O Cancioneiro de Clínia: epigramas amorosos de Jean Visagier em tradução poética

Clinia’s Chansonnier: a poetic translation of Jean Visagier’s love epigrams

  • Ricardo da Cunha Lima USP
Palavras-chave: epigrama, Renascimento, literatura neolatina, dístico elegíaco

Resumo

Jean Visagier, membro do círculo humanístico de Lyon, publicou quatro obras em latim, dedicadas ao gênero epigramático, entre os anos de 1536 e 1538. Obediente às normas clássicas do epigrama, compôs a grande
maioria deles em dístico elegíaco. A temática é muito variada, como é característico no gênero. Deixando de lado os epigramas encomiásticos e vituperiosos, a presente tradução se concentra em um conjunto de 30 epigramas amorosos, nos quais aparece como personagem central uma puella, chamada Clínia, que serve para representar as mais diversas cenas do relacionamento amoroso, tal como na elegia erótica romana. A forte tradição da Antiguidade, por outro lado, também é modulada por conceitos trovadorescos e petrarquistas. A tradução foi feita em versos metrificados. No caso do dístico elegíaco, optou-se por um dístico composto por um verso dodecassílabo e um decassílabo.

Referências

BEER, Susanna; ENENKEL, Karl; RIJSER, David. The Neo-Latin Epigram: a learned and witty genre. Supplementa Humanistica Lovaniensia XXV. Leuven: LUP, 2009.

CAMPANHOLO, Silvia Helena. Tradução e análise do Liber Primus, da obra Inscriptionum Libri Duo, de Jean Visagier: a imitação dos clássicos no Renascimento. Dissertação (Mestrado em Letras Clássicas) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018. Disponível em https://teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8143/tde-27092018-100126/publico/2018_SilviaHelenaCampanholo_VCorr.pdf

FOSTER, Leonard. The Icy Fire: Five Studies in European Petrarchism. Cambridge: Cambridge University Press, 1969.

GALAND, Perrine. L'Elégie In Violas de Politien : création poétique et réflexion métatextuelle. Bulletin de l'Association d'étude sur l'Humanisme, la Réforme et la Renaissance, Lyon, n°23, p. 15-33, 1986.

GLARE, P.G.W. Oxford Latin Dictionary. Oxford: Clarendon Press, 1996. [Abreviado como OLD]

LAURENS, Pierre. L’abeille dans l’ambre. Célébration de l’épigramme de l’époque alexandrine à la fin de la Renaissance. 2ª edição, revista e ampliada. Paris: Les Belles Lettres, 2012.

LAURENS, Pierre. Anthologie de l’épigramme: de l’Antiquité à la Renaissance. Paris: Gallimard, 2007.

LEROUX, Virginie. Jules-Cesar Scaliger juge de Politien. Camenae, Paris, n°22, dezembro de 2018. Disponível em http://saprat.ephe.sorbonne.fr/media/ d7ca2f41e0d8a515ac998be3d928cf06/camenae-22-article-4-v-leroux.pdf

LIMA, Ricardo da Cunha. A presença clássica na poesia neolatina do humanista português Antônio de Gouveia. Tese (Doutorado em Letras Clássicas) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. Disponível em https://teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8143/tde-06122007-113357/publico/TESE_RICARDO_DA_CUNHA_LIMA.pdf

OLIVA NETO, João Angelo. Introdução. In: CATULO. O livro de Catulo. São Paulo: Edusp, 1996.

OLIVA NETO, João Angelo. 11 poemas de Propércio (I, 1-11) traduzidos com o verdadeiro dístico elegíaco de Péricles Eugênio da Silva Ramos. Cadernos de Literatura em Tradução, São Paulo (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP), nº 15, p. 151-184, 2015.

SEZNEC, Jean. The survival of the pagan gods: the mythological tradition and its place in Renaissance humanism and art. Nova York: Harper Torchbooks/The Bollingen Library, Harper & Brothers, 1961.

VISAGIER, Jean. Epigrammatum Libri Duo. Lyon: Sébastien Gryphe, 1536.

VISAGIER, Jean. Epigrammatum Libri Quattuor. Xenia. Lyon: Michel Parmentier, 1537.

VISAGIER, Jean. Hendecasyllaborum Libri Quattuor. Paris: Simon de Colines, 1538a.

VISAGIER, Jean. Inscriptionum Libri Duo. Xeniorum Libellus. Paris: Simon de Colines, 1538b.

Publicado
2020-07-02