A jornada de trabalho e suas possíveis implicações ao trabalho dos professores de anos iniciais da Rede Municipal de Rio Branco - Acre

Autores

  • Soraia dos Santos UFAC
  • Ednacelí Abreu Damasceno Universidade Federal do Acre

DOI:

https://doi.org/10.34019/1984-5499.2020.v22.30029

Palavras-chave:

Jornada de trabalho, Rede municipal de Rio Branco, Trabalho docente

Resumo

Este estudo se conformou a partir de uma investigação que teve como objetivo analisar a jornada de trabalho de professores dos anos iniciais da Rede Municipal de Rio Branco e suas possíveis implicações ao trabalho docente. Foram sujeitos do estudo cinquenta professores distribuídos em oito escolas, que responderam a um questionário autoaplicável. Constatou-se que os docentes possuem contratos de trabalho com jornada compatível com a estabelecida no Plano de Cargos, Carreira e Remuneração dos servidores do Magistério de Rio Branco de vinte e cinco horas semanais. No entanto, ao longo da pesquisa, evidencia-se o processo de intensificação da jornada, motivada dentro outros fatores pelo prolongamento da jornada, ocasionada pelo excesso de demandas ligadas a docência, pelo acúmulo de contratos e pelo número de alunos nas turmas.

Biografia do Autor

Ednacelí Abreu Damasceno, Universidade Federal do Acre

Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), Mestrado em Educação pela Universidade de Campinas (UNICAMP) e doutorado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professora Adjunta da Universidade Federal do Acre e Vice coordenadora do Programa de Pós- graduação em Educação.

Referências

ACRE. Lei nº 35/2017. DOE nº. 12.206, de 22 de dezembro de 2017.

______. Secretaria de Estado de Educação e Esporte. Resolução nº 160/2012. Estabelece orientações e procedimentos operacionais gerais para a Educação Básica no âmbito dos Sistemas de Ensino Estadual e Municipais do Acre. Rio Branco, jul.2012.

DAL ROSSO, S. Jornada de trabalho. In:OLIVEIRA, D.A.; DUARTE, A.M.C.; VIEIRA, L.M.F. DICIONÁRIO: trabalho, profissão e condição docente. Belo Horizonte: UFMG/Faculdade de Educação, 2010.

GOUVEIA, Andréa Barbosa; CRUZ, Rosana Evangelista da; OLIVEIRA, João Ferreira de; CAMARGO, Rubens Barbosa de. Condições de trabalho docente, ensino de qualidade e custo-aluno-ano. RBPAE – v.22, n.2, p. 253-276, jul./dez. 2006. Acesso em 07 de outubro de 2019.

GROCHOSKA, Márcia Andreia. Políticas educacionais e a valorização do professor: carreira e qualidade de vida dos professores de educação básica do município de São José dos Pinhais/PR. 2015, 269 f. Tese (Doutorado em Educação) – Setor de Educação da UFPR. Universidade Federal do Paraná, Paraná.

HYPOLITO, Álvaro Moreira; VIEIRA, Jarbas Santos; PIZZI, Laura Cristina Vieira. Reestruturação Curricular e Autointensificação do Trabalho Docente. Currículo sem Fronteiras, v.9, n.2, pp.100-112, Jul/Dez 2009.

OLIVEIRA, Dalila Andrade; VIERA, Lívia Fraga. Trabalho docente na Educação Básica no Brasil: as condições de trabalho. In: OLIVEIRA, D.A.; e VIEIRA, L.F. (org.) Trabalho na educação básica: a condição docente em sete estados brasileiros, Belo Horizonte, MG: Fino Traço, 2012.

OLIVEIRA, Dalila Andrade. Restruturação do trabalho docente: precarização e flexibilização. Educação & Sociedade. Dez 2008, vol.2, Nº 89, P.1127-1144.

SILVA, Clícia Rodrigues. O professor dos anos iniciais do ensino fundamental e as reformas educacionais: implicações na sua atuação política e pedagógica. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Acre, Programa de Pós-Graduação em Educação, Mestrado em Educação. Rio Branco, 2017.

TARDIF, M.; LESSARD, C. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

Downloads

Publicado

2020-11-30

Edição

Seção

Artigos