Brincar, movimentar e fazer matemática na Educação Infantil

Autores

Palavras-chave:

Complexidade, Práticas pedagógicas, Conhecimento matemático, Aprendizagem matemática, Dialogicidade.

Resumo

Este artigo tem o objetivo de identificar práticas pedagógicas que evidenciam o diálogo entre saberes, ao considerar a tríade Educação Matemática brincadeiras corpo em movimento como um sistema vivo, porquanto, complexo.  Esse objetivo decorre de uma investigação que colocou em pauta a articulação entre os elementos dessa tríade e como estes podem subsidiar práticas pedagógicas sistêmicas, analíticas e multidimensionais. O estudo resulta de uma pesquisa qualitativa, do tipo exploratória, de natureza interpretativa, realizada com três professoras atuantes na Educação Infantil. O processo de produção de dados ocorreu em rodas de conversa geradas a partir da observação de imagens de brincadeiras que envolvem o corpo em movimento. A organização de dados teve inspiração em Bardin (2016), e as categorias de análise, no aporte teórico da complexidade. A análise revela que, se a dialogocidade entre saberes for constitutiva da prática pedagógica, a potencialidade de brincadeiras envolvendo o corpo em movimento pode se converter em oportunidade de aprendizagem matemática na Educação Infantil. Os resultados permitem afirmar que, na prática pedagógica dialógica, o brincar, o movimentar e o fazer Matemática podem ocorrer como um movimento síncrono e conexo à construção do conhecimento matemático na Educação Infantil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Paulo Robson Duarte Barbosa, Rede Municipal de Curitiba

[1] Doutorando em Educação pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) Mestre em Educação: Teoria e Prática de Ensino pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Professor da Rede Municipal de Curitiba. Paraná, Brasil. Endereço para correspondência: Rua Monsenhor Manoel Vicente, nº 842, ap. 203 Bairro Água Verde, Curitiba, Paraná, Brasil, CEP: 80620-230. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-7885-6106. Lattes: http://lattes.cnpq.br/2083879579818623. E-mail: paulorob84@hotmail.com.

Ettiène Guérios, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Professora Titular na Universidade Federal do Paraná. Doutorado em Educação Matemática pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Atua no Departamento de Teoria e Prática de Ensino, no Programa de Pós-Graduação em Educação (Acadêmico) e no Programa de Pós-Graduação em Educação: Teoria e Prática de Ensino (Profissional). Membro dos seguintes Grupos de Pesquisa certificados: a) Cognição, Aprendizagem e Desenvolvimento Humano, b) Ensino e Aprendizagem de Ciências e Matemática e (c) Estudos e Pesquisa Pedagogia, Complexidade e Educação. Líder do grupo TESSITURA: Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Complexidade, Formação de Professores e Educação Matemática.

Referências

BARBOSA, P. R. D. Conhecimentos matemáticos presentes em brincadeiras da

educação infantil que envolvem o corpo em movimento. 2020. 120 f. Dissertação

(Mestrado em Educação: Teoria e Prática de Ensino) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2020. Disponível em:

https://www.prppg.ufpr.br/siga/visitante/trabalhoConclusaoWS?idpessoal=57247&idprograma=40001016080P7&anobase=2020&idtc=70. Acesso em: 30 jul. 2021.

BARBOSA, P.; GUÉRIOS, E. Articulações entre educação matemática, brincadeiras e corpo em movimento na educação infantil na perspectiva da complexidade ReviSeM. Dossiê Educação Matemática na Educação Infantil. v. 6, n. 2, p. 165-181, 2021. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/ReviSe/article/view/16012. Acesso em: 30 jul. 2021.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BEHRENS, M. A.; PRIGOL, E. L. Prática docente: das teorias críticas à teoria da complexidade. In: SÁ, R. A.; BEHRENS, M. A. Teoria da complexidade: contribuições epistemológicas e metodológicas para uma pedagogia complexa. Curitiba: Appris, 2019. p. 65-86.

BOGDAN, R. C.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Portugal: Porto Editora, 1994.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/CONSED/UNDIME, 2017. Disponível em: http://www.basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso em: 23 jul. 2021.

CAMARGO, G. G. de; BAGNE, J.; BOLOGNANI, M. S. F.; COLETTI, S. Desenvolvimento do pensamento algébrico com crianças?... possibilidades de práticas na educação infantil. In: NACARATO, A. M.; CUSTÓDIO, I. A. O Desenvolvimento do Pensamento Algébrico na Educação Básica: Compartilhando Propostas de Sala de Aula com o Professor que Ensina (Ensinará) Matemática. Brasília: Sociedade Brasileira de Educação Matemática, 2018. p. 25-70. E-book. Disponível em: http://www.sbembrasil.org.br/files/ebook_desenv.pdf. Acesso em: 23 jul. 2021.

