Educação Matemática e Ciência

Autores

  • Denizalde Jesiél Rodrigues Pereira UNEMAT https://orcid.org/0000-0003-1442-152X
  • João Carlos Gilli Martins Universidade Federal de Santa Maria/professor aposentado
  • Antenor Parolin Júnior Universidade do Estado de Mato Grosso/Egresso

Palavras-chave:

Materialismo Histórico Dialético, Filosofia da Ciência, Educação, Educação Matemática, Indisciplinarização

Resumo

Indagamos, inicialmente, se a Educação Matemática poderia ser considerada uma ciência. A partir dessa indagação, mergulhamos em autores e autoras da História e Filosofia da Ciência, sobretudo Fara (2014), Andery (2014) e Chalmers (1993), para saber o que esses autores dizem a respeito da temática, como conceituam, que relações estabelecem com os períodos históricos vividos pela humanidade e as respectivas correntes filosóficas inerentes a esses processos. Nosso viés teórico fundamental foi o materialismo histórico dialético, com metodologia de tipo qualitativa, sobretudo revisão bibliográfica. Revisitamos os grandes clássicos da história e as formas como esses apresentaram seus feitos à humanidade, desde o Egito e a Babilônia, passando pela Grécia Antiga e, sobretudo, com seu apogeu com a chegada do conhecimento à Europa, quando se globaliza e se universaliza. Chalmers (1993), por sua vez, é convocado, com suas formulações categorizantes, no campo da Filosofia da Ciência, levantando pilares e derrubando-os um a um, a partir das contradições em seus próprios termos. Aproximamos suas conclusões das de dois textos, críticos da mesma forma, de Miguel (2004 e 2022), e sua proposição conceitual edificante, que consideramos revolucionária, de indisciplinarização. Ao final, oferecemos respostas, sobre nossas indagações, assentados nas conclusões de nossos autores prioritários, relacionando-as, de modo crítico, a um certo poder mítico à ideia de ciência, que as gerações trataram de criar e sustentar, e que podem gerar práticas sociais excludentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Denizalde Jesiél Rodrigues Pereira, UNEMAT

Possui graduação em Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1987), especialização em Pós-Graduação em Cinema pela Universidade de Cuiabá(2088), mestrado em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho(1995) e doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas(2005). Atualmente é Professor Assistente da Universidade do Estado de Mato Grosso, Professor do Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, Coordenador de Subprojeto do Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, Membro de corpo editorial do Livro do PIBID da UNEMAT e Revisor de periódico da Revista da Faculdade de Educação - UNEMAT. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Matemática. Atuando principalmente nos seguintes temas:Democracia, Educação Matemática, História de Instituições, Materialismo Histórico Dialético, Sociedade Brasileira de Educação Matemática. 

João Carlos Gilli Martins, Universidade Federal de Santa Maria/professor aposentado

Possui mestrado em Matemática Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (1991) e doutorado em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista (2005). Atualmente é professor associado I, da Universidade Federal de Santa Maria. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: matemática dos processos de difusão e convecção, filosofia das ciências e da matemática, história da matemática, formação de professores. 

Antenor Parolin Júnior, Universidade do Estado de Mato Grosso/Egresso

Graduado em Licenciatura Plena em Letras Português/Inglês. Professor de Língua Portuguesa e Literatura em escolas públicas e rede privada do Estado de São Paulo

Referências

ANDERY, M.A. (Org.) et al. Para Compreender a Ciência: uma nova perspectiva histórica. 4. ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2014.

CHALMERS, A.F. O que é ciência afinal? São Paulo: Brasiliense,1993.

FARA, P. Uma Breve História da Ciência. São Paulo: Fundamento, 2014.

IGLIORI, S.B.C (Org.) et al. A educação matemática: breve histórico, ações implementadas e questões sobre disciplinarização. Revista Brasileira de Educação, n. 27, dez/2024, p. 70-93.

KUHN, T.S. A Estrutura das Revoluções Científicas. 13. ed. Rio de Janeiro: Perspectiva, 2017.

LAVE, J. A Selvageria da Mente Domesticada. Revista Crítica de Ciências Sociais. Berkeley, n. 46, out/1996, p. 109-134.

MARCONI, M.A.; LAKATOS, E.M. Fundamentos de Metodologia Científica. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2017.

MIGUEL, A. Dialogar é preciso, mas...com formas de vida, não com disciplinas...pois, viver, precisa ser preciso... Mesa de Abertura do 6º. Florianópolis, SC: ENAPHEM, nov/2022, (mimeo)

MIORIM, M.A. Introdução à História da Educação Matemática. São Paulo: Atual, 1998.

PITOMBEIRA, J. O que é a Educação Matemática? TEMAS & DEBATES. Rio Claro, SP: Sociedade Brasileira de Educação Matemática – SBEM, ano IV, n. 3, 1991.

PLEKHANOV, G. A Concepção Materialista da História. 7. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1987.

RUSSEL, B. História do Pensamento Ocidental: a aventura dos pré-socráticos a Wittgeistein. Rio de Janeiro: Ediouro, 2001.

SANTOS, B.S (Org.) Conhecimento Prudente para uma Vida Decente: “Um Discurso Sobre as Ciências’ revisitado. São Paulo: Cortez, 2004.

TRIVIÑOS, A.N.S. Introdução à Pesquisa em Ciências Sociais: a Pesquisa Qualitativa em Educação. São Paulo: Atlas, 1987.

ZIZEK, S. Como Marx Inventou o Sintoma? In: ZIZEK, S. et al. Um Mapa da Ideologia. Rio de Janeiro: Contraponto,1996.

Downloads

Publicado

2023-04-03

Como Citar

PEREIRA, D. J. R.; MARTINS, J. C. G. .; PAROLIN JÚNIOR, A. Educação Matemática e Ciência. Revista de Investigação e Divulgação em Educação Matemática , [S. l.], v. 7, n. 1, 2023. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/ridema/article/view/38525. Acesso em: 4 dez. 2023.

Edição

Seção

Artigos