Sexto Empírico e os animais: tradução espelhada do primeiro tropo de Enesidemo (<i>Esboços Pirrônicos<i> I, 36-79.1)

  • Rodrigo Pinto de Brito Universidade Federal de Sergipe (UFS).
Palavras-chave: tradução, Sexto Empírico, ceticismo, animais, percepção

Resumo

O texto que se segue é uma tradução bilíngue e espelhada de Esboços Pirrônicos I, 36-79.1, do médico e filósofo cético pirrônico Sexto Empírico (II-III d.C.) Os passos traduzidos dizem respeito ao primeiro tropo de Enesidemo, em que são comentadas e comparadas as idiossincrasias dos animais quanto aos seus órgãos dos sentidos, de modo a levar à conclusão de que não há critérios para preferir entre determinadas percepções em detrimento de outras, seguindo-se a suspensão de juízo.

Biografia do Autor

Rodrigo Pinto de Brito, Universidade Federal de Sergipe (UFS).
Graduado em Filosofia (2001-2006) pela UERJ, mestre (2009-2010) e doutor (2011-2013) em Filosofia pela PUC-Rio, pós-doutorado em Filosofias na tardo-antiguidade pela University of Kent-UK (2015) e doutorando do Programa de Pós-graduação em Linguística da UFJF (2018-). É professor de História da Filosofia Clássica e Helenística na UFS (2013).

Referências

BRITO, R. P. Tradução de Sexto Empírico, Esboços Pirrônicos I, 1-30. Bilíngue grego/português e espelhada. Revista Sképsis, v. 1, Traduções em andamento, 2018.

PORCHAT, O. A noção de phainómenon em Sexto Empírico. Analytica, v. 17, nº 2, p. 291-323, 2013.

SEXTO EMPÍRICO. Contra os retóricos. Tradução de Rodrigo P. Brito e Rafael Huguenin. São Paulo: EdUNESP, 2013.

______. Contra os gramáticos. Tradução de Rodrigo P. Brito e Rafael
Huguenin. São Paulo: EdUNESP, 2015.

SEXTUS EMPIRICUS. Sexti Empirici Opera. III vols. MUTSCHMANN, H. (ed.). Leipzig: Bibliotheca Scriptorum Graecorum et Romanorum Teubneriana, 1912.
Publicado
2018-12-17
Seção
Traduções