A tradução e o cruzamento de fronteiras: o caso de Ngugi wa Thiong’o

  • Tiago Horácio Lott mestrando em literatura pela UFJF
Palavras-chave: Ngugi wa Thiong’o, autotradução, ética da tradução, alteridade

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo discutir como a tradução se fez presente na obra do autor queniano Ngugi wa Thiong’o. Filiando-me a teorias acerca da autotradução e às ideias de Antoine Berman, tentei aqui mostrar como a tradução permeou os caminhos do referido autor, constituindo estratégia para que o mesmo pudesse dar conta, de forma dialógica, das diferentes culturas para as quais e a partir das quais produz sua obra. Constatei que Ngugi encontrou, no exercício ético da tradução, um (entre)lugar, por meio do qual pôde dar conta de duas tradições distintas.

 

Palavras-chave: Ngugi wa Thiong’o; autotradução; ética da tradução; alteridade.

 

Abstract

This paper aims at discussing how translation was present in the work of the Kenyan author Ngugi wa Thiong’o. Using theories about the autotranslation and ideas from Antoine Berman, here I try to show how translation intertwined the ways of that author, constituting a strategy so that he could handle, in a dialogic manner, the different cultures from and to he makes his work. I noted that Ngugi found in the ethical exercise of translation, an in-between, through which he could handle two distinct traditions.

 

Key-words: Ngugi wa Thiong’o; autotranslation; translation ethics; otherness.

Referências

BERMAN, Antoine. A tradução e a letra, ou o albergue do longínquo. Trad. Marie-Hélène Catherine Torres, Mauri Furlan, Andréia Guerini. Rio de Janeiro: 7Letras/PGET, 2007 [1985].

GANDHI, Leela. Post-colonial theory: a critical introduction. N. York: Columbia UP, 1998.

GRUTMAN, Rainier. Autotranslation. In: BAKER, Mona. (Ed.). Routledge encyclopedia of translation studies. London: Routledge, 1998. p. 17-20.

NGUGI WA THIONG’O. Decolonising the mind: The politics of language in African literature. Nairobi: EAEP, 1997.

_____________________. Secret Lives.1 ed. Nairobi: East African Educational Publishers, 1975.

OLIVEIRA, Maria Clara Castellões de. Aspectos políticos da tradução: o caso de Franz Rosenzweig. Claritas: Revista do Departamento de Inglês da PUC-SP, São Paulo, n. 1, p. 7-15, jan.-dez., 2003.

REIS, Eliana Lourenço de Lima. Pós-colonialismo, identidade e mestiçagem cultural: a literatura de Wole Soyinka. Rio de Janeiro: Relume-Dumará; Salvador, BA: Fundação Cultural do Estado da Bahia, 1999.

SANTIAGO, Silviano. O entre-lugar do discurso latino americano. In: ---. Uma literatura nos trópicos. 2 ed. Rio de Janeiro. Rocco, 2000.

TANQUEIRO, H. Autotradução: autoridade, privilégio e modelo. Tese de Doutorado inédita. Barcelona: Universidade Autônoma de Barcelona, 2002.

TYMOCZKO, Maria. Post-colonial writing and literary translation. In: BASSNETT, Susan; TRIVEDI, Harish. Postcolonial translation: theory and practice. London, Routledge, 1999. p. 19-40.

UPDIKE, John. Extended performance. Disponível em http://archives.newyorker.com/?iid=15159&startpage=page0000076. Acesso em: 8 de Abril, 2012.

VIEIRA, Else Ribeiro Pires. Fragmentos de uma história de travessias: tradução e (re)criação na pós-modernidade brasileira e hispano-americana. Revista de Estudos de Literatura. Belo Horizonte: UFMG, v.4, p. 61-80, out. 96.
Publicado
2015-08-17
Seção
Artigos