Um estudo dos pareceres dos especialistas no processo de elaboração da Base Nacional Comum Curricular de Matemática: primeiras aproximações

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/2594-4673.2023.v7.41166

Palavras-chave:

Concepções de matemática escolar, autoria docente, propostas curriculares brasileiras, base nacional comum curricular, sociologia das ausências e das emergências

Resumo

O texto apresenta parte de um projeto de pesquisa cujo objetivo é analisar as propostas curriculares no Brasil desde 1929 até 2019, com o intuito de identificar as concepções de matemática escolar e de ensino presentes em cada uma delas. A pesquisa busca discutir os contextos de produção/formulação de cada proposta curricular em termos da autoria docente em sua elaboração. Estudos anteriores indicam que, em geral, as propostas curriculares brasileiras são prescritivas e não levam em conta a prática docente em andamento, ressaltando a importância de políticas curriculares que promovam a autoria docente em detrimento da predominância dos especialistas. O texto apresenta uma análise do processo de elaboração da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), colocando em foco os pareceres dos leitores críticos de matemática produzidos entre a primeira e a segunda versão do documento em 2016, utilizando como base as ideias da Sociologia das Ausências e das Emergências, tal como proposta por Santos (2002). Os resultados preliminares apontam para a necessidade de identificar políticas curriculares que valorizem a autoria docente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Referências

AUGUSTO, Alcilea. Parecer sobre o documento de Matemática. [s.l.]. 2016. Disponível

em:

http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/relatorios-analiticos/Alcilea_Augusto_MATEM

ATICA.pdf. Acesso em: 20 jul. 2020.

CARVALHO, Paulo Cezar Pinto. Parecer sobre o documento da Matemática na Base

Curricular Nacional Comum. FGV-RJ. 2016. Disponível em:

http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/relatorios-analiticos/Paulo_Cezar_Pinto_Carval

ho.pdf. Acesso em: 20 jul. 2020.

COSTA, H. H. C. C.; LOPES, A. R. C. O conhecimento como resposta curricular. RBE -

Revista Brasileira de Educação, v. 27, p. 1-23, 2021.

https://doi.org/10.1590/S1413-24782022270024.

D’AMBROSIO, U. Por que se ensina matemática? (Disciplina à distância oferecida pela

SBEM). SBEM: São Paulo, 2003. Disponível em:

https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/5793818/mod_resource/content/1/Ubiratan%20DAm

brosio%20-%20Por%20que%20se%20ensina%20matem%C3%A1tica.pdf. Acesso em: 09.

mai. 2023.

______. Matemática, ensino e educação: uma proposta global. Temas & Debates, v. 1, n. 3,

p. 1-15, 1991. http://www.sbemrevista.com.br/revista/index.php/td/article/view/2602/1803.

______. Uma história concisa da Matemática no Brasil. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2017.

DRUCK, Iole de Freitas. Leitura crítica do documento de matemática na BNCC.

IME-USP. 2016. Disponível em:

http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/relatorios-analiticos/Iole_de_Freitas_Druck.pdf

. Acesso em: 20 jul. 2020.

GRAVINA, Maria Alice. Leitura crítica do documento de matemática na BNCC. UFRGS.

Disponível em:

http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/relatorios-analiticos/Maria_Alice_Gravina_MA

TEMATICA.pdf. Acesso em: 20 jul. 2020.

MORAIS, R. S.; VALENTE, W. R. Os experts e o saber profissional do professor que ensina

matemática. Ciência & Educação, v. 26, e20029, p. 1-13. 2020.

https://doi.org/10.1590/1516-731320200029.

MUNIZ, Cristiano Alberto. A Matemática na Educação Infantil e nos Anos Iniciais da

BNC. UnB. 2016. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/relatorios-analiticos/Cristiano_Alberto_Muniz.

pdf. Acesso em: 20 jul. 2020.

