Performance e nostalgia na música brega

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/1981-4070.2021.v15.33682

Palavras-chave:

música pop, nostalgia, performance, brega, cultura digital

Resumo

Performances nostálgicas são centrais para o entendimento das construções valorativas nas músicas populares periféricas brasileiras. O artigo busca analisar como a nostalgia é performatizada na música brega de Pernambuco, a partir de um debate que incide em reconhecer roteiros perfomáticos (TAYLOR, 2013) e acionamentos nostálgicos (BOYM, 2001) como forma de reinserção de artistas “esquecidos” no contexto de intensa jovialização do gênero musical. Centra-se o olhar sobre a banda Amigas do Brega, projeto que visa a reinserção de artistas “das antigas” nos mercados musicais local e nacional intensamente jovializado a partir da emergência das práticas digitais de consumo musical sobretudo após a consagração do bregafunk. Entende-se que a ausência de arquivos e de marcadores históricos da música brega opera sobre a disputa por espaços de memória em que a corporificação do passado atua como importante capital para artistas musicais. A análise centra-se num espetáculo registrado em DVD e disposto na plataforma de vídeos YouTube a partir das categorias de nostalgia restauradora e reflexiva, propostas por Boym, apontando zonas tensivas entre memória e esquecimento nas negociações performáticas que emergem nas músicas populares periféricas brasileiras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Soares, Universidade Federal de Pernambuco

Professor do Programa de Pós-graduação em Comunicação (PPGCOM) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), onde coordena o grupo de pesquisa em Comunicação, Música e Cultura Pop (Grupop). Bolsista Produtividade em Pesquisa – Nível 2

Pedro Alves, Universidade Federal de Pernambuco

Mestre em Comunicação pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Referências

AMARAL, P . M. Estigma e Cosmopolitismo na Constituição de uma Música Popular Urbana da Periferia: etnografia da produção do tecnobrega em Belém do Pará. 2009. 245 p. Tese (Doutorado em Música) - Instituto de Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/17305. Acesso em: 7 ago. 2021.

ARAÚJO, P. C. de. Eu não sou cachorro, não: música popular cafona e ditadura militar. 7. ed. Rio de janeiro: Record, 2010.

AZEVEDO, R; JÁCOME, P; PRADO, D. Descarga acústico-visual e temporalidades em cena: a fundação de uma tradição pela Banda Calypso. Galáxia, n. especial 1, p. 47-60, 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/1982-25542019441661>

BOYM, S. The Future of Nostalgia. New York: Basic, 2001.

DERRIDA, J. Mal de Arquivo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

DIAS, R. Vocês achavam que Palas estava na pior? Folha de Pernambuco, Recife, 24 de jul. de 2011. Revista da Folha.

FONTANELLA, F. A estética do brega: cultura de consumo e o corpo nas periferias do Recife. 2005. 145 p. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Centro de Artes e Comunicação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.

GOMES, R. Amigas do Brega se reúnem para fortalecer o ritmo em Pernambuco. Jornal do Commercio, Recife, 20 de janeiro de 2018. Disponível em: https://jc.ne10.uol.com.br/canal/cultura/musica/noticia/2018/01/20/amigas-do-brega-se-reunem-para-fortalecer-o-ritmo-em-pernambuco-324745.php. Acesso em: 7 ago. 2021.

GUMBRECHT, H. U. Produção de Presença: O que o Sentido não consegue Transmitir. Rio de Janeiro: Ed. Contraponto, 2010.

HOBSBAWM, E. Introdução: a invenção das tradições. In: HOBSBAWM, E.; RANGER, T. (orgs.). A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997, p. 9-23.

HOBSBAWM, E.; RANGER, T. (orgs.). A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

LINS, M. This is show business: A cultura dos megaespetáculos pop e a invenção do “padrão Madonna”. In: SOARES, Thiago; MANGABEIRA, A.; LINS, M.. Divas Pop: O Corpo-som das cantoras na Cultura midiática. Belo Horizonte: Fafich/ Selo PPGCOM/ UFMG, 2020, p. 165-180.

MARTíN-BARBERO, J. Dos Meios às Mediações. Rio de Janeiro: ED. UFRJ, 1997.

MELO, O. B. de; CASTRO, O. Apropriação de tecnologias e produção cultural: inovações em cenas musicais da Região Norte. In: HERSCHMANN, M+ (org.). Nas bordas e fora do mainstream musical: Novas tendências da música independente no início do século XXI. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2011, p. 185-208.

MONTAÑO, Sonia. Plataformas de vídeo: Apontamentos para uma ecologia do audiovisual da web na Contemporaneidade. Porto Alegre: Sulina, 2015.

PEREIRA DE SÁ, S. Cultura Digital, Videoclipes e a Consolidação da Rede de Música Brasileira Pop Periférica. Revista Fronteiras - estudos midiáticos, v. 21, n. 2, p. 21-32, 2019. DOI https://doi.org/10.4013/fem.2019.212.03

SCHECHNER, R. Between Theater and Anthropology. Philadelphia: The University of Pennsylvania Press, 1985.

SCHECHNER, R . Performance theory. New York: Routledge, 1988.

SCHECHNER, R. Restauração do comportamento. In: BARBA, E; SAVARESE, N. A arte secreta do ator: dicionário de antropologia teatral. Campinas: Hucitec, 1995, p. 205-210.

SOARES, T. Percursos para estudos sobre música pop. In: CARREIRO, R; FERRARAZ, R; PEREIRA DE SÁ, S. (orgs.). Cultura Pop. Salvador: Edufba; Brasília: Compós, 2015. p. 19-33.

SOARES, T. “Ninguém é perfeito e a vida é assim”: A música brega em Pernambuco. Recife: Editora Outros Críticos, 2017.

SOARES, T; BENTO, E. A Nacionalização do Brega funk. Revista Temática, v. 16, n. 6, p.207-224, 2020. Disponível em: <https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/tematica/article/view/54541>. Acesso em: 7 ago. 2021.

SOARES, T; MANGABEIRA, A; LINS, M. Divas Pop: O Corpo-Som das Cantoras na Cultura Midiática. Belo Horizonte: Fafich/ Selo PPGCOM/ UFMG, 2020.

TAYLOR, D. O arquivo e o repertório: performance e memória cultural nas Américas. Belo Horizonte: UFMG, 2013.

Downloads

Publicado

2021-08-30

Como Citar

SOARES, T. .; ALVES, P. Performance e nostalgia na música brega. Lumina, [S. l.], v. 15, n. 2, p. 37–54, 2021. DOI: 10.34019/1981-4070.2021.v15.33682. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/lumina/article/view/33682. Acesso em: 27 set. 2021.

Edição

Seção

Dossiê: História, Memória, Comunicação – entre crises e críticas