Language and control –glossopoesis in orwell’s nineteen eighty-fourand elgin’s native tongue

Autores

  • Israel A. C. Noletto
  • Sebastião A. T. Lopes

DOI:

https://doi.org/10.34019/1983-8379.2018.v11.28078

Resumo

Com este artigo, propomosuma leitura comparativa do uso de línguas artificiais como ferramenta narrativaem Mil Novecentos e oitenta e quatro (1949) de George Orwell e Native tongue(1984)de Suzette Haden Elginatinente à relação entre língua e controle. Pierre Bourdieu (1991), Guy Deutscher (2010)e Conley e Cain (2006)subsidiam largamente nossa pesquisa. Os resultados demonstram a similaridade de pensamento entre os dois autores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-09-13

Edição

Seção

Artigos