O paradoxo entre as Diretrizes Curriculares do Curso de Pedagogia e a prática profissional em gestão escolar

Palavras-chave: Curso de Pedagogia, Diretrizes curriculares, Gestão escolar

Resumo

As preocupações com a formação de professores, bem como o processo de gestão da educação básica não é objeto recente de discussão, ganhando destaque a partir da década de 1990. Em meio à crise histórica de identidade do Curso de Pedagogia e a influência constante do Estado na regulação no ensino superior e da educação básica, buscou-se fazer resgate histórico, discutindo o papel do diretor de escola e contextualizando a normativa para a sua formação. Pautamos a pesquisa na análise documental e qualitativa fundamentada nas categorias: história, diretrizes curriculares, formação e gestão. Na tentativa de legitimar o papel do pedagogo, vislumbramos a formação acelerada pautada em diretrizes que preconizam egresso do ensino superior com muitas atribuições, mas que, diante da complexidade do papel do gestor escolar, não adquire competências suficientes no processo de formação inicial, o que torna incoerente a exigência primária desta habilitação ao cargo de diretor de escola.

Biografia do Autor

Rui Anderson Costa Monteiro, Universidade Nove de Julho

Doutor em Educação. Mestre em Políticas Sociais. Especialista em Direito Educacional e Educação Física Escolar. Graduado em Educação Física e Pedagogia. Docente da Universidade Nove de Julho (UNINOVE-SP) com foco na área de formação de professores e políticas de educação. Professor de Educação Física da rede pública do município de São Paulo. Coordenador de projetos para a formação de professores (PIBID). Autor do livro - Uma perspectiva da Lei de Diretrizes e Bases no Cotidiano Escolar. Autor de capítulos de livro sobre políticas de educação e formação de professores (PIBID). A área de estudo acadêmico volta-se para a compreensão da legislação e políticas da educação brasileira somado aos estudos relacionados aos fundamentos da Educação Física Escolar e para a formação de professores no Brasil. CONTATO: profruianderson@gmail.com

Referências

AGUIAR, Márcia Angela da Silva; et al. Diretrizes Curriculares do Curso de Pedagogia no Brasil: disputas de projetos no campo da formação do profissional da educação. Educação & Sociedade. Out, vol. 27, nº 96 – Especial, p. 819-842. Campinas, 2006. Disponível em . Acesso em: 02 jun. 2019.

ARANHA, Antônia Vitória Soares. Gestão e organização do trabalho escolar: novos tempos e espaços de aprendizagem. In Gestão educacional: novos olhares, novas abordagens. Maria Auxiliadora Monteiro Oliveira (Organizadora). Pág. 75-86. 6. Edição. Editora Vozes: Petrópolis, 2009.

BRASIL. Senado Federal. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília. 1996. Disponível em . Acesso em: 02 jun. 2019.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CP Nº 5/2005, de 13 de dezembro de 2005. Parecer sobre Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. Brasília, 2005. Disponível em . Acesso em: 02 jun. 2019.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução Nº 1, de 15 de maio de 2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia licenciatura. Brasília, 2006. Disponível em . Acesso em: 02 jun. 2019.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução Nº 2, de 20 dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Brasília, 2019. Disponível em
http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2019-pdf/135951-rcp002-19/file. Acesso em: 10 abr. 2020.

BRITO, Rosa Mendonça. Breve Histórico do Curso de Pedagogia no Brasil. Revista Eletrônica Dialógica. Universidade Federal do Amazonas, v. 01, nº 01. Manaus, 2006. Disponível em . Acesso em: 02 jun. 2019.

BRZERZINSKI, Iria. Formação de Professores para a Educação Básica e o Curso de Pedagogia: a tensão entre instituído e instituinte. RBPAE. Mai/Ago, v. 23, nº 02, p. 229-251. 2007. Disponível em . Acesso em: 02 jun. 2019.

