Radiopacidade de diferentes cimentos resinosos utilizando imagem digital direta: comparação com as estruturas dentais humanas

Autores

  • Francielle Silvestre Verner Faculdade de Odontologia - Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Maria Augusta Portella Guedes Visconti Faculdade de Odontologia - Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Maria Elizabeth Marques Nogueira Martins Faculdade de Odontologia - Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Luciana Andrea Salvio Faculdade de Odontologia - Universidade Federal Juiz Fora
  • Fabíola Pessôa Pereira Leite Faculdade de Odontologia - Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Karina Lopes Devito Faculdade de Odontologia

Palavras-chave:

Cimentos de resina, Radiografia digital, Esmalte dentário, Dentina, Fotopolimerização.

Resumo

A radiopacidade é uma propriedade física desejável aos agentes cimentantes. Segundo o padrão ISO 4049, estes materiais devem ser mais radiopacos do que a dentina. Neste estudo determinou-se a radiopacidade de quatro cimentos resinosos (Panavia™ F 2.0, Enforce® Flúor, Clearfil® Esthetic Cement e RelyX™ ARC) comparados ao cimento padrão fosfato de zinco e às estruturas dentais humanas. Foram radiografados um corpo de prova de cada material, uma escala de densidade de alumínio e três cortes longitudinais de molares humanos hígidos, por meio de um sistema de radiografia digital direto. Os cimentos resinosos foram fotopolimerizados com luz halógena e luz LED. Foram realizadas medidas de densidade óptica por meio do software Adobe Photoshop®. Os valores de radiopacidade dos agentes cimentantes foram expressos em espessura de alumínio. A análise de variância indicou diferença significativa entre os valores de radiopacidade dos materiais testados, exceto na comparação entre RelyX™ ARC e Clearfil® Esthetic Cement, que não diferiram entre si. O resultado foi o mesmo independente do tipo de luz utilizada para polimerização. Dos cimentos resinosos o Enforce® Flúor foi o mais radiopaco e o Panavia™ F 2.0 apresentou o menor valor de radiopacidade. Os cimentos resinosos testados apresentaram radiopacidade inferior à do cimento fosfato de zinco, no entanto todos atingiram o limite mínimo estabelecido pelo padrão ISO 4049.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francielle Silvestre Verner, Faculdade de Odontologia - Universidade Federal de Juiz de Fora

Mestrado em Clínica Odontológica, área de concentração Clínica Odontológica.

Maria Augusta Portella Guedes Visconti, Faculdade de Odontologia - Universidade Federal de Juiz de Fora

Mestrado em Clínica Odontológica, área de concentração Clínica Odontológica.

Maria Elizabeth Marques Nogueira Martins, Faculdade de Odontologia - Universidade Federal de Juiz de Fora

Departamento de Odontologia Restauradora - Prótese Parcial Removível

Luciana Andrea Salvio, Faculdade de Odontologia - Universidade Federal Juiz Fora

Departamento de Odontologia Restauradora - Materiais Dentários

Fabíola Pessôa Pereira Leite, Faculdade de Odontologia - Universidade Federal de Juiz de Fora

Departamento de Odontologia Restauradora - Prótese Parcial Fixa

Karina Lopes Devito, Faculdade de Odontologia

Departamento de Clínica Odontológica - Radiologia Odontológica

Downloads

Publicado

2012-03-23

Como Citar

1.
Verner FS, Visconti MAPG, Martins MEMN, Salvio LA, Leite FPP, Devito KL. Radiopacidade de diferentes cimentos resinosos utilizando imagem digital direta: comparação com as estruturas dentais humanas. hu rev [Internet]. 23º de março de 2012 [citado 9º de dezembro de 2022];37(2). Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/1313

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)