A contemplação da natureza e o sumo bem segundo Sêneca: tradução comentada do prefácio do livro I das Naturales Quaestiones

The contemplation of nature and ultimate good according to Seneca: a commented translation of the preface to book I of Naturales Quaestiones

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/2318-3446.2020.v8.31784

Palavras-chave:

Sêneca, natureza, ética, sumo bem

Resumo

A despeito da ideia amplamente difundida de que os estoicos romanos teriam deixado de lado física e lógica e se dedicado em caráter praticamente exclusivo ao terceiro elemento da tríade estoica, a ética, conhecemos diversos títulos de Sêneca relacionados ao estudo da natureza, a física. Esses estudos abarcam temas ligados a diversas áreas de estudos, como biologia, geologia e cosmologia. Também permeiam toda a vida do filósofo, desde a sua juventude até sua velhice. Por fim, as Naturales Quaestiones são o tratado mais longo de Sêneca e sua obra mais longa, se excetuarmos a coletânea de cartas a Lucílio. No prefácio que ora traduzimos, Sêneca expõe sua visão acerca da importância do estudo da natureza e, longe de considerá-lo secundário, argumenta que se trata do sumo bem da vida humana, sem o qual mesmo uma vida perfeitamente ética deixa de ter valor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Willamy Fernandes Gonçalves, Universidade de São Paulo

Graduado em letras pela Universidade Federal do Ceará, Desde 2016 é membro do grupo de pesquisa de tradução e recepção dos clássicos (CNPQ ), coordenado pelo prof. dr. Robert de Bröse. Atualmente, é mestrando do Programa de Pós-Graduação em Letras Clássicas e Vernáculas da Universidade de São Paulo com orientação do prof. dr. Alexandre Pinheiro Hasegawa.

Referências

ALGRA, Keimpe. Cosmologia e teologia. In: GOURINAT, J. B.; BARNES, J. (org.). Ler os estoicos. Tradução de Paulo S. R. C. Silva. São Paulo: Edições Loyola, 2013 [2009], p. 175-195.

CAMPOS, J. A. S. e. (trad.). Sêneca. Cartas a Lucílio. Lisboa: Fundação Calouste Gulbankian, 2004.

CARDOSO, Z. de A. A literatura latina. 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

CITRONI, M. et alii. Literatura de Roma Antiga. Tradução de Margarida Miranda e Isaías Hipólito. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 2006.

DÍAZ, José Román Bravo (trad.). Seneca. Cuestiones Naturales. Introducción, traducción y notas de José-Román Bravo Díaz. Edição do Kindle. Madrid: Editorial Gredos, 2013.

HINE, Harry (ed.). Lucius Annaeus Seneca. Opera. Naturalium Quaestionum Librei. Bibliotheca Scriptorum Graecorum et Romanorum Teubneriana. Stuttgart und Leipzig: De Gruyter, 1996.

HINE, Harry (trad.). Seneca. Natural Questions. Translated by Harry Hine. Chicago: The University of Chicago Press, 2010.

MERCKEL, Cécile. Seneca theologus: la religion d’un philosophe romain. 2012. 553 f. Tese (Doutorado em Philologie classique) - Sciences de l'Antiquité, Université de Strasbourg, Strasbourg (França), 2012.

NUNES, Carlos Alberto. Virgílio. Eneida. Tradução. São Paulo: Ed. 34, 2014.

PARRONI, Piergiorgio (trad.). Seneca. Ricerche sulla natura. A cura di Piergiorgio Parroni. Milão: Mondadori, 2008.

RAIJ, C. F. de M. van. (trad.). Sêneca. Cartas consolatórias. Campinas: Pontes, 1992.

TOSI, Renzo. Dicionário de Sentenças Latinas e Gregas. Tradução de Ivone Castilho Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

WERNER, Christian. Hesíodo. Teogonia. Organização e tradução do grego. São Paulo: Hedra, 2013.

Downloads

Publicado

2020-12-21

Edição

Seção

Dossiê "Linguagem, natureza e felicidade na Antiguidade"