Fusariose em transplante autólogo de medula óssea: relato de caso e considerações associadas

Autores

  • Angelo Atalla
  • Abrahão Elias Hallack Neto
  • Caio César Oliveira dos Santos Ribeiro
  • Lívia dos Remédios Pamplona de Oliveira
  • Larissa Rodrigues Riani
  • Gustavo Mattos Teixeira Soares Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF

Palavras-chave:

Transplante de Medula Óssea, Infecções Oportunistas, Fungemia

Resumo

Os fungos do gênero Fusarium sp são comumente encontrados no solo e em restos orgânicos. São reconhecidos como causa de infecção localizada envolvendo unhas, pele traumatizada ou a córnea. A infecção disseminada por Fusarium sp é encontrada quase que exclusivamente em imunodeprimidos, em particular em neutropênicos ou em pacientes recebendo quimioterapia ou transplante de medula óssea. Atualmente, Fusarium sp são considerados patógenos emergentes e, em alguns centros, já representam a terceira causa mais comum de micose invasiva, após Candida e Aspergillus. Relatamos o caso de uma paciente de 62 anos, portadora de mieloma múltiplo, que desenvolveu fusariose disseminada em seu segundo transplante autólogo de medula óssea. No vigésimo dia pós-transplante evoluiu com necessidade de suporte intensivo e veio a óbito. Fusariose, em sua forma disseminada, é uma infecção rara, de difícil suspeita diagnóstica e mesmo com o tratamento, na maioria das vezes a evolução é fatal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2011-02-08

Como Citar

1.
Atalla A, Hallack Neto AE, Ribeiro CCO dos S, Oliveira L dos RP de, Riani LR, Teixeira Soares GM. Fusariose em transplante autólogo de medula óssea: relato de caso e considerações associadas. hu rev [Internet]. 8º de fevereiro de 2011 [citado 7º de julho de 2022];36(3). Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/958

Edição

Seção

Relato de Caso

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)