A Arte Poética de Horácio e sua tradução e recepção no Arcadismo Português: Marquesa de Alorna

Autores

  • Joana Junqueira Borges Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara - UNESP

Palavras-chave:

horácio, arte poética, marquesa de alorna, arcadismo, tradução

Resumo

Com a intenção de entrar em contato com traduções precedentes do legado greco-latino para a língua portuguesa e explorar questões referentes ao contexto de recepção, apresenta-se no presente artigo algumas especificidades da tradução da Arte Poética de Horácio realizada por D. Leonor de Almeida, também conhecida como Marquesa de Alorna, publicada em 1812. Atenta-se especialmente para a literatura desse período, que primava pelos preceitos defendidos por Horácio, como a brevidade e a clareza e para como essa tradução reflete a poética da época.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joana Junqueira Borges, Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara - UNESP

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários na área de Latim e História e Crítica.

Referências

ALORNA, M. de. Poetica de Horatio, e o Ensaio sobre a critica, de Alexandre Pope em portuguez. Londres: T. Harper, Jun. Crane Court, Fleet Street, 1812.

______, M. de. Sonetos. Introdução, organização, fixação do texto, notas e bibliografia de ANASTÁCIO, V. Rio de Janeiro: 7Letras, 2007.

BERMAN, A. A prova do estrangeiro. Trad. M. E. P. Chanut. Bauru, SP: EDUSC, 2002.

______. A tradução e a letra ou o albergue do longínquo. Rio de Janeito: 7Letras/ PGET, 2007.

BRAGA, T. História da Literatura portuguesa - Os Árcades. v.4. Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1984.

BRINK, C. O. Horace on poetry: the Ars Poetica. Cambridge: University Press, 2011.

BURKE, P. Culturas da tradução nos primórdios da Europa Moderna. In; ______;

HSIA, R. P. A tradução cultural nos primórdios da Europa Moderna Trad. R. Maioli dos Santos. São Paulo: Editora Unesp, 2009. p.13-44.


CAMÕES, L. de. Os Lusíadas. Notas e prefácio de MOURA, C. L. de. Paris: Firmin Didot, 1859.

CAMPOS, H. Reflexões sobre a transcriação de Blanco, de Octávio Paz, com um excurso sobre a teoria da tradução do poeta mexicano. In: ______. Transblanco. São
Paulo: Siciliano, 1994.

CASTILHO, A. F. Arte de amar de Publio Ovidio Nasão. Tradução de A. F. de Castilho seguidas de comentários de J. F. de Castilho. Rio de Janeiro: Laemmert, 1862. 3 Tomos.

CIDADE, H. Lições de Cultura e Literatura Portuguesas. v.2. Coimbra: Coimbra Editora, Limitada, 1959.

ELISIO, F. (Francisco Manuel do Nascimento). Obras Completas de Filinto Elísio. Prefácio, introdução, fixação do texto e notas: Fernando Alberto Torres Moreira. Braga:
APPACDM, 1998.

FERNANDES, R. M. R. Prefácio e Introdução. In: HORÁCIO. Arte Poética. Introdução, tradução e comentários de R. M. Rosado Fernandes. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2012.

FREIRE, F. J. Arte Poetica ou regras da verdadeira poesia em geral, e de todas as suas especies principaes, tratadas com juizo critico. Lisboa: Oficina Patriarcal de Francisco Luiz Ameno, 1759.

FURLAN, M. A tradução em Roma - A suplantação do modelo. In: Nuntius Antiquus. n.6, 2010.


GARÇÃO, C. Obras completas. Org. SARAIVA, A. J. Lisboa: Livraria Sá da Costa, 1982.

HERCULANO, A. D. Leonor d’Almeida, Marqueza de Alorna. In: O Panorama. v.3º, série 2ª, nº156, 21/12/1844. Lisboa: Typographia da Sociedade, 1844, p.403-404.

HORACIO. Arte poetica de Q. Horacio Flacco traduzida e illustrada em portugues por Candido Lusitano. Lisboa: Officina Rollandiana, 1778.

LUCANO. Farsália: cantos de I a V. Introd. tradução e notas: VIEIRA, B. V. G. Campinas: Editora da Unicamp, 2011.

MORAES, A. S. Dicionário da Língua Portuguesa. Lisboa: Tip. A. J. da Rocha, 2.volumes, 1844.

PAES, J. P. Tradução a ponte necessária, aspectos e problemas da arte de traduzir. São Paulo: Ed. Ática, 1990.


PINILLA, J. S. “La marquesa de Alorna y la traducción: esbozo de una investigación histórica”. In: PEGENAUTE, L.; DeCESARIS, J.; TRICÁS, M. y BERNAL, E. Actas del III Congresso Internacional de la Asociación Ibérica de Estudios de Traducción e Interpretación. La traducción del futuro: mediación linguistica y cultural en el siglo XXI. Barcelona 22-24 de marzo de 2007. Barcelona: PPU. Vol.nº1, pp. 307-318. Disponível em <http://www.aieti.eu/pubs/actas/III/AIETI_3_JASP Marquesa.pdf >

RESENDE, M de. Nota vigésima sexta. In: CASTIKHO, A. F.. Os Fastos de Públio Ovídio Nasão. Lisboa: Academia Real das Ciências, 1862.

ROCHA, T. K. Ensaios e experiências de tradução da Ilíada no oitocentismo português. 2013, 576 f. (Iniciação Científica - Fapesp) Universidade de São Paulo,
2013.

SARAIVA, F. R. S. Novíssimo dicionário latino-português. Belo Horizonte; Rio de Janeiro: Livraria Garnier, 2000.

SCHLEIERMACHER, F. Sobre los diferentes métodos de traducir. Trad. Valentín Garcia Yebra. Madrid: Editora Gredos, 2000.

Downloads

Publicado

2016-09-09

Como Citar

BORGES, J. J. A Arte Poética de Horácio e sua tradução e recepção no Arcadismo Português: Marquesa de Alorna. Rónai – Revista de Estudos Clássicos e Tradutórios, [S. l.], v. 4, n. 1, p. 3–15, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/ronai/article/view/23157. Acesso em: 19 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos