Da avaliação externa à supervisão interna

um olhar sobre centros de formação contínua de professores

  • Betina Lopes Universidade de Aveiro
  • Carlota Fernandes Tomaz Universidade de Aveiro
  • Carla Ferreira Universidade de Aveiro
Palavras-chave: Professores, Formação continuada, Avaliação externa, Supervisão, Secção de Formação e Monitorização

Resumo

Neste artigo apresentam-se os resultados de uma avaliação externa realizada a cinco centros de formação de professores da zona centro de Portugal. Problematiza-se em particular o trabalho desenvolvido pelas respetivas equipas responsáveis pela monitorização e supervisão interna dos planos de formação implementados, partindo-se de três critérios-chave: qualificação da equipa, estratégia de recolha de dados no âmbito da monitorização/supervisão e efeitos da mesma. A recolha de dados inclui análise documental, inquérito por entrevista e por questionário. Os resultados apontam, sobretudo, para a necessidade de reconceptualização da avaliação enquanto processo e não (apenas) enquanto produto, numa perspetiva formativa e transformadora. Por fim, são delineadas um conjunto de recomendações específicas para diferentes atores profissionais envolvidos na formação de professores.

Biografia do Autor

Carlota Fernandes Tomaz, Universidade de Aveiro

Professora auxiliar no Departamento de Educação e Psicologia da Universidade de Aveiro, onde leciona diversas unidades curriculares. É Doutorada em Didática, colaboradora no CIDTFF e as suas áreas de interesse são: formação de professores, supervisão, educação inclusiva e educação para a cidadania. Tem participado em projetos de investigação e supervisionado estudantes de mestrado e doutoramento nas áreas referidas anteriormente.

 

Carla Ferreira, Universidade de Aveiro

Estudante de doutoramento em Educação (Ramo Supervisão e Avaliação), investigadora do CIDTFF. Integra o grupo de investigação “Política, Avaliação e Qualidade” e o Laboratório de Supervisão e Avaliação (Lab_SuA). As suas áreas de interesse são pedagogia; supervisão, avaliação e qualidade; formação de docentes. Atualmente, participa no 'Estudo sobre indicadores, modelos e experiências de monitorização e avaliação de aprendizagens e de desenvolvimento de crianças dos 3 aos 18 anos' (Fundação Calouste Gulbenkian).

