Da mobilidade do trabalho à mobilidade no turismo From work mobility to tourist mobility

  • sra Neide Coriolano Universidade Estadual do Ceará
  • Laura Marques Fernandes UECE
Palavras-chave: Mobilidade sazonal. Migração temporária. Turismo. Mobilidade turística.

Resumo

Resumo: O trabalho tem como foco os temas migração temporária, mobilidade sazonal e mobilidade turística. O objetivo é mostrar o debate e a produção científica em torno do entendimento dos fluxos turísticos enquanto mobilidade temporária e avançar na construção teórica que inclui o turismo como mobilidade. São abordadas contradições e desigualdades inerentes à mobilidade temporária relacionada ao turismo. O turismo constitui possibilidade das pessoas se movimentarem voluntariamente, ao se analisar concepções e perspectivas de diferentes autores sobre mobilidade vislumbram-se dificuldades na teorização de mobilidade e migração pelo turismo. Assim, realiza-se revisão bibliográfica sobre migração, mobilidade e turismo com o intuito de explicar a concepção de turismo como mobilidade sazonal e migração temporária. Diante da ascensão dos fluxos turísticos admitir apenas a mobilidade relacionada ao trabalho significa redução de compreensão e não condiz com a realidade. Os teóricos do turismo estudados tanto os franceses como os brasileiros explicam de forma convincente a mobilidade turística, fato aceito por pesquisadores menos ortodoxos e mais flexíveis. 

Referências

Referências

Balbim, Renato. (2004). Mobilidade: uma abordagem sistêmica. Palestra CETESB, Secretaria do Meio Ambiente. São Paulo, 2004. Disponível em: http://www.edu-doc.com/download.ph. Acesso em 28/01/2012.

Bauman, Zygmunt. (1999). Globalização. As conseqüências humanas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Becker, Olga M. S. (1997). Mobilidade espacial da população: conceitos, tipologia, contextos. In: CASTRO, Iná E. et all. Explorações geográficas: percursos no fim do século. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Brasil.(1980). Lei Nº 6.815, de 19 de agosto de 1980. Disponível em:
.

Chapuis, Amandine. (2010). Mobilités touristiques et dynamiques urbaines: de l’investissement à la production des lieux. In: MORINIAUX, Vincent et all. Les mobilités. S/l: Éditions Sedes, 2010.

Coriolano, Luzia N. T. (2011). Turismo e Migração: um estudo de caso. S/l: 2011.
. Acesso em: 29/01/2012.

Coriolano, Luzia N. T et all. (2009). Arranjos Produtivos Locais do Turismo Comunitário. Fortaleza: EDUECE.

Dehoorne, Olivier. (2002). Tourisme, travail, migration: interrelations et logiques mobilitaires. Revue Européenne des migrations internationales. Vol. 18, nº1/2002. Turismo e migração. Disponível em: . Acesso em : 29/01/2012.

Fagnoni, Édith. (2010). Les mobilités de tourisme et de loisirs au coeur de l’hypermobilité contemporaine. In: MORINIAUX, Vincent et all. Les mobilités. S/l: Éditions Sedes.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2010). Disponível em:
Acesso em: 10/01/2012.

Lejoux, Patricia. (2007). Des temporalités de la production aux temporalités de la consommation : l’enjeu des mobilités touristiques pour les économies locales. (2007) Espace populations sociétés, 2007/2-3. Disponível em: . Acesso em : 28/01/2012.

Moriniaux, Vincent et all. (2010). Les mobilités. S/l: Éditions Sedes.

Organização Internacional para as Migrações – OIM. Conceitos básicos de migração segundo a Organização Internacional para as Migrações – OIM. Disponível em:
Acesso em: 28/01/2012.

Salim, Celso A. (1992). Migração : o fato e a controvérsia teórica. In : ABEP. VIII Encontro de Estudos Populacionais.

Secretaria Estadual do Turismo. (2012). Indicadores turísticos. Disponível em:
Acesso em: 18/12/2011.

Vainer, Carlos B. (2005). Reflexões sobre o poder de mobilizar e imobilizar na contemporaneidade. In: NETO, Helion P. e FERREIRA, Ademir P. (Org.) Cruzando fronteiras disciplinares. Um panorama dos estudos migratórios. Rio de Janeiro: Editora Revan.

Viard, Jean. (2011). Éloge de la mobilité. Essai sur le capital temps libre et la valeur travail. S/l : Éditions de l’Aube.
Publicado
2014-05-15
Seção
RESULTADOS DE PESQUISA EMPÍRICA / EMPIRICAL RESEARCH RESULTS / RESULTADOS DE INVESTIGACIÓN EMPÍRICA