Análise Comparativa entre Brasil e os Estados Unidos: O Problema de Gênero em Livros Didáticos de Matemática

Autores

  • Vanessa Neto UFMS
  • Weverton Ataide Pinheiro Indiana University Bloomington

DOI:

https://doi.org/10.34019/2594-4673.2021.v5.33216

Palavras-chave:

Livros didáticos. Matemática escolar. Estudos de Gênero. Brasil. Estados Unidos.

Resumo

Os livros didáticos, que ainda são uma das ferramentas mais utilizadas na sala de aula de matemática em todo o mundo, têm um impacto substancial na produção de subjetividades dos alunos. Nesse sentido, apesar das pesquisas mostrarem a necessidade de eliminação do preconceito de gênero nos livros didáticos de matemática, eles ainda reproduzem o retrato do que significa ser menina/mulher ou menino/homem na sociedade atual. Portanto, este estudo oferece uma comparação entre os dois livros didáticos de matemática do 6º ano mais utilizados no Brasil e nos Estados Unidos, a fim de desvelar as formas de apresentação das questões de gênero. Esta análise concluiu que os livros didáticos de matemática ainda são ferramentas importantes para reproduzir e criar posições de gênero estereotipadas para meninas e meninos, influenciando na criação de subjetividades dos alunos em ambos os países.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Referências

ANDRINI, A., VASCONCELOS, M. J. Praticando matemática (4th ed. Vol. 6). São Paulo: Editora do Brasil, 2015.
BEAUVOIR, S. O segundo sexo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.
BUTLER, J. Deshacer el gênero. Barcelona: Paidos, 2006.
BUTLER, J. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.
CARTER, J. A., CUEVAS, G. J., DAY, R., MALLOY, C., KERSAINT, G., REYNOSA, M. E., ZIKE, D. Glencoe math: Built to the common core: Course 1. Colombus, OH: McGraw-Hill, 2015.
COLLANGE, M. S.; ALMEIDA, C. A. & AMORIM, A. C. Natureza em imagens de livros didáticos de Biologia do Ensino Médio. Revista da SBEnBio, n. 7, outubro/2014.
DOWLING, P. C. ‘A sociological analysis of school mathematics texts’. Educational Studies in Mathematics, 31, 389–415, 1996.
_______. The sociology of mathematics education: Mathematical myths, pedagogic texts. London: Falmer Press, 1998.
FAN, L., ZHU, Y., MIAO, Z. Textbook research in mathematics education: development status and directions. ZDM, 45(5), 633-646. doi:10.1007/s11858-013-0539-x, 2013.
FEDERICI, S. Mulheres e a caça as bruxas: da Idade Média aos dias atuais. 1 ed. São Paulo: Boitempo, 2019.
FOUCAULT, M. Ditos e Escritos IX: genealogia da ética, subjetividade e sexualidade. 2ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária. 2014.
HILLESHEIM, B. Trabalho doméstico: “O serviço de sempre”. In: STREY, M. N.; CABEDA, S. T. L.; PREHN, D. R.; Gênero e Cultura: Questões Contemporâneas. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.
LAQUEUR, T. W. Making sex: Body and gender from the Greeks to Freud. Harvard University Press, 1990.
NETO, V. F.; Livros Didáticos de Matemática para o Campo: Aqui também se aprende a ser Mãe. In: VII Seminário Internacional de Pesquisa em Educação Matemática, 2018, Foz do Iguaçú. Anais..., 2018.
NOSELLA, M. L. C. D. As Belas Mentiras: a ideologia subjacente aos textos didáticos. 4 ed. rev. e recomposta. São Paulo: Moraes, 1981.
PEÑALOZA, G; VALERO, P. Las ciencias naturales escolares y la fabricación del ciudadano católico en Colombia. Educação Unisinos. 20(1):3-13, 2016.
RIBEIRO, D. Lugar de fala. São Paulo, Polén, 2019.
RICHARD, N. Feminismo, Experiencia y Representacion. Revista Iberoamericana. Vol. LXII, Niums. 176-177, Julio-Diciembre. 1996.
ROMITO, P. Trabalho, maternidade e saúdes das mulheres: algumas notas metodológicas. In:
OLIVEIRA, E. M.; SCANOVE, L. (Orgs.). Trabalho, saúde e gênero na era da globalização. Goiânia: AB, 1997.
SCOTT, J. La citoyenne paradoxale. Lês féministes françaises et lês droits de l’homme. Paris: Albin Michel, 1998.
SILVA, M.A.; VALERO, P.; MANOEL, C. A. L. C.; BERTO, L. F. Brazilian High School Mathematics Textbooks and the Constitution of the Good Student Citizen. Acta Scientiae. Canoas – RS, v.20, n. 6, p.1701 -1801, 2018.
UNESCO. Eliminating gender bias in textbooks: Pushing for policy reforms that promote gender equity in education. Education for All Global Monitoring Report, 2015.
UNESCO. Textbooks pave the way to sustainable development. Global Education Monitoring Report, 2016.
VALERO, P. Human Capitals: School Mathematics and the Making of the Homus Oeconomicus. In: Journal of Urban Mathematics Education, v. 11, n. 1&2, 2018.

Publicado

2021-07-14

Como Citar

NETO, V.; PINHEIRO, W. A. . Análise Comparativa entre Brasil e os Estados Unidos: O Problema de Gênero em Livros Didáticos de Matemática. Revista de Investigação e Divulgação em Educação Matemática , [S. l.], v. 5, n. 1, 2021. DOI: 10.34019/2594-4673.2021.v5.33216. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/ridema/article/view/33216. Acesso em: 28 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos