Prevalência de enterobactérias produtoras de Klebsiella pneumoniae carbapenemase em culturas de vigilância epidemiológica em unidade de terapia intensiva de um hospital de ensino de Minas Gerais

  • Patricia Guedes Garcia Faculdade de Ciências Medicas e da Saúde de Juiz de Fora
  • Isabela Aparecida Ribeiro da Silva Faculdade de Ciências Medicas e da Saúde de Juiz de Fora
  • Laura Alcantara Damianse Faculdade de Ciências Medicas e da Saúde de Juiz de Fora
  • Leonardo Romaniello Gama de Oliveira Faculdade de Ciências Medicas e da Saúde de Juiz de Fora
  • Rafael Andrade Schettino de Azevedo Faculdade de Ciências Medicas e da Saúde de Juiz de Fora
Palavras-chave: Enterobacteriaceae. Unidade de Terapia Intensiva. Vigilância Epidemiológica

Resumo

O crescente aumento de bactérias multirresistentes no ambiente hospitalar e a falta de opções terapêuticas a curto e médio prazo tem se tornado um grande desafio para o controle das infecções relacionadas à assistência à saúde. As infecções por enterobactérias produtoras de Klebsiella pneumoniae carbapenemase (KPC), vem se destacando como a de maior risco para os pacientes debilitados que internam nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). O objetivo do trabalho foi identificar a prevalência de KPC em culturas de vigilância epidemiológica de amostras de swab retal de pacientes internados nas UTI´s adulto, neonatal e pediátrica de um Hospital de Ensino de Minas Gerais, no período de janeiro a julho de 2014. Realizou-se um estudo transversal descritivo retrospectivo onde os dados foram analisados a partir dos registros dos livros do laboratório de microbiologia do hospital. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa número do parecer 948.342. Foram analisadas 422 amostras de swab retal, sendo que 367 (86,9%) eram provenientes das UTIs adulto e 55 (13%) da UTI neonatal e pediátrica. Foram positivas para KPC 31 (7,3%) das quais 21 eram da UTI adulto e 10 da UTI neonatal e pediátrica. Das 31 culturas positivas para KPC uma (3%) foi em Escherichia coli, quatro (13%) em Enterobacter sp e 26 (84%) em Klebsiella pneumoniae. A detecção laboratorial de enterobactérias produtoras de KPC exprime a importância das culturas de vigilância epidemiológica na rotina como medida de prevenção e controle da disseminação desses microrganismos multirresistentes, principalmente nas UTIs.

 

Biografia do Autor

Patricia Guedes Garcia, Faculdade de Ciências Medicas e da Saúde de Juiz de Fora

Farmacêutica - Bioquímica

Mestre em Saúde - UFJF

Profa. SUPREMA

Isabela Aparecida Ribeiro da Silva, Faculdade de Ciências Medicas e da Saúde de Juiz de Fora
Graduada em Farmácia e Especialista em análises clínicas pela Suprema
Laura Alcantara Damianse, Faculdade de Ciências Medicas e da Saúde de Juiz de Fora
Graduanda em medicina pela Suprema
Leonardo Romaniello Gama de Oliveira, Faculdade de Ciências Medicas e da Saúde de Juiz de Fora
Graduando em medicina pela Suprema
Rafael Andrade Schettino de Azevedo, Faculdade de Ciências Medicas e da Saúde de Juiz de Fora
Graduando em medicina pela Suprema

Referências

ALVES, A. P; BEHAR, P. R. P. Infecções hospitalares por Enterobactérias produtoras de KPC em um hospital terciário do sul do Brasil. Revista da AMRIGS, Porto Alegre, v. 57, n. 3, p.213-218, jul./set. 2013.

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA (ANVISA). NBR N°2616/1998: Medidas de prevenção e controle de infecções por enterobactérias multirresistentes. Brasília, 1998. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/documents/33852/271858/Nota+t%C3%A9cnica+n%C2%BA+01+de+2013. Acesso em abr. 2014.

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA (ANVISA). NBR N°01/2013: Diretrizes e Normas Para Prevenção e o Controle das Infecções Hospitalares. Brasília,2013. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/documents/33852/3507912/ Caderno+4+-+Medidas+de+Prevenção+de+Infecção+Relacionada+à+Assistência+à+ Saúde. Acesso em mai. 2014.

BRATU, S. et al. Rapid spread of carbapenem-resistant Klebsiella pneumoniae in New York City: a new threat to our antibiotic armamentarium. Archives of internal medicine, New York, v. 165, n. 12, p. 1430-1435, jun. 2005.

BORGES, F. K. et al. Perfil dos pacientes colonizados por enterobactérias produtoras de KPCem hospital terciário de Porto Alegre, Brasil. Clinical & Biomedical Research, Porto Alegre, v. 35, n. 1, p. 20-26, 2015.

CIOBOTARU, P. et al. An effective intervention to limit the spread of an epidemic carbapenem-resistant Klebsiella pneumoniae strain in an acute care setting: From theory to practice. American Journal of Infection Control, v. 39, n. 8, p. 671-677, out. 2011.

DIENSTMANN, R. et al. Avaliação fenotípica da enzima Klebsiella pneumoniae carbapenemase (KPC) em Enterobacteriaceae de ambiente hospitalar. Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial, Rio de Janeiro, v. 46, n. 1, p. 23-27, fev. 2010.

DEL PELOSO, P. F. et al. Sepse por Serratia marcescens KPC. Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial, v. 46, n. 5, p. 365-367, out. 2010.

