Paulo: McGraw-Hill, 2012.

SILVA, Rosa Helena Dias da; BONIN, Iara Tatiana. Pedagogia e escola indígena, escola e pedagogia indígena. 2001. Disponível em: http://www.abmp.org.br/textos/61.htm. Acesso em: 03 ago. 2019.

VIEIRA, Jaci Guilherme. Missionários fazendeiros e índios em Roraima: a disputa pela terra: 1777 a 1980. Boa Vista: UFRR, 2007.

Publicado
2019-12-21