Referências

ALMEIDA, Leandro; FREIRE, Teresa. A investigação em psicologia e educação. Metodologia da Investigação em Psicologia e Educação, 1, 2003, p. 18-34.
AMPUDIA DE HARO, Fernando; SERAFIM, Joana; COBRA, Jorge; FARIA, Liliana; ROQUE, Maria Isabel; RAMOS, Miguel: CARVALHO, Paula; COSTA, Raquel (2016). Investigação em Ciências Sociais – Guia Prático. Lisboa: Pactor.
ANDRADE, Ana Isabel; MARTINS, Filomena. Desafios e possibilidades na formação de professores – em torno da análise de relatórios de estágio. Educar em Revista, 33 (63), 2017, p. 137-154.
ANDRADE, Ana Isabel; TOMAZ, Carlota Fernandes; LOPES, Betina; COSTA, Nilza; FERREIRA, Carla. Aprendizagens profissionais de atores educativos: um estudo de avaliação de percursos de formação contínua. Aveiro: UA Editora, 2020 (no prelo).
AVALOS, Beatrice. (2009). Los conocimientos y las competencias que subyacen a la tarea docente. In Vélaz de Medrano, Consuelo. & Vaillant, Denise. (org.). Aprendizaje y desarrollo profesional docente. Madrid: OEI, 2009, p. 67-77.
CARAPETO, Carlos; FONSECA, Fátina. Administração Pública: Modernização, Qualidade e inovação. Lisboa: Edições Sílabo, 2014. Disponível em: http://pt.slideshare.net/nfraga/anlise-swot-2598647. Acesso em: 14 mar. 2020.
COHEN, Louis., MANION, Lawrence.; MORRISON, Keith. Research Methods in Education. New York: Routledge/Falmer, 2003.
CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA (C.C.P.F.C.) (2017). Relatório Anual do Conselho Científico-pedagógico da Formação Contínua. Braga: Ministério da Educação, 2017. Disponível em: http://www.ccpfc.uminho.pt/. Acesso em: 16 maio 2020.
COUTINHO, Clara. Metodologia de Investigação em Ciências Sociais e Humanas: Teoria e prática. Coimbra: Almedina, 2011.
CRESWELL, John. Research design: qualitative, quantitative and mixed method approaches. Thousand Oaks: Sage, 2014.
CUNHA, Cláudia Madruga.; VIEIRA, Flávia. Apresentação. Educar em Revista, 63, 2017, p. 13-17.
DARLING-HAMMOND, Linda. Teacher education around the world: What can we learn from international practice? European Journal of Teacher Education, 40(3), 2017, p. 291-309.
DAVIS, Stanley.; GOETSH, David. Quality management for organizational excellence. Introduction to total quality management. Pearson: UK, 2014.
FERNANDES, Domingos. Avaliação educacional: fundamento e políticas da educação básica e superior. Revista de Educação PUC – Campinas, 23(1), 2018, p. 19-36.
FERNANDES E SILVA, Vânia.; FREITAS, Marco Souza. Necessidades formativas de docentes de educação básica. Análise de um curso de formação continuada em centros de ciências. Instrumento Rev. Est. Pes. Edu., 18 (1), 2016, p. 99-111.
HEDLER, Helga. C; GIBRAM, Namara. The contribution of meta-evaluation to program evaluation: proposition of a model. Journal of Multidisciplinary Evaluation, 6 (12), 2009, p. 201 – 223.
IFAD. Evaluation Manual. Rome: IFAD, 2015. Disponível em: https://www.ifad.org/documents/38714182/39748829/manual.pdf/bfec198c-62fd-46ff-abae-285d0e0709d6. Acesso em: 13 dez. 2019.
LEITE, Carlinda. Percursos e tendências recentes da formação de professores em Portugal. Educação 3(57), 2005, 271-389.
LOPES, Betina. Abordagens ao ensino e práticas de questionamento no Ensino Superior. Tese de doutoramento não publicada. Aveiro: Universidade de Aveiro, 2013.
LOPES, Betina. Relatório de avaliação externa – análise SWOT dos cursos de mestrado em ‘Desenvolvimento Curricular’ e ‘Ensino das Ciências’ (2ª edição) do Instituto Superior de Ciências da Educação da Huíla. Aveiro: Universidade de Aveiro, 2016.
LOPES, Betina; COSTA, Nilza; MATIAS, B. F. Impact evaluation of two master courses attended by teachers: an exploratory research in Angola. Problems of Education in 21st century, 74, 2016, p. 49-60 Disponível em: http://oaji.net/articles/2016/457-1482867089.pdf). Acesso em: 10 abril 2020.
LOPES, Betina.; PEDROSA-DE-JESUS, Helena.; WATTS, Mike. The old questions are the best: Striving against invalidity in qualitative research. In Jeroen. Huisman & Malcolm Tight (Eds.), Theory and method in Higher Education research. Bingley, UK: Emerald Group Publishing Limited, v. 2, 2016, p. 1-22.
