Tradução de “Uma conversa solitária: um olhar Bakhtiniano sobre ‘Dagon’, De H. P. Lovecraft” de Isaac Aday

Autores

Palavras-chave:

Dagon, Lovecraft, Polifonia, Mikhail Bakhtin

Resumo

Esta é uma tradução do artigo intitulado "Solitary conversation: A Bakhtinian exploration of H. P. Lovecraft’s ‘Dagon’" de Isaac Aday. As histórias de H. P. Lovecraft são frequentemente estudadas por sua capacidade de inculcar horror, e raramente examinadas em termos de forma, estrutura e linguagem. Rompendo com esse paradigma crítico, o presente artigo emprega o conceito de polifonia de Mikhail Bakhtin (2010) ao conto clássico de Lovecraft, “Dagon”, reconhecendo o narrador solitário não como uma única voz, mas como múltiplas vozes igualmente válidas. Chega assim a uma nova compreensão do diálogo e da voz na escrita de Lovecraft, que pode influenciar a forma como lemos suas outras obras, se não o horror em geral. Após essa análise, direções para pesquisas futuras também estão incluídas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Weslley Ferreira de Araujo, UFGD

Graduado em Licenciatura em Letras - Habilitação Português/Inglês e suas respectivas literaturas pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (2021). Atualmente é mestrando em Letras na Universidade Federal da Grande Dourados.

Paulo Custódio de Oliveira, UFGD

Pós-Doutor em Estudos de Literatura pela Universidade Federal Fluminense. Doutor em Letras pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1999). Professor permanente do Programa de Pós-Graduação e da Graduação em Letras da Universidade Federal da Grande Dourados. Líder do Grupo de Pesquisa InterArtes e Coordenador do LIAMI - Laboratório InterArtes de Mídia e Imagem. Editor da Raído - Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação da FACALE. Pesquisa a relação do artefato literário com os diferentes campos epistemológicos (Filosofia, História, Direito) e midiáticos (Pintura e Cinema)

Tiago Marques Luiz, UFU

Possui graduação em Letras Português/Inglês pela Universidade Federal da Grande Dourados (2009), especialização em Tradução de Inglês pela Universidade Gama Filho (2011), especialização em Semiótica e Análise do Discurso pela Faculdade Metropolitana do Estado de São Paulo (2023), Mestrado em Estudos da Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina (2013) e Doutorado em Estudos Literários pela Universidade Federal de Uberlândia (2019).

Referências

ADAY, Isaac. Solitary Conversation: A Bakhtinian Exploration of H. P. Lovecraft’s “Dagon”. Lovecraft Annual, New York, n. 16, 2022, p. 62-74.

ANDERSON, J. A. Out of the Shadows: A Structuralist Approach to Understanding the Fiction of H. P. Lovecraft. Holicong: Wildside Press, 2011.

BAKHTIN, M. Problems of Dostoevsky’s Poetics. Ed. and tr. Caryl Emerson. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1984.

BERRUTI, M. ““Dagon”: Shipwreck to Nowhere.” Lovecraft Studies, West Warwick, n. 45, p. 1-9, 2005.

EVANS, T. “A Last Defense against the Dark: Folklore, Horror, and the Uses of Tradition in the Works of H. P. Lovecraft.” Journal of Folklore Research, v. 42, n. 1, p. 99–135, 2005.

GUARDE PAZ, C. “Race and War in the Lovecraft Mythos: A Philosophical Reflection.” Lovecraft Annual, n. 6, p. 3-35, 2012.

HANTKE, S. “From the Library of America to the Mountains of Madness: Recent Discourse on H. P. Lovecraft.” In: SIMMONS, D. (ed). New Critical Essays on H. P. Lovecraft. New York: Palgrave Macmillan, 2013, p. 135–56.

HARMAN, G. Weird Realism: Lovecraft and Philosophy. Winchester: Zero Books, 2012.

JOSHI, S. T. Why Michel Houellebecq is wrong about Lovecraft’s Racism. Lovecraft Annual, West Warwick, n. 12, p. 43-50, 2018.

LOVECRAFT, H. P. Dagon. In: JOSHI, S. T. (ed). H. P. Lovecraft Collected Fiction. A Variorum Edition, Volume 1: 1905–1925. New York: Hippocampus Press, 2015, p. 52–58.

PALINHOS, J. “Architectures of Madness: Lovecraft’s R’lyeh as Modernist Dystopia.” In: MONTEIRO, M.; KONG, M.; NETO, M. (eds). Utopia(s) - Worlds and Frontiers of the Imaginary. Boca Raton: CRC Press, 2017, p. 325–28.

PONZIO, A. Otherness, Intercorporeity, and Dialogism in Bakhtin’s Vision of the Text. Language and Semiotic Studies, Taipei, v. 2, n. 3, p. 1-17, 2016.

ROBINSON, C. The Abysmal Style of H. P. Lovecraft. In: ROSPIDE, M.; SORLIN, S. (eds). The Ethics and Poetics of Alterity: New Perspectives on Genre Literature. Newcastle upon Tyne: Cambridge Scholars Publishing, 2015, p. 126-41.

SALONIA, J. Cosmic Maenads and the Music of Madness: Lovecraft’s Borrowings from the Greeks. Lovecraft Annual, West Warwick, n. 5, p. 91-101, 2011.

SIMMONS, David. “A Certain Resemblance: Abject Hybridity in H. P. Lovecraft’s Short Fiction.” In: SIMMONS, D. (ed). New Critical Essays on H. P. Lovecraft. New York: Palgrave Macmillan, 2013, p. 13-30.

WILLIAMS, S. “The Infinitude of the Shrieking Abysses”: Rooms, Wombs, Tombs, and the Hysterical Female Gothic in “The Dreams in the Witch House.” In: SIMMONS, D. (ed). New Critical Essays on H. P. Lovecraft. New York: Palgrave Macmillan, 2013, p. 55-72.

TRADUÇÕES CONSULTADAS PELOS TRADUTORES

BAKHTIN, Mikhail. Problemas da Poética de Dostoiévski. 5 ed. revista. Tradução, notas e prefácio de Paulo Bezerra. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

LOVECRAFT, H. P. Dagon. In: LOVECRAFT, H. P. Lovecraft: Medo Clássico I. Tradução e notas de Ramon Mapa da Silva. Rio de Janeiro: Darkside Books, 2017, p. 21-27.

Downloads

Publicado

2023-12-15

Como Citar

ARAUJO, W. F. de; OLIVEIRA, P. C. de; LUIZ, T. M. Tradução de “Uma conversa solitária: um olhar Bakhtiniano sobre ‘Dagon’, De H. P. Lovecraft” de Isaac Aday. Rónai – Revista de Estudos Clássicos e Tradutórios, [S. l.], v. 11, n. 2, p. 57–70, 2023. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/ronai/article/view/41676. Acesso em: 25 fev. 2024.

Edição

Seção

Traduções