Medidas não medicamentosas para a prevenção de infecção no Transplante de Medula óssea: revisão da literatura

Autores

  • Kelli Borges Santos Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Luiz Claudio Ribeiro UFJF
  • Girlene Alves da Silva UFJF
  • Angelo Atalla UFJF
  • Abrahão Elias Hallack Neto UFJF

Palavras-chave:

Transplante de medula óssea, prevenção, infecção

Resumo

O Transplante de células-tronco hematopoéticas (TCTH) tem sido amplamente utilizado para o tratamento de diferentes doenças malignas ou não. Apesar de seus benefícios, é considerada uma terapêutica de risco, devido às complicações inerentes ao tratamento que podem contribuir para aumentar a morbi-mortalidade. A infecção é uma das complicações mais graves, que gera aumento de custos de tratamento e de permanência hospitalar, podendo, inclusive, levar à morte. Esta complicação está associada à quimioterapia utilizada durante o período de internação, que leva o paciente à imunossupressão grave. Na tentativa de minimizar o risco de infecção, são utilizadas medidas profiláticas que incluem o isolamento do paciente e a restrição de visitantes. Contudo, cada centro faz uso de medidas diferenciadas, sem uma padronização de ações. O presente estudo pretendeu realizar uma revisão da literatura com a intenção de analisar as medidas de prevenção de infecção utilizadas nos diferentes serviços. Foi possível observar que as medidas de isolamento têm sido reduzidas nos últimos anos, devido a alguns motivos: ao estresse que gera para a equipe e para o paciente; aos custos; e por ter sido demonstrado baixo impacto na redução das taxas de infecção e mortalidade entre os pacientes submetidos ao transplante de células-tronco hematopoéticas. Outras medidas de prevenção de infecção têm sido pouco discutidas. Novos trabalhos deverão ser desenvolvidos para o estabelecimento de protocolos que sejam internacionalmente aceitos e utilizados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kelli Borges Santos, Universidade Federal de Juiz de Fora

Professora do departamento de enfermagem Básica da UFJF, mestre em saúde coletiva pela UFJF

Luiz Claudio Ribeiro, UFJF

Professor Adjunto do departamento de estatística da UFJF

Girlene Alves da Silva, UFJF

Professora adjunto do departamento de enfermagem aplicada da UFJF

Angelo Atalla, UFJF

Professor adjunto do departamento de clínica médica da UFJF

Abrahão Elias Hallack Neto, UFJF

Professor adjunto do departamento de clínica médica da UFJF

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2012-03-23

Como Citar

1.
Santos KB, Ribeiro LC, Silva GA da, Atalla A, Neto AEH. Medidas não medicamentosas para a prevenção de infecção no Transplante de Medula óssea: revisão da literatura. hu rev [Internet]. 23º de março de 2012 [citado 12º de agosto de 2022];37(2). Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/1216

Edição

Seção

Artigos de Revisão da Literatura

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>