MERCHIE, Emmelien.; TUYTENS, Melissa., DEVOS, Geert; VANDERLINDE, Ruben. Evaluating teachers’ professional development initiatives: towards an extended evaluative framework. Research Papers in Education, 33 (2), 2018, p. 143-168.
NÓVOA, António. Profesores: ¿el futuro aún tardará mucho tiempo? In Consuelo. VÉLAZ de MEDRANO & Denise. VAILLANT (Org.), Aprendizaje y desarrollo profesional docente. Madrid: OEI-Fundación Santillana, 2009, p. 49-56.
NÓVOA, António. Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente. Cadernos de Pesquisa, 47(166), 2017, p. 1106-1133.
OECD. Evaluation feedback for effective learning and accountability. Paris: OCDE, 2001.
PROENÇA, F. Avaliando a cooperação descentralizada: pistas para um modelo com aplicação empírica. Working Paper n. º77. Lisboa: Centro de Estudos sobre África e do Desenvolvimento/Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade Técnica de Lisboa Disponível em: https://pascal.iseg.utl.pt/~cesa/files/Doc_trabalho/77.pdf. Acesso em: 15 jul. 2019.
SÁ-CHAVES, Idália. A construção de conhecimento pela análise reflexiva da praxis. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian/Fundação para a Ciência e a Tecnologia, 2002.
SAFI, Sayedwali. (2015). In-service training programs for schools teachers in Afghanistan: Teachers’ views about effectiveness of the In-service training. Tese de doutoramento. Karlstad: Karlstadt University Disponível em http://urn.kb.se/resolve?urn=urn:nbn:se:kau:diva-37178. Acesso em: 15 mar. 2010.
SCHLEICHER, Andreas. (Ed.). Preparing teachers and developing school leaders for the 21st century: lessons from around the world. OECD Publishing, 2012.
SILVA, Ana Maria Costa. A formação contínua de professores: uma reflexão sobre as práticas e as práticas de reflexão em formação. Educação & Sociedade, 21 (72), 2000.
TEDDLIE, Charles; TASSHAKKORI, Abbas. Foundations of mixed method research – integrating quantitative and qualitative approaches in the Social and Behavioral Sciences. Thousand Oaks: Sage, 2009.
TUCKER, Virginia, BRUCE, Christine; EDWARDS, Sylvia. Using grounded theory to discover threshold concepts in transformative learning experiences. In Jeroen Huisman & Malcolm Tight (Eds.), Theory and method in Higher Education. Bingley: Emerald Group Publishing Limited, v. 2, 2016, p. 23-46.
UNESCO (2018). International task force on teachers education 2030: Strategic plan 2018 – 2021. PARIS: UNESCO.
VIEIRA, Flávia; MOREIRA, Maria Alfredo. Supervisão e avaliação do desempenho docente. Lisboa: Conselho Coordenador para a Avaliação de Professores, 2011.
YADAV, Aman; GRETTER, Sarah; HAMBRUSCH, Susanne; SANDS, Phil. Expanding computer science education in schools: understanding teacher experiences and challenges. Computer Science Education, 26(4), 2016, p. 235-254.
Legislação:
PORTUGAL, 2015. Decreto-Lei nº 127, de 7 de julho: aprova as regras a que obedece a constituição e o funcionamento dos Centros de Formação de Associação de Escolas
PORTUGAL, 1992. Decreto-Lei n.º 249, de 9 de novembro: aprova o Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (revogado pelo Decreto-Lei n.º 22/2014, de 11 de fevereiro)
PORTUGAL, 2014. Decreto-Lei n.º 22, de 11 de fevereiro: estabelece o regime jurídico da formação contínua de professores e define o respetivo sistema de coordenação, administração e apoio.
PORTUGAL, 1986. Lei n.º 46, de 14 de outubro: Lei de Bases do Sistema Educativo (LBSE), com alterações introduzidas pela Lei n.º 115/2007, de 19 de setembro), e consignado no Decreto-Lei n.º 22/2014, de 11 de fevereiro, que aprova o novo regime jurídico da formação contínua de professores.
PORTUGAL, 2015. Decreto-Lei n.º 127, de 7 de julho: aprova as regras a que obedece a constituição e o funcionamento dos Centros de Formação de Associação de Escolas.
PORTUGAL, 2012. Decreto-Lei n.º 41, de 21 de fevereiro: estabelece o Estatuto da Carreira Docente.
Publicado
2020-06-30