ENTRE RIOS, BARCOS E REDES

UM ESTUDO DO CONTO BOCA DE LOBO, DE MONIQUE MALCHER

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/1983-8379.2023.v16.40947

Palavras-chave:

Literatura brasileira contemporânea, Monique Malcher, Flor de gume, Memória

Resumo

Este trabalho objetiva analisar o conto “Boca de lobo”, narrativa que abre o livro Flor de gume (2020a), primeira obra publicada da escritora paraense Monique Malcher que venceu, em 2021, o Prêmio Jabuti. A narrativa é conduzida por uma voz feminina infantil que leva o leitor a um passeio de barco pelos rios barrentos e agitados da região amazônica, em uma tentativa de se descobrir a sua própria identidade. Por isso, este estudo se mostra relevante pelo fato de trazer para a discussão um conto que apresenta em seu enredo a vivência de uma criança ribeirinha, além de dar visibilidade a uma autora nortista que tem ganhado destaque no cenário literário brasileiro mais recente. Primeiramente, a pesquisa discute acerca das contribuições teóricas das áreas da memória e da literatura, para depois analisar a narrativa. Os resultados evidenciam como se manifestam os seguintes aspectos: o autorreconhecimento da narradora, as memórias acionadas por ela e as relações de desigualdade entre os mundos infantis e adultos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rebeca Freire Furtado, UFPA

Graduada em Letras - Língua Portuguesa pela Universidade Federal do Pará. Especialista em Língua portuguesa e Literatura pela UFPA. Mestranda em Letras – Estudos Literários pelo Programa de pós-graduação em Letras da UFPA. Bolsista CAPES. E-mail: rebecafurtado@ufpa.br

Kauanne Laryse da Costa Oliveira, UFPA

Graduada em Letras - Língua Portuguesa pela Universidade Federal do Pará. Especialista em Língua portuguesa e Literatura pela UFPA. Mestranda em Letras – Estudos Literários pelo Programa de pós-graduação em Letras da UFPA. Bolsista CAPES. E-mail: kauanneoliveira@ufpa.br

Luís Heleno Montoril del Castilo, UFPA

Mestre em Letras - Estudos Literários pela Universidade Federal do Pará. Doutor em Literatura Comparada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Pós-doutor CAPES - Sorbonne Nouvelle - CREPAL (2012). Atualmente é professor na área dos Estudos Literários do Programa de pós-graduação em Letras da UFPA. E-mail: heleno@ufpa.br

Referências

BARTHES, Roland. Aula. Tradução e pósfácio de Leyla-Perrone Moisés. 14. ed. São Paulo: Cultrix, 1992.

BARTHES, Roland. O rumor da língua. Tradução por Mário Laranjeira. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

CASTILO, Luís Heleno Montorildel. Sobre janelas e rios. In: CASTILO, Luís del; CORRÊA, Paulo (Org.). Amazônia entre ensaios. Belém: Paka-Tatu, 2017, p. 69-92.

CHAUI, Marilena. Convite à filosofia. São Paulo: Ática, 2000.

FOUCAULT, Michel. “A Ordem do Discurso”: aula inaugural pronunciada no Collège de France no dia 02 de dezembro de 1970. Tradução de Laura Fraga de Almeida Sampaio. São Paulo: Edições Loyola, 1996.

FRITSCH, Israel. Pelos rios da infância, nos barcos de Santarém: o primeiro livro de Monique Malcher. Organon, Porto Alegre, v. 35, n. 70, p. 1-4, 2020. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/organon/article/view/106095/60249. Acesso em: 28 set. 2022.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. O que significa elaborar o passado? In: GAGNEBIN, Jeanne. Lembrar, Escrever, Esquecer. São Paulo: Editora 34, 2006, p. 97-105.

GOTLIB, Nádia Battella. Teoria do conto. 11. ed. São Paulo: Ática, 2006.

HALBWACHS, Maurice. Memória coletiva. Tradução de Beatriz Sidou. São Paulo: Centauro, 1989.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Tradução Bernardo Leitão [et al.]. Campinas: Editora da UNICAMP, 1990.

LIMA, Luiz Costa. Sociedade e discurso ficcional. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.

LOUREIRO, João de Jesus Paes. Cultura amazônica: uma poética do imaginário. 4. ed.Belém: Cultural Brasil, 2015.

MALCHER, Monique. Flor de gume. São Paulo: Editora Jandaíra, 2020a.

MALCHER, Monique. Flor de gume e a densidade da literatura produzida por mulheres. Entrevista concedida à Cíntia Acosta Kütter. Medium, 2020b. Disponível em: https://medium.com/@moniquemalcher/flor-de-gume-e-a-densidade-da-literatura-produzida-por-mulheres-1d3d04c4cd01. Acesso em: 10 set. 2022.

PINTO, Cristina Ferreira. O Bildungsroman feminino: quatro exemplos brasileiros. São Paulo: Perspectiva, 1990.

RESENDE, Beatriz. A literatura brasileira na era da multiplicidade. In: RESENDE, Beatriz. Contemporâneos: expressões da literatura brasileira no século XXI. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2008, p. 15-40.

SCHØLLHAMMER, Karl Erik. Ficção brasileira contemporânea. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.

TUPIASSÚ, Amarílis. Amazônia, das travessias lusitanas à literatura de agora. Estudos Avançados, São Paulo, vol. 19, n. 53, p. 299-320, 2005. Disponível em: www.scielo.br/pdf/ea/v19n53/24095.pdf. Acesso em 10 dez. 2021.

Downloads

Publicado

2023-12-31

Como Citar

FREIRE FURTADO, R.; DA COSTA OLIVEIRA, K. L.; DEL CASTILO, L. H. M. ENTRE RIOS, BARCOS E REDES: UM ESTUDO DO CONTO BOCA DE LOBO, DE MONIQUE MALCHER. DARANDINA REVISTELETRÔNICA, Juiz de Fora, v. 16, n. 2, p. 120–135, 2023. DOI: 10.34019/1983-8379.2023.v16.40947. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/darandina/article/view/40947. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos - Seção Varia