Notícias

Ipotesi – Revista de Estudos Literários, volume 24, números 1 e 2 (2020)

Estéticas da vida acadêmica - v. 24, n. 1, de jan./jun. 2020

Editores do número: Prof. Dr. André Monteiro (UFJF) e Prof. Dr. Edmon Neto (CES/JF). 

Editoria: Prof.ª Dra. Nícea Helena de Almeida Nogueira (UFJF)

Literaturas de Língua Inglesa - v. 24, n. 2, de jul./dez. 2020

Editores do número: Prof. Dr. Davi Pinho (UERJ),  Prof.ª Dra. Maria Aparecida de Oliveira (UFPB) e Prof.ª Dra. Nícea Nogueira (UFJF)

Editoria: Patrícia de Paula Aniceto, Fernanda Barroso e Silva e Nícea Nogueira.

Capas de Felipe Monteiro de Oliveira

  • CHAMADAS DE PUBLICAÇÃO - IPOTESI – REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS: V. 26, N. 1 E 2 DE 2022

    2022-01-20

    CHAMADA DE PUBLICAÇÃO - IPOTESI – REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS: V. 26, N. 1, JAN./JUN. 2022

    Virginia Woolf e Jane Austen: leituras centenárias

    A edição da IPOTESI Revista de Estudos Literários, v. 26, n. 1, de jan./jun. 2022, do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Minas Gerais, espera receber contribuições que estabeleçam diálogos entre a obra woolfiana e a obra austeniana, recuperando e expandindo as leituras encaminhadas pela crítica especializada na celebração do centenário da publicação do ensaio de Virginia Woolf, intitulado “Jane Austen Practising” (1922), cujas repercussões ainda hoje informam possíveis leituras da obra austeniana. As impressões de Woolf sobre a juvenília de Jane Austen coletadas no ensaio de 1922 revelam alguns dos traços que dariam à Austen um lugar cada vez mais privilegiado na ideia woolfiana de tradição. Afinal, já neste ensaio Woolf afirma que a voz da escritora circunscreve os mundos e as personagens que cria, claramente delimitando o horizonte das experiências femininas e ironicamente esboçando um riso que pode colocar este mesmo horizonte em tensão. Tomando parte neste ano de celebrações centenárias dos modernismos globais, este número da IPOTESI intenta coletar trabalhos que tematizem a presença de Jane Austen na escrita woolfiana — seja em seus romances, contos, ensaios, diários, cartas, ou quaisquer outros escritos — e/ou que investiguem a relevância do legado austeniano para que Woolf enquadrasse as discussões modernistas em torno da tradição e do talento individual de outra maneira, por meio da frase ou “sentença feminina” de Austen que Woolf resgata em Um quarto todo seu (1929).

    A revista IPOTESI também possui a seção "Outros Textos" (com artigos que não são contemplados pelo tema do Dossiê, mas que possuem relevância na área dos Estudos Literários). Aceita-se trabalhos em português, inglês e espanhol.

    Organizadores do número: Prof.ª Dra. Nícea Nogueira (UFJF), Prof. Dr. Davi Pinho (UERJ), Prof.ª Dra. Maria Aparecida de Oliveira (UFPB), Prof.ª Dra. Maria Rita Drumond Viana (UFOP) e Prof.ª Dra. Patrícia Marouvo Fagundes (UFAC).

    ENVIO DE TEXTOS (Artigos, Traduções, Resenhas e Criação Artística) ATÉ 31 DE MAIO DE 2022.

    Recebimento de textos pela Plataforma OJS: https://periodicos.ufjf.br/index.php/ipotesi

    CHAMADA DE PUBLICAÇÃO - IPOTESI – REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS: V. 26, N. 2, JUL./DEZ. 2022

    Bicentenário da Independência do Brasil – De(s)colonizando as memórias das Américas a partir do Sul Global

    A edição da IPOTESI Revista de Estudos Literários, v. 26, n. 2, de ago/dez. 2022, do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Minas Gerais, espera receber contribuições que estabeleçam diálogos entre as comemorações dos bicentenários da independência dos países latino-americanos. Se as celebrações dos primeiros centenários latino-americanos se dedicaram a articular uma memória da independência centrada em identidades fundadas sob a ideia de uma comunidade imaginada, que é branca, católica e falantes da mesma língua, seja português ou castelhano, as comemorações dos bicentenários promovem outros tipos de articulações identitárias. Assim, considerando as propostas de Aníbal Quijano sobre a colonialidade do poder, que se refere à prolongação contemporânea das bases coloniais que sustentam a formação do capitalismo, de Rita Segato e María Lugones sobre gênero e colonialidade e de  Boaventura de Sousa Santos quem em Epistemologias do Sul (2009) denuncia o sistema que se desenvolveu com a exclusão e o ocultamento de povos e culturas que ao longo da história foram dominados pelo colonialismo e pelo capitalismo, este número da IPOTESI pretende coletar trabalhos que promovam discussões a cerca dos processos de de(s)colonização das Américas, considerando sobretudo o Sul Global, não como lugar geográfico, mas como coalizão de culturas subjugadas pela colonialidade do poder.

    A revista IPOTESI também possui a seção "Outros Textos" (com artigos que não são contemplados pelo tema do Dossiê, mas que possuem relevância na área dos Estudos Literários). Aceita-se textos em português, castelhano e inglês.

    Organizadores do número: Prof.ª Dra. Ana Beatriz R. Gonçalves (UFJF), Profa. Dra. Danae Gallo González (Justus Liebig Universitat – Giessen, Alemanha), Prof.ª Dra. Maria Eugenia Osorio Soto (Universidad de Antioquia – Medelín, Colômbia)

    ENVIO DE TEXTOS (Artigos, Traduções, Resenhas e Criação Artística) ATÉ 31 DE JULHO DE 2022. (Data sugerida)

    Recebimento de textos pela Plataforma OJS: https://periodicos.ufjf.br/index.php/ipotesi

    Saiba mais sobre CHAMADAS DE PUBLICAÇÃO - IPOTESI – REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS: V. 26, N. 1 E 2 DE 2022