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração: uma visão abrangente da moderna administração das organizações. 7 ed. revisada e atualizada. 12º reimpressão. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise. A “era das diretrizes”: a disputa pelo projeto de educação dos mais pobres. Revista Brasileira de Educação. Jan/Abr, v. 17, nº 49. Rio de Janeiro, 2012. Disponível em . Acesso em: 02 jun. 2019.

FRANCISCO, Iraci José Francisco. A atuação do diretor de escola pública: determinações administrativas e pedagógicas do cotidiano escolar. Dissertação de Mestrado apresentada na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2006. Disponível em . Acesso em: 02 jun. 2019.

ENS, Romilda Teodora; RIBAS, Marciele Stiegler. Política de Formação Inicial e Continuada de Professores da Educação Básica e as Mudanças nos Cursos de Licenciatura. Revista Dialogia. Universidade Nove de Julho, nº 16, p. 99-112. São Paulo, 2012.

FURLAN, Cacilda Mendes Andrade. História do Curso de Pedagogia no Brasil: 1939-2005. VIII Congresso Nacional de Educação da PUCPR (EDUCERE) – Edição Internacional. Curitiba, 2008. Disponível em . Acesso em: 02 jun. 2019.

GATTI, Bernadete Angelina. A formação de professores no Brasil: características e problemas. Educação e Sociedade. v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out.-dez. Campinas. 2010.

GATTI, Bernadete Angelina. Licenciaturas, Educação Básica e a Pesquisa Educacional no Brasil. Revista Dialogia. Universidade Nove de Julho, nº 16, p. 15-44. São Paulo, 2012.

HOY, Wayne K.; MISKEL, Cecil G.; TARTER, C. John. Administração educacional: teoria, pesquisa e prática. Tradução: Henrique de Oliveira Guerra; revisão técnica: Márcia Rosiello Zenker. 9 ed. Porto Alegre: AMGH Editora, 2015, 519 p.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

LIBÂNEO, José Carlos. Diretrizes Curriculares da Pedagogia: Imprecisões Teóricas e Concepção Estreita da Formação Profissional de Educadores. Educação & Sociedade. Out, vol. 27, nº 96 – Especial, p. 843-876. Campinas, 2006. Disponível em . Acesso em: 02 jun. 2019.

LÜCK, Heloísa. Dimensões de gestão escolar e suas competências. Editora Positivo. Curitiba, 2009. Disponível em . Acesso em: 02 jun. 2019.

MAINARDES, Carolina. O papel gerencial do gestor escolar. Revista Gestão Educacional. Humana Editorial. Curitiba, 2014. Disponível em . Acesso em: 02 jun. 2019.

MARTELLI, Andréa Cristina; MANCHOPE, Elenita C. P. A história do curso de Pedagogia no Brasil: da sua criação ao contexto após LDB 9394/96. Revista Eletrônica de Educação. vol. 03, nº 01. Campo Largo, 2004. Disponível em . Acesso em: 02 jun. 2019.

PARO, Vitor Henrique. Administração escolar: introdução crítica. 11ª edição. Cortez. São Paulo, 2002.

PARO, Vitor Henrique. A educação, a política e a administração: reflexões sobre a prática do diretor de escola. Educação e Pesquisa, v. 36, n.3, p. 763-778, set./dez. São Paulo, 2010.

SAVIANI, Demerval. O Espaço Acadêmico da Pedagogia no Brasil: perspectiva histórica. Paidéia, 14 (28), p. 113-124. Ribeirão Preto, 2004. Disponível em . Acesso em: 02 jun. 2019.

SAVIANI, Nereide. Saber escolar, currículo e didática: problemas da unidade conteúdo/método no processo pedagógico. 4. ed. Campinas: Autores Associados, 2003.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. rev. e atual. São Paulo: Cortez, 2007.

TANURI, Leonor Maria. História da Formação de Professores. Revista Brasileira de Educação. ANPEd nº 14 – Edição Especial - Mai/Jun/Jul/Ago. Rio de Janeiro, 2000. Disponível em . Acesso em: 02 jun. 2019.
Publicado
2020-11-30
Seção
Artigos