Processos de produção de significados em uma sala de aula: feminismos, matemáticas, violências e produções outras

Autores

Palavras-chave:

Fundamentos da Matemática, Feminismo, ; Ensino e Aprendizagem de Matemática, Sistemas Lineares, Modelo dos Campos Semanticos

Resumo

Neste artigo produzimos convites com discussões em uma sala de aula de matemática da disciplina de Fundamentos de Matemática de um curso de Licenciatura em Matemática. Nosso objetivo é analisar processos de produção de significados matemáticos e processos de produção de significados violências, em uma situação de interação com alunas e alunos da disciplina. Tomamos como principal referência o Modelo dos Campos Semânticos para análise dos dados, bem como um diálogo com teóricas do feminismo, como Judith Butler, e discussões e atitudes decoloniais. Nosso cenário foi a disciplina mencionada, em específico algumas aulas e uma discussão realizada em um grupo de WhatsApp. Nossas principais considerações são na direção de que não existe a matemática de um lado e o uso que se faz dela de outro. Ao invés disso, a matemática é constituída e constituinte de seus usos, ou, em outras palavras, a matemática é performada socialmente, assim como performamos sexo/gênero. Assim, movimentamos um projeto político de uma educação matemática em que nos distanciamos da ideia de conteúdos e nos aproximamos da noção de processos de produção de significados. Estes, então, podem ser pretexto para discutirmos o que realmente importa, a vida, e que nem por isso uma matemática deva ser deixada de lado, mas sim figurar junto a ela.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Referências

ALMEIDA, Silvio. Racismo estrutural. Pólen Produção Editorial LTDA, 2019.

BUTLER, J. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Tradução de

Renato Aguiar. Rio de janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

BUTLER, J. Corpos Que Importam: os limites discursivos do" sexo". n-1 edições, 2020.

LINS, R. C. & Gimenez, J. Perspectivas em aritmética e álgebra para o século XXI. Campinas: Papirus, 1997.

LINS, R. C. Por que discutir teoria do conhecimento é relevante para a Educação Matemática. In: BICUDO, M. A. V.(Org.). Pesquisa em educação matemática: concepções e perspectivas. São Paulo: Editora UNESP, p. 75-94, 1999.

__________The production of meaning for Algebra: a perspective based on a Theoreticall Model of Semantic Fields. In: SUTHERLAND, R. et al. Perspectives on School Algebra. Netherlands: Kluwer Academic Publishers, 2001. p. 37-60.

__________O Modelo dos Campos Semânticos: estabelecimentos e notas de teorizações. In: ANGELO, C. L. et al (Org.). Modelo dos Campos Semânticos e Educação Matemática: 20 anos de história. São Paulo: Editora UNESP, p. 11-30, 2012.

MIGNOLO, Walter D.; WALSH, Catherine E. On decoloniality: Concepts, analytics, praxis. Duke University Press, 2018.

PAULO, J. P. A. Compreendendo formação de professores no âmbito do Modelo dos Campos Semânticos. 2020. 296f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Rio Claro, 2020. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/191665

SILVA, A. M. Sobre a dinâmica da produção de significados para a Matemática. 2003. 244p. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2003. Disponível: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/102156

VIANA, B. L. N; VIOLA DOS SANTOS, J. R.; PARO, J. C. MANIFESTO POR UMA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA FEMINISTA.. In: Seminário Internacional de Pesquisa em Educação Matemática. Anais… Uberlândia (MG) Uberlândia, 2021. Disponível em: . Acesso em: 21/08/2022

Downloads

Publicado

2022-12-10

Como Citar

VIANA, B. L. N. .; SANTOS, J. R. V. dos . Processos de produção de significados em uma sala de aula: feminismos, matemáticas, violências e produções outras. Revista de Investigação e Divulgação em Educação Matemática , [S. l.], v. 6, n. 1, 2022. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/ridema/article/view/38734. Acesso em: 3 fev. 2023.

Edição

Seção

30 anos do Modelo dos Campos Semânticos e processos de ensino e de aprendizagem