Possibilidades e limites das contribuições de Siegfried Kracauer ao estudo da mídia: uma leitura de Theory of Film (1960)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/1981-4070.2022.v16.38245

Palavras-chave:

Kracauer, Teoria do Meio, Teoria da Comunicação, Filme, Cinema

Resumo

Publicado originalmente em 1960, Theory of Film, de Siegfried Kracauer, é um trabalho reconhecido dentre as teorias do cinema, tendo atraído, desde seu lançamento, tanto elogios quanto críticas dentro desse campo específico. Mas até que ponto seria possível situá-lo no âmbito das Teorias da Comunicação? Quais seriam, se há alguma, suas contribuições para a compreensão dos processos midiáticos? Este artigo propõe uma leitura de Theory of Film focada nas possibilidades de desenvolver suas proposições sobre o filme como contribuições para uma teoria da mídia. Não se trata de entender o livro como uma tentativa de criar uma “teoria dos meios”, mas fazer algumas aproximações iniciais da obra com algumas das concepções lidas sob essa rubrica nos estudos de Comunicação. Para tanto, são destacados três aspectos da obra: (1) suas concepções de “teoria” e “meio” como categorias interpretativas a partir das quais se pode situar a noção de “mídia”; (2) a aproximação dessa concepção, nas Teorias da Comunicação, com alguns aspectos da Teoria do Meio e (3) a preocupação do autor em estabelecer uma relação entre o meio e a realidade por ele capturada e “redimida”. Esses pontos são discutidos sobre o pano de fundo de algumas das discussões contemporâneas sobre Teoria da Comunicação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luís Mauro Sá Martino, Faculdade Cásper Líbero

Doutor em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Faculdade Cásper Líbero.

 

Referências

ADORNO, T. W. O curioso realista. Novos Estudos CEBRAP, v. 1, n. 85, p. 5-22, 2009. DOI: <https://doi.org/10.1590/S0101-33002009000300001>.

ADORNO, T. W. Palavras e Sinais. Petrópolis: Vozes, 1995.

ALLEN, J. The cultural spaces of Siegfried Kracauer: the many surfaces of Berlin. New Formations, v. 1, n. 61, p. 20-33, 2007. Disponível em: <https://www.ingentaconnect.com/contentone/lwish/nf/2007/00000061/00000061/art00003;jsessionid=32kucq5c880jt.x-ic-live-03>. Acesso em: 13 jun. 2022.

ANDRADE, I. Y. F. Sigfried Kracauer: cinema e método. Inter-legere, v. 2, n. 25, p. 1-17, 2019. DOI: <https://doi.org/10.21680/1982-1662.2019v2n25ID18175>.

BACHELARD, G. A formação do espírito científico. Rio de Janeiro: Contraponto, 2006.

BECKER, H. Evidências. Rio de Janeiro: Zahar, 2022.

BRON, J. A. Réévaluer l’apport théorique de siegfried kracauer: Théorie du Film, 1960. Cahiers philosophiques, v. 4, n. 143, p. 33-52, 2015. DOI: <https://doi.org/10.3917/caph.143.0033>.

BUTLER, C. Postmodernism. Oxford: OUP, 2007.

CALEIRO, M. O lugar da psicanálise nos escritos cinematográficos de Kracauer. Em Questão, v. 16, n. 1, p. 131-145, 2010. Disponível em: <https://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/12971>. Acesso em: 13 jun. 2022.

CARONE, I. Adorno em Nova York. Rio de Janeiro: Alameda, 2021.

CORPAS, D. “O mundo superior vacilante na poça imunda”: notas sobre Teoria do Filme de Siegfried Kracauer. In: LOUREIRO, R. (org.). A teoria crítica volta ao cinema. Vitória: UFES, 2021, p. 21-43.

CORPAS, D. Realismo e composição. Cerrados, v. 24, n. 39, p. 141-157, 2015. Disponível em: <https://periodicos.unb.br/index.php/cerrados/article/view/25705>. Acesso em: 13 jun. 2022.

COSTA, J. F. Uma teoria por um cinema da realidade: uma leitura de Theory of Film, de Siegfried Kracauer. Doc On-line, n. 1, p. 211-225, 2006. Disponível em: <https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/4000550.pdf>. Acesso em: 13 jun. 2022.

DeKERCKHOVE, D. The skin of culture: investigating the new electronic reality. Toronto: Sommerville House Publishing, 1995.

GUTFREIND, C. Kracauer e os fantasmas da história: reflexões sobre o cinema brasileiro. Comunicação, Mídia e Consumo, v. 6, n. 15, p. 129-144, 2009. Disponível em: <https://revistacmc.espm.br/revistacmc/article/view/149>. Acesso em: 13 jun. 2022.

GUTFREIND, C. O filme e a representação do real. E-Compós, v. 6, p. 2-12, 2006. DOI: <https://doi.org/10.30962/ec.90>.

HANSEN, M. B. Introduction. In: KRACAUER, S. Theory of film: the redemption of physical reality. Princeton: Princeton University Press, 1997, p. i-xlv.

INNIS, H. Empire and communication. Toronto: University of Toronto Press, 1999 [1953]

JAY, M. A imaginação dialética. Rio de Janeiro: Contraponto, 2021.

