Educação do Campo e o (im) Pacto Nacional da Alfabetização na Idade Certa (PNAIC)

  • Simone Ribeiro
  • Andrea Serpa Albuquerque
Palavras-chave: Políticas Públicas. Educação do Campo. PNAIC.

Resumo

Este texto tem como objetivo refletir sobre Política Pública de Educação, e nosso foco são os encontros e desencontros entre o PNAIC e a Educação do Campo. O que nos move nesta escrita são as conversas que temos travado tanto nos encontros de formação do próprio programa quanto aquelas levantadas em nossos grupos de pesquisa: Historicamente como tem se dado a formulação de políticas de educação implementadas no campo brasileiro e, em que sentido, o PNAIC rompe ou reafirma esta história? No campo brasileiro cujas condições de letramento e até mesmo de acesso à escola são muito diversas, como se estabelece este pacto? O pacto é pela alfabetização ou pela alfabetização na idade certa? Quais as perspectivas para a formação de professores através do PNAIC? Por ser um tema ainda recente no cenário da política pública de educação, nossa contribuição objetiva manter vivo o diálogo, talvez suscitando ainda mais questões. Mas acreditamos que um dos caminhos para efetivar a construção de políticas públicas com a participa- ção dos sujeitos aos quais elas se destinam seja este. Como diria Riobaldo, personagem criado por Guimarães Rosa, ainda nos admiramos e nos animamos com a boniteza do inacabamento humano: “O senhor... Mire veja: o mais importante e bonito, do mundo, é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas – mas que elas vão sempre mudando”.

Biografia do Autor

Simone Ribeiro
Docente de educação básica no Colégio de Aplicação João XXIII da Universidade Federal de Juiz de Fora onde, atualmente, atua no 1º ano do ensino fundamental. Desenvolve e participa de projetos de pesquisa e extensão e coordena o Grupo de Pesquisa Educação, Culturas e Sustentabilidades. Possui graduação em Pedagogia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1991), mestrado em Educação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1998) e doutorado em Educação pelo Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora (2012). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação do Campo e agroecologia, atuando principalmente nos seguintes temas: conhecimentos tradicionais, práticas curriculares e cotidiano escolar.
Andrea Serpa Albuquerque
Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1992) e Mestrado em Educa- ção (2006) e Doutorado em Educação pela Universidade Federal Fluminense (2010). Atualmente é Professora Adjunta da Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense/Niteroi onde desenvolve e participa de projetos de ensino, pesquisa e extensão no Campos de Estudos do Cotidiano Escolar, com enfase em Alfabetização, Avaliação, Currículo e Formação de Professores, na graduação e pós graduação. Organizou e atua como vice-coordenadora do Laboratório de Brinquedos da Faculdade de Educação.
Publicado
2015-02-24
Seção
Artigos