A avaliação externa e os novos sujeitos da educação

  • Marcelo Baumann Burgos Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Avaliação externa, Escola, Cultura profissional, Gestão escolar, Atividade docente

Resumo

O lugar social ocupado pela avaliação externa no funcionamento do sistema educacional vem mudando com o tempo: de instrumento de controle externo e verticalizado do trabalho escolar, se converte em ferramenta fundamental ao cotidiano escolar. Mas essa mudança de lugar não estaria ocorrendo sem que os próprios profissionais da educação se transformassem. Neste artigo, analisamos essa mudança, valorizando, em especial, a forma como ela vem se dando no contexto brasileiro. Sustentamos, ao final, que o processo de decantação da avaliação externa na cultura profissional escolar vem forjando o surgimento de novos sujeitos no mundo da educação, porta-vozes e difusores de uma nova linguagem.

Referências

APPLE, Michael; BEANE, James. Escolas Democráticas. Editora Cortez: São Paulo, 2001.

BONAMINO, Alícia. Avaliação Educacional no Brasil 25 anos depois: onde estamos?. In: BAUER, Adriana; GATTI, Bernadete (Org.). Vinte e cinco anos de avaliação de sistemas educacionais no Brasil. Implicações nas redes de ensino, no currículo e na formação de professores. Florianópolis: Editora Insular, 2013.

BROOKE, Nigel (org.). Marcos Históricos na reforma da educação. Editora Fino Traço: Belo Horizonte, 2012.

BURGOS, Marcelo Baumann; BELLATO, Caíque. Gerencialismo e pós-gerencialismo: em busca de uma nova imaginação para as políticas educacionais no Brasil. Revista Sociologia & Antropologia, Rio de Janeiro, v.9, p. 919–943, set./dez., 2019.

BURGOS, Marcelo (coord.). A escola e o mundo do aluno. Rio de Janeiro: Garamond, 2014.

BURGOS, Marcelo; CANEGAL, Carolina. Diretores Escolares em um contexto de reforma da educação. Revista Pesquisa e Debate em Educação, v.1, n.1. Disponível em: file:///C:/Users/C.sociais/Downloads/2-6-1-PB%20(1).pdf . Acesso em: 21 ago. 2020.

CAEd/UFJF. Para Alfabetizar na idade certa: protocolos para a organização de uma política de formação continuada e de incentivo ao compromisso com os resultados para professores alfabetizadores. Juiz de Fora: CAEd/UFJF, 2019. Disponível em: http://www.mestrado.caedufjf.net/wp-content/uploads/2019/11/PROTOCOLOS-ALFABETIZA%C3%87%C3%83O-NA-IDADE-CERTA-C05.pdf. Acesso em: 21 ago. 2020.

DARLING-HAMMOND, Linda. Teaching and the change wars: The professionalism hypothesis In: A. Hargreaves; M. Fullan (Eds.), Change wars. Bloomington: Solution Tree, 2009, p. 45–68.

DUSI, Cristina Sayuri Cortes Ouchi. Os efeitos da gestão para resultados na educação: uma análise das políticas públicas educacionais de sete estados brasileiros. 2017. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Faculdade de Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017.

HABERMAS, Jürgen. Direito e Democracia: entre facticidade e validade. vol I. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1997.

HARGREAVES, Andy. The fourth way of change: Towards an age of inspiration and sustainability. In: HARGREAVES, Andy; FULLAN, Michael (eds.) Change wars. Bloomington: Hawker Brownlow Education, 2009, p.11-44.

HOPKINS, David. Every School a Great School – Realising the Potential of System Leadership. In: HARGREAVES, Andy, et alli (eds.). Second International Handbook of Educational Change. vol. 23. Springer Science & Business Media, 2010, p. 741-764.

LAWN, Martin. Os professores e a fabricação de identidades. In: Antonio Novoa (org.) A Difusão Mundial da Escola. Editora Educa: Lisboa, 2000.

LIPSKY, M. Street-level bureaucracy: dilemas of the individual in public services. NY: Russell Sage Foundation, 1980.

MACBEATH, John. Self-Evaluation for School Improvement. In: HARGREAVES, Andy et alli (eds.). Second International Handbook of Educational Change. vol. 23. Springer Science & Business Media, 2010, p. 901-912.

PEREGRINO, Mônica. Trajetórias desiguais: Um estudo sobre os processos de escolarização pública de jovens pobres. Rio de Janeiro: Ed. Garamond, 2010.

RAVITCH, D. Vida e morte do grande sistema escolar americano: como os testes padronizados e o modelo de mercado ameaçam a educação. Trad. de Marcelo Duarte. Porto Alegre: Sulina, 2011.

ROSSI, Jocelaine Regina Duarte.- Entre o estável e o fortuito: a formação continuada em serviço e as rotinas pedagógicas em alfabetização, 2010. Dissertação (Mestrado em Educação) –Faculdade de Educação, Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2010.

TALBERT, Joan E. Professional Learning Communities at the Crossroads: How Systems Hinder or Engender Change. In: HARGREAVES, Andy et alli (eds.). Second International Handbook of Educational Change. vol. 23. Springer Science & Business Media, 2010, p. 555-572.

TEDDLIE, Charles. The Legacy of the School Effectiveness Research Tradition. In: HARGREAVES, Andy et alli (eds.). Second International Handbook of Educational Change. vol. 23. Springer Science & Business Media, 2010, p. 523-554.

Publicado
2020-06-30
Como Citar
Burgos, M. B. (2020). A avaliação externa e os novos sujeitos da educação. Revista Pesquisa E Debate Em Educação, 10(1), 1082 - 1102. https://doi.org/10.34019/2237-9444.2020.v10.32024