DESIMONI, M.C; ESQUIVEL, G.P; MERINO, L.A. Fecal colonization by extended-spectrum betalactamase- producing Klebsiella pneumoniae in a neonatal intensive care unit. Enfermedades infecciosas y microbiología clínica, v. 22, n. 9, p. 507-511, nov. 2004.

ENDIMIANI, A. et al. Emergence of blaKPC-containing Klebsiella pneumoniae in a long-term acute care hospital: a new challenge to our healthcare system. Journal of Antimicrobial Chemotherapy, v. 64, n. 5, p. 1102–1110, nov. 2009.

GARCIA, L. M. et al. Perfil epidemiológico das infecções hospitalares por bactérias multidrogasrresistentes em um hospital do norte de Minas Gerais. Revista de Epidemiologia e Controle de Infecção, v. 3, n. 2, p. 45-49, abr./jun. 2013.

GIUFFRE, M. et al. Successful control of an outbreak of colonization by Klebsiella pneumoniae carbapenemase-producing K. pneumoniae sequence type 258 in a neonatal intensive care unit, Italy. The Journal of Hospital Infection, v. 85, n. 3, p. 233-236, nov. 2013.

KOCHAR, S. et al. Success of an Infection Control Program to Reduce the Spread of Carbapenem-Resistant Klebsiella pneumoniae. Infection control and hospital epidemiology, v. 30, n. 5, p. 447-452, mai. 2009.

KUPLICH, N. M. et al. Política de prevenção da disseminação de germes multirresistentes no hospital de clínicas de Porto Alegre. Clinical & Biomedical Research, Porto Alegre, v. 31, n. 1, p. 80-89, 2011.

NORCIA, B. M. M. el al. Pacientes pediátricos portadores de Enterobactéria resistente aos carbapenêmicos em um hospital escola do Sul do Brasil. Journal of Infection Control, v. 4, n. 1, p. 11-15, out. 2015.

OLIVEIRA, A. C; DAMASCENO, Q. S. Superfícies do ambiente hospitalar como possíveis reservatórios de bactérias resistentes: uma revisão. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 44, n. 4, p. 1118-1123, dez. 2010.

OLIVEIRA, A. C. et al. Infecções relacionadas à assistência em saúde e gravidade clínica em uma unidade de terapia intensiva. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 33, n. 3, p. 89-96, 2012.

OPLUSTIL, C. P. et al. Procedimentos Básicos em Microbiologia Clínica. São Paulo: Sarvier, 2010.

PEREIRA, M. S; MORIYA, T. M; GIR, E. Infecção hospitalar nos hospitais escola: uma análise sobre seu controle. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 4, n. 1, p. 145-162, 1996.

PODSCHUN, R; ULLMANN, U. Klebsiella spp. as nosocomial pathogens: epidemiology, taxonomy, typing methods, and pathogenicity factors. Clinical Microbiology Reviews, v. 11, n. 4, p. 589-603, oct. 1998.

PRIMO, M. G. B. et al. Adesão à prática de higienização das mãos por profissionais de saúde de um Hospital Universitário. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 12, n. 2, p. 266-271, abr./jun. 2010.

RENNER, J. P. D; CARVALHO, E. D. Microrganismos isolados de superfícies da UTI adulta em um hospital do Vale do Rio Pardo – RS. Revista de Epidemiologia e Controle de Infecção, v. 3, n. 2, p.40-44, abr./jun. 2013.

RICHTER, S. N. et al. KPC-mediated resistance in Klebsiella pneumoniae in two hospitals in Padua, Italy, June 2009-December 2011: massive spreading of a KPC-3-encoding plasmid and involvement of non-intensive care units. Gut Pathogens, v. 4, n. 7, p.1-9, jul. 2012.

SEIBERT, G. et al. Infecções hospitalares por Enterobactérias produtoras de Klebsiella pneumoniae carbapenemase em um hospital escola. Einstein, v. 12, n. 3, p.282-286, jul./set. 2014.

SILVA, A. R. A. et al. Dinâmica da circulação de bactérias multirresistentes em unidades de terapia intensiva pediátrica do Rio de Janeiro. Revista de Epidemiologia e Controle de Infecção, v. 2, n. 2, p.41-45, 2012.

TURRINI, R. N. T; SANTO, A. H. Infecção hospitalar e causas múltiplas de morte. Jornal de Pediatria, v. 78, n. 6, p.485-490, 2002.

ULU, A. C. et al. Risk Factors of Carbapenem-Resistant Klebsiella pneumoniae Infection: A Serious Threat in ICUs. Medical Science Monitor, v. 21, p. 219-224, jan. 2015.

VASOO, S. et al. Rapid and Direct Real-Time Detection of blaKPC and blaNDM from Surveillance Samples. Journal of Clinical Microbiology, v. 51, n. 11, p. 3609-3615, nov. 2013.

Publicado
2018-10-15
Como Citar
1.
Garcia PG, Ribeiro da Silva IA, Damianse LA, Gama de Oliveira LR, Schettino de Azevedo RA. Prevalência de enterobactérias produtoras de Klebsiella pneumoniae carbapenemase em culturas de vigilância epidemiológica em unidade de terapia intensiva de um hospital de ensino de Minas Gerais. hu rev [Internet]. 15º de outubro de 2018 [citado 15º de agosto de 2020];43(3):199 -203. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/2744
Seção
Artigos Originais