Vamos brincar, jogar e criar com prazer nas aulas de matemática no curso de Pedagogia!

  • Sandra Alves de Oliveira
Palavras-chave: Formação Matemática, Experiências formativas, Vivências lúdicas e problematizadoras, Processo de ensino e aprendizagem

Resumo

Este relato de experiência tem por objetivo compartilhar alguns momentos experienciados nas aulas de matemática pelos estudantes do 7° semestre dos turnos matutino e noturno do curso de Pedagogia do Departamento de Educação de Guanambi – Campus XII da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), no componente curricular: Fundamentos Teóricos Metodológicos do Ensino de Matemática, no período 2016.1. As atividades lúdicas matemáticas (dinâmicas, brincadeiras, jogos e elaboração de situações-problema) desenvolvidas nos encontros formativos propiciaram reflexões sobre o processo de ensino e aprendizagem da matemática na educação básica e sobre a importância de vivenciar o conhecimento teórico e prático no percurso da formação, para pôr em prática os conhecimentos adquiridos na teoria. A metodologia utilizada neste trabalho partiu da análise dos diários reflexivos produzidos pelos estudantes no período de julho a dezembro de 2016, no componente curricular já mencionado. Essa análise evidenciou a relevância da formação matemática no contexto do curso de Pedagogia para o desenvolvimento profissional dos futuros professores, na dimensão do trabalho colaborativo, ao proporcionar-lhes o compartilhamento de suas experiências, saberes e aprendizagens da prática pedagógica. Os resultados apontam a importância das vivências lúdicas matemáticas para a formação docente, pela mobilização e pela construção dos saberes da prática pedagógica e pela inserção do licenciando no âmbito escolar, para aprender a docência e ressignificar a própria prática pedagógica.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação e do Deporto/Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998.
DIAS, Magnara Moreira Santos; NUNES, Cláudio Pinto; CRUSOÉ, Nilma Margarida de Castro. A ludicidade como componente curricular na formação de professores. In: NUNES, Cláudio Pinto; FAGUNDES, Heldina, Pereira Pinto. Formação de professores: questões contemporâneas. Curitiba-PR: CRV, 2014. p.19- 35.
FREIRE, Paulo.
Pedagogia da autonomia saberes necessários à prática educativa. 43.
ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011.
GIUGNO, Jane Lourdes Dal Pai. Desvelando a mediação do professor em sala de aula: uma análise sob as perspectivas de Vygotski e Feuerstein. 2002. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, PPGEDU/UFRGS, 2002.
GRANDO, Regina Célia. O jogo e a matemática no contexto da sala de aula. São Paulo: Paulus, 2004.
KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Salas de aulas nas escolas infantis e o uso de brinquedos e materiais pedagógicos. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 23., 2000, Caxambu-MG. Disponível em: 23reuniao.anped.org.br/textos/0722t.pdf. Acesso em: 04 fev. 2019.
MALUF, Angela Cristina Munhoz.
Brincar : prazer e aprendizado. 6. ed. Petrópolis, RJ:
Vozes, 2009.
MIZUKAMI, Maria das Graças Nicoletti. Aprendizagem da docência: conhecimento específico, contextos e práticas pedagógicas. In: NACARATO, Adair Mendes; PAIVA, Maria Auxiliadora Vilela (org.). A formação do professor que ensina matemática: perspectivas e pesquisas. Belo Horizonte: Autêntica, 2006. p. 213-231.
OLIVEIRA, Sandra Alves de; CARVALHO, Maria de Fátima Pereira; PRADO, Jany Rodrigues. Atividades lúdicas na educação infantil: re-significando a prática pedagógica. Revista Eletrónica de Educação e Psicologia (EduPsi), Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) – Vila Real-Portugal, Ano1, v. 1, p. 39-46, 2014. ISSN 2183-3990.
OLIVEIRA, Sandra Alves de; SILVA, Daniel de Jesus. A ludicidade na formação docente e em aulas de matemática: saberes e aprendizagens da prática pedagógica. In: SILVA, Claudionor Renato da. MATEludicando: ensaios sobre filosofia, matemática e ludicidade. Curitiba: Appris, 2017. p. 119-148.
OLIVEIRA, Sandra Alves de; PASSOS, Cármen Lúcia Brancaglion. Trabalho colaborativo e o desenvolvimento profissional de um grupo de professores dos anos iniciais: olhar para resolução de problemas. Cad. Pesq., São Luís, v. 24, n. Especial, p. 192-207, set./dez. 2017.
PIMENTA, Selma Garrido. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In: PIMENTA, Selma Garrido. Saberes pedagógicos e atividade docente. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2008. p. 15-34.
PONTE, João Pedro da et al. O contributo dos estudos de aula para as aprendizagens profissionais dos professores. In: FLORES, Maria Assunção (org.). Formação e desenvolvimento profissional de professores: contributos internacionais. Coimbra-Portugal: Almedina, 2014. p. 171-191.
SANTOS, Santa Marli Pires dos. O brincar na escola: metodologia lúdico-vivencial, coletânea de jogos, brinquedos e dinâmicas. 2. ed. Petrópolis,RJ: Vozes, 2011.
SANTOS, Santa Marli Pires dos; CRUZ, Dulce Regina Mesquita da. O lúdico na formação do educador. In: SANTOS, Santa Marli Pires dos (org.). O lúdico na formação do educador. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007. p. 11-17.
SERRAZINA, Maria de Lurdes. A formação para o ensino da matemática: perspectivas futuras. In: SERRAZINA, Maria de Lurdes (Ed.). A formação para o ensino da matemática na educação pré-escolar e no 1º ciclo do ensino básico. Lisboa: INAFOP; Porto Editora, 2002. p. 9-19.
SMOLE, Kátia Cristina Stocco; DINIZ, Maria Ignez; CÂNDIDO, Patrícia. Resolução de problemas: matemática de 0 a 6. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.
SMOLE, Kátia Cristina Stocco et al. Era uma vez na matemática: uma conexão com a literatura infantil. 4. ed. São Paulo: IME-USP, 2001.
UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA. Departamento de Educação (DEDC) – Campus XII. Projeto de reconhecimento do curso licenciatura em Pedagogia. Guanambi-BA, 2010.
Publicado
2019-03-14
Seção
Relatos de Experiência