A influência das avaliações externas no trabalho docente e na significação de qualidade

  • Alesandra Maia Lima Alves Colégio de Aplicação João XXIII\UFJF
  • Elita Betania de Andrade Martins Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Denise Rangel Miranda Rede municipal de ensino de Juiz de Fora/MG
Palavras-chave: Políticas Públicas, Avaliação, Qualidade

Resumo

O presente texto apresenta reflexões desenvolvidas como parte do estudo do grupo de pesquisa GESE (Grupo de Estudos em Sistemas de Ensino) coordenado por professores de uma escola federal e da Faculdade de Educação/UFJF. A pesquisa teve como objetivo identificar possíveis transformações nas práticas docentes e gestoras reconhecidas por profissionais da rede pública de Minas Gerais como decorrentes das atuais políticas educacionais. Utilizamos como suporte teórico-metodológico de Ball e Fairclough e utilizou como instrumentos de coleta dados questionários, entrevistas e análises de documentos. Parte das informações obtidas será aqui apresentada e revelaram que dentre as atuais políticas educacionais a avaliação externa tem assumido centralidade nas discussões realizadas nas escolas, provocando mudanças nas formas de trabalho sobretudo na ação docente que tem implicado em novas significações para o termo qualidade educacional.

Biografia do Autor

Alesandra Maia Lima Alves, Colégio de Aplicação João XXIII\UFJF

Doutora  em Educação pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2015). Prof . Educação básica - Colégio de Aplicação João XXIII/UFJF, professor permanente do Mestrado profissional do Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação do CAED\UFJF. 

Elita Betania de Andrade Martins, Universidade Federal de Juiz de Fora

Doutora em Educação e Professora Adjunta Faculdade de Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Denise Rangel Miranda, Rede municipal de ensino de Juiz de Fora/MG

Doutora em Educação, Professora e Coordenadora da rede municipal de ensino de Juiz de Fora.

Referências

BALL, Stephen John; BOWE, Richard. Subject departments and the implementation” of national curriculum policy: an overview of the issues. Journal of Curriculum Studies, London, v. 24, n. 2, p. 97-115, 1992.

BALL, Stephen John. Profissionalismo, gerencialismo e performatividade. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 35, n. 126, p. 539-564, set./dez. 2005.

BALL, Stephen John. Reforma educacional como barbárie social: economismo e o fim da autenticidade. Práxis Educativa, Ponta Grossa, PR, v. 7, n. 1, p. 33-52, jan./jun. 2012. Disponível em: http://www.revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa. Acesso em: 16 jul. 2012.

BALL, Stephen Jonh Education Reform. Buckingham, OUP. London, 1994.

BONAMINO, Alicia; SOUZA, Sandra Zákia. Três gerações de avaliação da educação básica no Brasil: interfaces com o currículo da/na escola. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 38, n. 2, abr./jun. 2012.

BOWE, R., BALL, S; GOLD With. A reforming education and changing schools: case studies in policy sociology. London: Routledge, 1992.

BRITO, Vera Lúcia Ferreira Alves de. Identidade docente: um processo de avanços e recuos. In: BRITO, Vera Lucia Ferreira Alves (Org.) Professores: identidade, profissionalização e formação. Belo Horizonte, MG: Editora Argvmentvm, 2009. p. 79-100.

CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 2, 1997, Belo Horizonte. Plano Nacional de Educação: proposta da sociedade brasileira. Disponível em: http://www.fedepsp.org.br/documentos/PNE%20-%20proposta%20da%20sociedade%20brasileira.pdf . Acesso em: 20 jun. 2018.

COSTA, Sandro Coelho. A educação infantil no município de Contagem-MG: análise de uma política (1996-2010). 2010. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Educação: Conhecimento e Inclusão Social) - Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, 2010.

FAIRCLOUGH, Norman. Discurso e mudança social. 2. ed. Brasília: Editora da UNB, 2016.

HORTA NETO, João Luiz. Avaliação externa de escolas e sistemas: questões presentes no debate sobre o tema. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 91. n. 227, p. 84-104, jan./abr. 2010.

JARDIM, José Maria; SILBA Sérgio Conde de Albite; NHARRELUGA, Rafael Simone. Análise de políticas públicas: uma abordagem em direção às políticas públicas de informação. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 14, n. 1, jan./abr. 2009. Disponível em:

http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/743/535. Acesso em: 18 jul. 2018.

LIMA, Waner Gonçalves. Política pública: discussão de conceitos. Interface, E. 05, out. 2012. Disponível em: http://revista.uft.edu.br/index.php/interface/article/viewFile/370/260. Acesso em: 20 jul. 2018.

MAINARDES, Jefferson. A abordagem do ciclo de políticas e suas contribuições para análises da trajetória de políticas educacionais. Atos de Pesquisa em Educação, Blumenau, SC, v. 1, n. 2, p. 94-105, mai./ago. 2006. Disponível em: http://proxy.furb.br/ojs/index.php/atosdepesquisa/article/view/34/10. Acesso em: 20 jul. 2018.

MAINARDES, Jefferson. Reinterpretando os ciclos de aprendizagem. São Paulo: Cortez, 2007.

MATHEUS, Daniele dos Santos; LOPES, Alice Cassimiro. Sentidos de qualidade na política de currículo (2003-2012). Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 39, p. 337-357, n. 2, abr./jun. 2014.

SHIROMA, Eneida Oto; EVANGELISTA, Olinda. Formação humana ou produção de resultados? Trabalho docente na encruzilhada. Revista Contemporânea de Educação, Rio de Janeiro, v. 10, n. 20, p. 314-341, jul./dez. 2015.

SOUSA, Sandra Sákia; OLIVEIRA, Romualdo Portela de. Sistemas estaduais de avaliação: uso dos resultados, implicações e tendências. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 40, n. 141, p. 793-822, set./dez. 2010.

Publicado
2019-12-21