KRACAUER, S. Theory of film: the redemption of physical reality. Princeton: Princeton University Press, 1997.

KNAUF, D. M. Resenha de Theory of Film. The Speech Teacher, v. 15, n. 4, p. 339-343, 1966.

MARTINO, L. M. S. Entre mídia e comunicação: origens e modalidades de uma dicotomia nos estudos da área. Comunicação, Mídia e Consumo, v. 13, n. 38, 2016. DOI: <https://doi.org/10.18568/cmc.v13i38.1154>.

MARTINO, L. M. S. Teoria da Comunicação. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2018.

McLUHAN, M. Os meios de comunicação - as extensões do homem. São Paulo: Cultrix, 2012 [1964].

MARKGRAF, B. Resenha de Theory of Film. The Speech Teacher, v. 10, n. 3, p. 238-239, 1961.

McQUAIL, D. Mass Communication Theory. Londres: Sage, 2005.

MEYROWITZ, J. Medium Theory. In: CROWLEY, D.; MITCHELL, D. Communication Theory Today. Standford: Standford University Press, 1999, p. 50-77.

MEYROWITZ, J. No sense of place. Oxford: OUP, 1986.

MICHAUD, P. A. Filme: por uma teoria expandida do cinema. Rio de Janeiro: Contraponto, 2014.

OLIVEIRA, E. F. Da teoria da comunicação às teorias da mídia. Ou, temperando a epistemologia com uma dose de cibercultura. Revista Eco-Pós, v. 14, n. 1, 2011. DOI: <https://doi.org/10.29146/eco-pos.v14i1.920>.

PENAFRIA, M. O documentário segundo Kracauer. Doc On-line, n. 3, p. 174-194, 2007. Disponível em: <https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/4002400.pdf>. Acesso em: 13 jun. 2022.

PERIVOLAROPOULOU, N. Siegfried Kracauer: “un outsider attire l'attention”. L'Homme et la société, n. 121-122, p. 179-183, 1996. DOI: <https://doi.org/10.3406/homso.1996.2867>.

PERIVOLAROPOULOU, N. Le travail de la mémoire: dans Theory of Film de Siegfried Kracauer. Protée, v. 32, n. 1, p. 39–48, 2004. DOI: <https://doi.org/10.7202/011024ar>.

PIMENTA, F. J. P. Jogos, redes sociais e a crise no campo da Comunicação. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISA EM CIBERCULTURA, V, 2011. Anais... Florianópolis: UFSC, 16-18 de novembro de 2011. Enviado diretamente pelo autor em comunicação via email.

SANTOS, P. S. Benjamin e Kracauer: elementos para uma epistemologia de “trapeiros”. Sociologia & Antropologia, v. 3, n. 6, p. 489-508, 2013. DOI: <https://doi.org/10.1590/2238-38752013v366>.

SANTOS, P. S. Siegfried Kracauer: sociologia e superfície. 2014. 293 f. Tese (Doutorado em Sociologia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas,Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: <https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8132/tde-14012015-181721/pt-br.php>. Acesso em: 15 jun. 2022.

SCHLÜPMANN, H; FLETT, I. Re-reading Nietzsche through Kracauer. Film History, v. 6, p. 80-93, 1994. Disponível em: <https://www.jstor.org/stable/3815009>. Acesso em: 15 jun. 2022.

SCHMIDT-LUX, T.; THÉRIAULT, B. Siegfried Kracauer, sociologue de la culture. Sociologie et sociétés, v. 49, n. 1, p. 275–281, 2017. DOI: <https://doi.org/10.7202/1042819ar>.

SEVERIN, T; TANKARD, D. Communication theories. Nova York: Longman, 2001.

SIMIS, A. Luzes e foco sobre Kracauer. Estudos de Sociologia, v. 10, n. 18-19, p. 135-144, 2005. Disponível em: <https://periodicos.fclar.unesp.br/estudos/article/view/118>. Acesso em: 15 jun. 2022.

SLATER, P. Origem e significado da Escola de Frankfurt. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

SOUSA, J. Teoria do meio. Brasília: EdCB, 2009.

TRAVERSO, E. Adorno et les antinomies de l’industrie culturelle. Communications, n. 91, p. 51-63, 2012. DOI: <https://doi.org/10.3917/commu.091.0051>.

TURNER, G. Cinema como prática social. São Paulo: Summus, 2005.

WAIZBORT, L. O verdadeiro mais próximo. Novos Estudos CEBRAP, n. 85, p. 5-22, 2009. DOI: <https://doi.org/10.1590/S0101-33002009000300003>.

WIGGERSHAUS, R. Escola de Frankfurt. Rio de Janeiro: Difel, 2005.

Downloads

Publicado

2022-12-30

Como Citar

MARTINO, L. M. S. Possibilidades e limites das contribuições de Siegfried Kracauer ao estudo da mídia: uma leitura de Theory of Film (1960). Lumina, [S. l.], v. 16, n. 3, p. 142–160, 2022. DOI: 10.34019/1981-4070.2022.v16.38245. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/lumina/article/view/38245. Acesso em: 27 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos