Agenda Governamental e Trajetória Institucional do Turismo no Brasil

  • Fabíola Cristina Costa de Costa de Carvalho Universidad Autónoma de Sinaloa / México. Universidade Federal de Juiz de Fora / Brasil.
Palavras-chave: Turismo, Políticas Públicas, Decisões Políticas.

Resumo

Um conjunto de questões condiciona a formação das agendas públicas. Em um contexto geral, as políticas de turismo são influenciadas por valores culturais e ideológicos, pela conjuntura sociopolítica e econômica e por estruturas institucionais, que refletem as tendências e inquietações debatidas no período de sua elaboração. Sopesando tal argumento o objetivo desse artigo é analisar o percurso da agenda do turismo no Brasil a partir de três aspectos fundamentais: as questões que desencadearam o processo de elaboração das políticas públicas para o setor ao longo do tempo; os atores que participaram do desenho das políticas e os fatores que interferiram nessa dinâmica. É um estudo teórico baseado em pesquisa bibliográfica e documental. Especificamente, investiga-se a conjuntura que propiciou a incorporação da temática do turismo nas discussões do governo, assim como os elementos relevantes e os instrumentos que mobilizaram a configuração das políticas para esse campo. A relevância do estudo reside na contribuição para a agenda de pesquisa sobre a administração pública do setor e a trajetória da agenda pública do turismo no Brasil, evidenciado algumas características marcantes que modelaram esse processo e suas implicações no momento presente. Como considerações aponta-se que apesar dos avanços alcançados, as falhas quanto à duplicidade de planejamento e a comunicação ineficiente entre os gestores e os policy makers são barreiras para que os objetivos das políticas sejam alcançados em sua plenitude.

Biografia do Autor

Fabíola Cristina Costa de Costa de Carvalho, Universidad Autónoma de Sinaloa / México. Universidade Federal de Juiz de Fora / Brasil.

Doutoranda em Ciências Sociais pela Uniersidad Autónoma de Sinaloa/ Mexico. Mestre em Administração Pública pela Escola de Governo da Fundação João Pinheiro/MG (2014). Bacharel em Turismo pela Universidade Federal de Juiz de Fora/MG (2011). É membro do Observatório Mineiro Econômico e Social do Turismo - OEST/UFJF e do grupo de pesquisa Conhecimento, Organização e Turismo - COGITO (CNPq/UFJF). Interessa-se e atua nas áreas de Turismo, Ciências Sociais e Política e Administração Pública, com ênfase, nas seguintes linhas de pesquisa e campos temáticos: 1) Turismo: História e Modelos Explicativos do Turismo, Gestão e Planejamento do Destino Turístico, Elementos Intervenientes no Sistema Turístico; (2) Teoria Política: Formação de Agenda Pública, Articulação entre Atores e Grupos de Interesse, Institucionalismo Histórico; (3) Administração Pública: Paradigmas da Gestão Pública, Administração Pública Deliberativa, Transversalidade.

