Saberes docentes e os bebês

os espaços como coeducadores na creche

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/1984-5499.2020.v22.29969

Palavras-chave:

Formação continuada, Espaço educador, Educação de bebês

Resumo

Este artigo apresenta um relato de experiência de formação continuada no município de Santo André/SP, constituindo-se em uma das ações de implementação da Proposta Curricular Municipal. O trabalho formativo teve como objetivo a tematização do espaço como coeducador, com foco no berçário, compreendendo-o como um ambiente promotor de experimentações e vivências que contribuem para o desenvolvimento e aprendizagem dos bebês. Os encontros com os(as) educadores(as) foram pautados em estudos teóricos e discussões sobre a prática pedagógica à luz da concepção sócio-histórico-cultural defendida no currículo da cidade. Como resultado observa-se, a partir dos relatos dos(as) docentes, que a formação proporcionou reflexão e o compartilhar de experiências que contribuíram para o desenvolvimento profissional dos(as) participantes que atuam na primeiríssima infância.

Biografia do Autor

Elizabete Filomena Santos, Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS)

Atualmente é mestranda em Educação pela USCS - Universidade Municipal de São Caetano do Sul na àrea de concentração em Formação de Professores, linha de Pesquisa em Gestão Escolar e Políticas Públicas, tendo como orientador o Professor Doutor Paulo Sérgio Garcia. Atua como Coordenadora de Serviços Educacionais na CEPEC - Coordenação de Estudos e Pedagógicos e Curriculares da prefeitura do município de Santo André, São Paulo. Especialista em Educação Especial - Deficiências Auditiva e Intectual e em Gestão educacional e coordenação Escolar. Possui graduação em Letras -Português/Inglês pelo Centro Universitário Fundação Santo André (1998) e graduação em Pedagogia pela Universidade Bandeirante de São Paulo (2010).

Marta Regina Paulo da Silva, Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS)

Doutora em Educação pela UNICAMP. Mestre em Educação pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Graduada em Pedagogia e Psicologia. Docente-Pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (PPGE-USCS). Coordenadora da Brinquedoteca do curso de Pedagogia da USCS. Coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisa Infâncias, Diversidade e Educação - GEPIDE (PPGE-USCS) e do Grupo de Estudos e Pesquisa Paulo Freire - GEPPF (PPGE-USCS). Atuou como docente do curso de Pedagogia da UMESP, onde também foi coordenadora de Estágio. Nesta universidade coordenou o curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Educação Infantil e a Brinquedoteca do curso de Pedagogia. Foi coordenadora de área do PIBID do curso de Pedagogia Presencial (UMESP/CAPES). Trabalhou na Equipe de Orientação Técnica da Secretaria de Educação da Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo. Atua na formação docente em instituições públicas e privadas. Possui livros e artigos publicados na área de educação.

Referências

AZEVEDO, Giselle. A. et al. Padrões de infra-estrutura para o espaço físico destinado à educação infantil e Parâmetros de Qualidade para a Educação Infantil. Proarq/FAU-UFRJ, 2004. Disponível em http://www.fau.ufrj.br/prolugar/arq_pdf/diversos/coedi_padroes_educ_infantil.pdf. Acesso em: 25 jun. 2011
BARBOSA, Maria Carmem Silveira. Especificidades da ação pedagógica com os bebês. Anais do I seminário nacional: currículo em movimento – Perspectivas Atuais Belo Horizonte, novembro de 2010. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2010-pdf/7154-2-2-artigo-mec-acao-pedagogica-bebes-m-carmem/file. Acesso em 01/06/2019.
BORGES, Juliana Diniz Gutierres; GARCIA, Maria Manuela Alves. A Formação para Docência na Educação Infantil nos cursos de Pedagogia de Universidades Públicas Gaúchas. IV Congresso Nacional de Formação de Professores e XIV Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores. Aguas de Lindóia, São Paulo, 2018.
BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, [2016]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/ Constituiçao.htm. Acesso em: 1 mar. 2020
BRASIL. Indicadores da Qualidade na Educação Infantil / Ministério da Educação/Secretaria da Educação Básica – Brasília: MEC/SEB, 2009.
BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução n. 01, de 07 de abril de 1999. Institui as diretrizes curriculares nacionais para a Educação Infantil. Diário Oficial da União, Brasília, 09 de dezembro de 2009, Seção 1, p. 14.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil. Brasília: MEC/SEB, 2010.

DOCUMENTÁRIO O Começo da Vida. Diretora Estela Renner. Apresentado por Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal, Bernard van Leer Fundation, Alana. Unicef. Produzido por Maria Farinha Filmes. 2016. Disponível em ocomeçodavida.com.br Acesso em 06 de maio. de 2019
FARIAS, Cristiane dos Santos; MAGALHÃES, Cassiana; LEITE, Luana Carolina Cruz. Os impactos da organização do espaço para o trabalho pedagógico com bebês. Congresso-EDUCERE. IV Seminário Internacional de Representações Sociais, Subjetividade e Educação – SIRSSE. IV Seminário Internacional sobre Profissionalização Docente (SIPD/CÁTEDRA UNESCO). 13°Edição. Curitiba, Paraná. 2017.
FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa - 12. Ed.-São Paulo: Paz e Terra:1999.
GANDINI, Leila. Espaços educacionais e envolvimento pessoal. In: EDWARDS, C. P. As cem linguagens da criança: a abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância. Porto Alegre: Artmed, 1999. p. 95-111.
GUARNIERI, Maria Regina. O início na carreira docente: Pistas para o estudo do trabalho do professor. In: Anais da Anped, 1997.
MALAGUZZI, Loris. História, ideias e filosofia básica. In: EDWARDS, Carolyn; GANDINI, Lella; FORMAN, George. As Cem Linguagens da Criança: a abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância. Porto Alegre: Artmed, 1999. p.59-104.
PASQUALINI, Juliana Campregher. A periodização do desenvolvimento psíquico à luz da escola de Vigotski: a teoria histórico-cultural do desenvolvimento infantil e suas implicações pedagógicas. Infância e pedagogia histórico-crítica, 2009.
PIMENTA, Selma Garrido; FUSARI, José Cerchi; PEDROSO, Cristina Cinto Araujo; PINTO, Umberto de Andrade. Os cursos de licenciatura em Pedagogia: fragilidades na formação inicial do professor polivalente. Educação e Pesquisa, São Paulo, volume 43, número 1, pág 15-30, jan./mar., 2017.
SAVIANI, Demerval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11. ed. Campinas: Autores Associados, 2013.

SOUZA, Renata Junqueira de; HERNANDES, Elianeth Dias Kanthack; SILVA, Isabela Fernanda Roberto da; A organização do espaço escolar na educação infantil. Revista Zeroa-seis. 2016

Ateliê Carambola Escola de Educação Infantil. III Mostra Cultural da Infância. 2016. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=QKgm65fBTYY. Acesso em: 20 de maio. de 2019.

VILLACHAN-LYRA, Pompéia.; QUEIROZ, Ericka, Fernanda. F. MOURA; Rosemery. Batista. e GIL, Márcia. Entendendo o desenvolvimento infantil: contribuições das neurociências e o papel das relações afetivas para pais e educadores. Recife. 2017.50p.

Downloads

Publicado

2020-11-30

Edição

Seção

Relatos