NACARATO, Adair Mendes. Parecer - Base Nacional Curricular Comum (BNCC): Área

de Matemática. USF. 2016. Disponível em:

http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/relatorios-analiticos/Adair_Mendes_Nacarato.p

df. Acesso em: 20 jul. 2020.

PASSOS, Cármen Lúcia Brancaglion. Parecer sobre documento da Base Nacional Comun

Curricular Matemática - Ensino Fundamental. UFSCar. 2016. Disponível em:

http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/relatorios-analiticos/Carmen_Lucia_Brancaglio

n_Passos.pdf. Acesso em: 20 jul. 2020.

SANTOS, B. de S. Para uma sociologia das ausências e uma sociologia das emergências

Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 63, p. 237-280, 2002.

https://doi.org/10.4000/rccs.1285.

______. Renovar a teoria crítica e reinventar a emancipação social. São Paulo: Boitempo

Editorial, 2007.

SOBRINHO, R. P.; ROMEIRO, A. R. Breve introdução a multimetodologia aplicada à

governança e apoio à decisão em sistemas socioecológicos complexos. Labor e Engenho, v.

, n. 3, p. 91-96, 2014. https://doi.org/10.20396/lobore.v8i3.209.

VALENTE, W. R. Os experts e os currículos de Matemática. REAMEC - Rede Amazônica

de Educação em Ciências e Matemática, v. 9, n. 3, e21090, p. 1-12, 2021.

https://doi.org/10.26571/reamec.v9i3.13033.

______; ALMEIDA, A. F.; SILVA, M. C. Saberes em (trans)formação e o papel dos experts:

currículos, ensino de matemática e formação de professores, 1920-2020. Acta Scientiae -

Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 22, n. 5, p. 65-83, 2020.

https://doi.org/10.17648/acta.scientiae.6004.

VALLE, J. C. A. A autoria docente nos processos de elaboração curricular de Matemática:

perspectivas para a pesquisa. Educação Matemática em Revista-RS, v. 1, n. 22, p. 89-96,

a. https://doi.org/10.37001/EMR-RS.v.1.n.22.2021.p.89-96.

______. Apontamentos sobre as ausências da Base Nacional Comum Curricular de

Matemática. Revemop, v. 3, p. e202122, 2021b. https://doi.org/10.33532/revemop.e202122.

______. Os currículos e suas políticas sob as perspectivas socioculturais da Educação

Matemática: das prescrições aos currículos pensadospraticados. In: XIV Colóquio

Internacional “Educação e Contrmporaneidade”. Anais Educon 2020, São Cristóvão/SE,

v. 14, n. 14, p. 1-20, set. 2020. Disponível em: https://repositorio.usp.br/directbitstream/0fbd4e32-089e-487f-b3d9-589768427d75/3014226.p

df. Acesso em: 09 mai. 2023.

______. Matemática escolar e autoria docente na produção curricular brasileira (1929-2019).

REnCiMa - Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 13, n. 6, p. 1-18, 2022.

https://doi.org/10.26843/rencima.v13n6a29.

ENAPHEM. 5 Enaphem - Mesa I - A história da Educação Matemática e o panorama

curricular do presente. YouTube, 14 nov. 2020. Disponível em:

https://www.youtube.com/watch?v=jGCHqtbPj9U. Acesso em: 20 jun. 2021.

Downloads

Publicado

2023-08-14

Como Citar

VALLE, J. C. A. do .; CANALE, R. A. M. Um estudo dos pareceres dos especialistas no processo de elaboração da Base Nacional Comum Curricular de Matemática: primeiras aproximações. Revista de Investigação e Divulgação em Educação Matemática , [S. l.], v. 7, n. 1, 2023. DOI: 10.34019/2594-4673.2023.v7.41166. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/ridema/article/view/41166. Acesso em: 22 jun. 2024.

Edição

Seção

GT 19 - Educação Matemática - Trabalhos das Reuniões Regionais da Anped – 2022