Referências

AGUIAR, L. B. Estado, turismo, cultura e desenvolvimento: organização empresarial e a construção do consenso sobre a importância do turismo para o Brasil. In: VI Simpósio Nacional Estado e Poder: Cultura, 2010, Anais... São Cristóvão, 2010.
AMSDEN, A. A. A ascensão do “resto”: os desafios ao Ocidente de economias com industrialização tardia. (Tradução Roger Maioli dos Santos), Editora Unesp: São Paulo, 2009.
ARAUJO, C. R. M. A participação societal na concepção das políticas públicas de turismo no Brasil: o caso do Conselho Municipal de Turismo de São Paulo no período de 1991 a 2006. 2007. 426 f. Tese (Doutorado) – Fundação Getúlio Vargas – Escola de Administração de Empresas de São Paulo. São Paulo.
ARAÚJO, R. M.; POSENATTO, A. F. G. Plano de Fortalecimento da Gestão do Turismo (PFGT): uma avaliação ex ante no município de Nísia Floresta (RN). Rap, Rio de Janeiro, n. 46, v. 1. p. 221-48, jan./fev. 2012.
Beni, M. C. Política e Planejamento de Turismo no Brasil. São Paulo: Aleph, 2006.
BEZERRA, M. M. O. Estratégias de desenvolvimento do turismo: em busca de uma tipologia. Economia e Sociedade, Campinas, v. 15, n. 2, p. 347-360, ago. 2006.
___________. Turismo e Financiamento: o caso brasileiro à luz das experiências internacionais. 2002. 153 f. Tese (Doutorado) – Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas. Campinas: São Paulo.
Análise da rede política do turismo brasileiro. 2010a. 215 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Programa de Pós-Graduação em Turismo – Mestrado em Turismo. Natal, RN.
___________. O Ideário Neoliberal na Política Nacional do Turismo Brasileiro: Avanços e Retrocessos. In: VII Seminário da Associação Nacional Pesquisa e Pós-Graduação em Turismo – ANPTUR. Anais... Universidade Anhembi Morumbi – UAM. São Paulo: SP, setembro, 2010b.
BRASIL. MINISTÉRIO DO TURISMO. Plano Nacional de Turismo 2013 – 2016. “O Turismo fazendo muito mais pelo Brasil”. Brasília. 2013. Disponível em: http://www.turismo.gov.br/export/sites/default/turismo/noticias/todas_noticias/Noticias_download/PNT_2013-2016.pdf. Acesso em 24 mai. 2013.
CALDAS, E. L. Formação de Agendas Governamentais Locais: o caso dos Consórcios Intermunicipais. 2007. 227 f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP).
CAPELLA, A. C. N. Formação da Agenda Governamental: Perspectivas Teóricas. In: XXIX Encontro Anual da ANPOCS. Anais... 2005, p. 1-35. Disponível em: Acesso em 16 mar. 2012.
CARVALHO, F.C. C. Agenda pública do turismo no Brasil: mudanças e implicações para o desenvolvimento do turismo nacional. 2014. 135f. Dissertação (Mestrado) – Escola de Governo Professor Paulo Neves de Carvalho/Fundação João Pinheiro. Belo Horizonte.
CARVALHO, A. F. Políticas Públicas em Turismo no Brasil. Sociedade e Cultura, v. 3, n. 1 e 2, jan./dez. 2000, p. 97-109.
CAVALCANTI, P. A. B. Um Olhar Crítico sobre o Conselho Nacional de Turismo: Articulação do Setor, Legitimidade e Auto-Interesse na Construção das Políticas Públicas. 2006. 143 f. Dissertação (Mestrado) – Escola de Administração de Empresas de São Paulo. São Paulo: SP.
CHAVES, M. P. A Institucionalização das Políticas Públicas de Turismo em Âmbito Municipal no Brasil. 2011. 287 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Lavras (UFLA). Lavras: MG.
CONSELHO DE TURISMO DA CONFEDERAÇÃO NACIONAL DO COMÉRCIO. Breve história do turismo e da hotelaria. Rio de Janeiro: CNC, 2005.
CRUZ, R. C. A. Planejamento governamental do turismo: convergências e contradições na produção do espaço. In: América Latina: cidade, campo e turismo. LEMOS, A. I. G.; ARROYO, M.; SILVEIRA, M. L. CLACSO - Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales: San Pablo, dez. 2006, p. 337-350.
___________. Políticas públicas de turismo no Brasil: território usado, território negligenciado. Geosul, Florianópolis, v. 20, n. 40, p. 27-43, jul./dez. 2005.
___________. Política de Turismo e Território. São Paulo: Contexto, 2002.
EMMENDOERFER, M. L.; SILVA, F. C.; LIMA, A. A. T. F. C. Evidências de inovação Social na Gestão Pública do Turismo em Minas Gerais - Brasil: O Modelo de Circuitos Turísticos em Análise. PASOS – Revista de Turismo y Patrimonio Cultural. v. 9, n. 2, p. 397-410. 2011.
EMMENDOERFER, M. L.; SOARES, E. B. S.; SILVA, E. A.; LIMA, A. A. T. F. C.; GAVA, R.; MONTEIRO, L. P. Desenvolvimento Turístico Regional e Destinos Indutores: Um Problema de Intergovernabilidade no Contexto Público Brasileiro? In XXXVI Encontro Enanpad. Anais ... Rio de Janeiro, p. 1-16, 2012.