DA COSTA, L. P.; VERRENGIA, S. R. D.; PAVANELLO, R. M.; OLIVEIRA, L. L. A. de; CARLI, F. A. R. de; TRONDOLI, A. J. P. C. A geometria na educação infantil: O quê? Por quê? Como? Curitiba: CRV, 2018.

FREIRE, J. B. Educação de corpo inteiro: teoria e prática da educação básica. São Paulo: Scipione, 1989.

GALLAHUE, D. L. OZMUN, J. C. Compreendendo o desenvolvimento motor: bebês, crianças, adolescentes e adultos. São Paulo: Phorte, 2005.

GARANHANI, M. C. O movimento da criança no contexto da educação infantil: reflexões com base nos estudos de Wallon. Revista Contrapontos, Itajaí, v. 5, n. 1, p. 81-93, 2005. Disponível em: https://siaiap32.univali.br/seer/index.php/rc/article/view/807. Acesso em: 31 jul. 2021.

GARANHANI, M. C; NALDONY, L. F. O movimento do corpo infantil: uma linguagem da criança. São Paulo: Ed. da UNESP, 2011, p. 65-74. Disponível em: https://acervodigital.unesp.br/handle/123456789/447. Acesso em: 23 jul. 2021.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2019.

GUÉRIOS, E. C. Espaços oficiais e intersticiais da formação docente: histórias de um grupo de professores na área de ciências e matemática 2002. 234 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, 2002. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/253667. Acesso em: 30 jul. 2021.

KAMII, C. A criança e o número: implicações educacionais da teoria de Piaget para a atuação junto a escolares de 4 a 6 anos. Campinas, SP: Papirus, 1984.

KAMII, C. Reinventando a aritmética: implicações da teoria de Piaget. 4. ed. Campinas: Papirus, 1991.

KAMII, C. Aritmética: novas perspectivas – implicações da teoria de Piaget. 4. ed. Campinas: Papirus, 1995.

KAMII, C. Crianças pequenas reinventam a aritmética: implicações da teoria de Piaget. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2002.

KAMII, C. Crianças pequenas continuam reinventando a aritmética: implicações da teoria de Piaget. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2005.

KAMII, C. Jogos em grupo na educação infantil: implicações da teoria de Piaget. Porto Alegre: Artmed, 2009.

LE BOULCH, J. O desenvolvimento psicomotor: do nascimento aos 6 anos. Porto Alegre: Artmed, 1982.

LE BOULCH, J. A educação do movimento: a psiconética na idade escolar. Porto Alegre: Artmed, 1983.

LIMA, D. T. de. Corpo(s) em movimento na educação física infantil: contribuições na perspectiva histórico-crítica. 2019. 147 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, Bauru, SP, 2019. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/181791/lima_dt_me_bauru.pdf?sequence=3&isAllowed=y. Acesso em: 23 jul. 2021.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 2. ed. Rio de Janeiro: EPU, 2018.

MARTINS, M. S.; BIEMBENGUT, M. S. Educação Física & Educação Matemática na Pré-Escola. In: XII EBRAPEM – Encontro Brasileiro de Estudantes de Pós-graduação em Educação Matemática, 2008, Rio Claro, SP. Anais […]. Rio Claro, SP: EBRAPEM – Educação Matemática: possibilidades de interlocução / GT 11 – Práticas Educativas em Educação Matemática, 2008.

MORAES, M. C. Questões curriculares contemporâneas no âmbito da complexidade e da transdisciplinaridade. In: SÁ, R. A.; BEHRENS, M. A. Teoria da complexidade: contribuições epistemológicas e metodológicas para uma pedagogia complexa. Curitiba: Appris, 2019, p. 99-138.

MORIN, E. A cabeça bem feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000.

MORIN, E. Ciência com consciência. 8. ed. Rio de Janeiro: Bertrand, 2005.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 4. ed. Brasília: Cortez, 2011.

MORIN, E. Ensinar a viver: manifesto para mudar a educação. Porto Alegre: Sulina, 2015.

SMOLE, K. C. S. A matemática na educação infantil: a teoria das inteligências múltiplas na prática escolar. Porto Alegre: Penso, 2000.

SMOLE, K. C. S.; DINIZ, M. I.; CÂNDIDO, P. Brincadeiras infantis nas aulas de matemática. Porto Alegre: Artmed, 2000.

Downloads

Publicado

2021-10-31

Como Citar

DUARTE BARBOSA, P. R.; GUÉRIOS, E. Brincar, movimentar e fazer matemática na Educação Infantil. Revista de Investigação e Divulgação em Educação Matemática , [S. l.], v. 5, n. 1, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/ridema/article/view/35178. Acesso em: 2 dez. 2021.

Edição

Seção

Ensino e aprendizagem de Matemática para a Educação Infantil