ENDRES, A. V. As políticas de turismo e os novos arranjos institucionais na Paraíba/Brasil. 2012. 330 f. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política. Florianópolis: SC.
FRATUCCI, A. C. A Dimensão Espacial nas Políticas Públicas de Turismo no Brasil. In: PIMENTEL, T. D.; EMMNDOERFER, M. L.; TOMAZZONNI, E. L. (Orgs.). Gestão Pública do Turismo no Brasil: teorias, metodologias e aplicações. v. 1. Caxias do Sul (RS): EDUCS, 2014.
FRATUCCI, A. C. A dimensão espacial nas políticas públicas brasileiras de turismo: as possibilidades das redes regionais de turismo. 2008. 308 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Federal Fluminense, Niterói.
FREY, K. Políticas Públicas: um debate conceitual e reflexões referentes à prática da análise de políticas públicas no Brasil. Planejamento e Políticas Públicas. n. 21, p. 211-259, jun. 2000.
GOELDENER, C. R.; RICHIE, J. R. B. Tourism: principles, practices, philosophies (9th ed.). John Wiley & Sons, Inc. Hoboken: New Jersey, 2002.
GOUVERITCH, P. Politics in Hard Times: comparative responses to international economic crises. Ithaca and London: Cornell University Press, 1986.
HALL, C. M. Planejamento turístico: políticas, processos e relacionamentos. São Paulo: Contexto, 2001.
HALL, P. Governing the Economy: The Politics of State Intervention in Britain and France. Cambridge: Polity Press, 1986.
HOFFMANN, V. E.; VIEIRA D. P. Relacionamento entre Organizações e Competitividade Turística: um estudo sobre o Conselho Nacional de Turismo. Anais Brasileiros de Estudos Turísticos – ABET, Juiz de Fora, v. 3, n. 1, p. 48-61, 2013.
KINGDON, J. Agendas, Alternatives, and Public Policies. 2. ed. New York: Longman, 2003.
MASSUKADO, M. S. Políticas Públicas: Estratégias Governamentais de Intervenção no Turismo. Revista Global Tourism (Online), v. 1, p. 6, 2006.
MENICUCCI, T. M. G. Público e privado na política de assistência à saúde no Brasil: atores, processos e trajetória. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2007.
MENICUCCI, T. M. G; BRASIL, F. P. D. Construção de Agendas e Inovações Institucionais: Análise Comparativa da Reforma Sanitária e da Reforma Urbana. Estud. sociol., Araraquara, v. 15, n. 29, p. 369-396, 2010.
MIGUEL, I. C. Uma Análise do Diferencial Competitivo de Hotéis Associados a Cadeias Hoteleiras Internacionais. 2001. 109 f. Dissertação (Mestrado) – Fundação Getúlio Vargas, Escola Brasileira de Administração Pública.
MÜLLER, D.; HALLAL, D. R.; RAMOS, M. G. G.; GARCIA, T. E. M. O Despertar do Turismo no Brasil: a década de 1970. In: International Conference on Tourism & Management Studies – Algarve 2011, Book of Proceedings, 2011, v. I, p. 692-700.
OLIVEIRA, R. A. (2014) Descentralização: um paralelo entre os circuitos turísticos de Minas Gerais e o modelo francês de regionalização do turismo. In: PIMENTEL, T. D.; EMMNDOERFER, M. L.; TOMAZZONNI, E. L. (Orgs.). Gestão Pública do Turismo no Brasil: teorias, metodologias e aplicações. Caxias do Sul (RS): EDUCS. Cap. 5, 125-150.
PAGE, E. C. The Origins of Policy. In: MORAN, M.; REIN, M.; GOODIN, R. E. The Oxford Handbook of Public Policy, 2008, p. 207-227.
RUA, M. G. Análise de Políticas Públicas: Conceitos Básicos. Manuscrito, elaborado para o Programa de Apoio a Gerência Social no Brasil. Banco Interamericano de Desenvolvimento: BID, 1997. Disponível em: . Acesso em 04 mai. 2013.
SABATIER, P. A.; JENKINS-SMITH, H. C. Policy Change and Learning: an Advocacy Coalition Approach. Westview Press: Colorado, 1993.
SOLHA, K. T. Órgãos Públicos Estaduais e o Desenvolvimento do turismo no Brasil. 2004. 178 f. Tese (Doutorado) – Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. São Paulo.
___________. T. 2002 Evolução do turismo no Brasil. In: REJOWSKI, M. (org.). Turismo no percurso do tempo. São Paulo: Aleph, 2002, p. 117-153.
SOUZA, C. Estado da Arte da Pesquisa em Políticas Públicas. In: HOCHMAN, G.; ARRETCHE, M.; MARQUES, E. Políticas Públicas no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2007, p. 65-86.
THEVENIN, J. M. R. O turismo e suas políticas públicas sob a lógica do capital. Caderno Virtual de Turismo. Rio de Janeiro, v. 11, n. 1, p.122-133, abr. 2011.
ZACCHI, G. P. A incidência do desenvolvimento regional através da atividade turística. Revista Turismo, 2005. Disponível em: Acesso em 04 mai. 2013.
Publicado
2015-07-03
Seção
RESULTADOS DE PESQUISA EMPÍRICA / EMPIRICAL RESEARCH RESULTS / RESULTADOS DE INVESTIGACIÓN EMPÍRICA