Avaliação in vitro da microinfiltração em cavidades classe II previamente tratadas com clorexidina a 2% e hibridizadas com sistema adesivo universal

Autores

  • Felipe de Oliveira Resende Cirurgião Dentista pela Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Carolina Oliveira de Andrade Cirurgiã Dentista e Mestre em Clínica Odontológica pela Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Luciana Andrea Salvio Professora Associada I da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Juiz de Fora

Palavras-chave:

Infiltração dentária, Clorexidina, Adesivos dentinários, Odontologia

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar a microinfiltração em cavidades classe II previamente tratadas com solução de digluconato de clorexidina a 2% (CHX) e hibridizadas com sistema adesivo universal. Foram utilizados 20 terceiros molares hígidos; cavidades tipo classe II foram realizadas nas faces proximais de cada dente. Os dentes foram divididos em 4 grupos (n=10) e restaurados da seguinte maneira: Grupo 1, condicionamento com ácido fosfórico a 35%, aplicação de solução de CHX, aplicação do adesivo Single Bond Universal (SBU), fotopolimerização e restauração com resina composta Filtek Z350; Grupo 2, aplicação de CHX, aplicação do SBU na técnica autocondicionante; Grupos 3 e 4 seguiram os mesmo passos, no entanto, sem a aplicação de CHX. Os dentes tiveram os ápices radiculares selados, cobertos com duas camadas de verniz cosmético e imersos em solução corante a 37°C por 48hs. Após o armazenamento, foram seccionados pelo centro da restauração e submetidos a análise de penetração do corante pelo programa Image Tool. A análise estatística de microinfiltração foi realizada pelo teste Anova Two Way e Teste de Tukey (α=0,05). Os resultados mostraram que não houve diferença estatisticamente significativa entre os grupos. Para a técnica convencional com e sem CHX os valores de microinfiltração foram de 33,80 (±20,58) e 47,01 (±20,96) respectivamente. Já para a técnica autocondicionante com e sem CHX os valores foram de 34,98 (±10,69) e 36,86 (±12,90). Portanto a aplicação de CHX a 2% previamente ao sistema adesivo SBU em ambas técnicas, não influenciou na ocorrência da microinfiltração.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe de Oliveira Resende, Cirurgião Dentista pela Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Juiz de Fora

Departamento de Odontologia Restauradora Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Juiz de Fora

Carolina Oliveira de Andrade, Cirurgiã Dentista e Mestre em Clínica Odontológica pela Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Juiz de Fora

Departamento de Odontologia Restauradora Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Juiz de Fora

Luciana Andrea Salvio, Professora Associada I da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Juiz de Fora

Departamento de Odontologia Restauradora

Área de Materiais Dentários

Referências

BRESCHI, L. et al., Chlorhexidine stabilizes the adhesive interface: A 2-year in vitro study. Dental Materials, v. 26, p. 320-325, 2010.

BUONOCORE, M. G. A simple method of increasing the adhesion of acrylic filling materials to enamel surfaces. Journal Dental Research, v. 34, n. 3, p. 849-853, 1955.

CARRILHO, M. R. O. et al., Chlorhexidine preserves dentin bond in vitro. Journal Dental Research, v. 86, p. 90-94, 2007.

CARRILHO, M. R. O. et al., Host-derived Loss of dentin matrix stiffness associated with solubilization of collagen. J Biomed Mater Res B Appl Biomater, v. 90, p. 373-380, 2009.

CARRILHO, M. R. et al., Substantivity of Chlorhexidine to Human Dentin. Dental Materials, v. 26, p. 779-785, 2010.

DE MELO, M. A. S. et al., Effect of chlorhexidine on the bond strength of a self-etch adhesive system to sound and demineralized dentin. Brazilian Oral Research, v. 27, p. 218-224, 2013.

DE MUNCK, J. et al., Enzymatic degradation of adhesive-dentin interfaces produced by mild self-etch adhesives. European Journal of Oral Science, v. 118, p. 494-501, 2010.

DI HIPÓLITO, V. et al., Effectiveness of self-adhesive luting cements in bonding to chlorhexidine-treated dentin. Dental Materials, v. 28, p. 495-501, 2012.

KASRAIE, S. et al., Microleakage of dual-cured adhesive systems in class V composite resin restorations. Journal of Dentistry, v. 9, p. 99-106, 2012.

KIM, D. S. et al., The influence of chlorhexidine on the remineralization of demineralized dentine. Journal of Dentistry, v. 39, p. 855-862, 2010.

KOMORI, P. C. P. et al., Effect of 2% chlorhexidinedigluconate on the bond strength to normal versus cariesaffected dentin. Operative Dentistry, v. 34, p. 40-55, 2009.

MYAKI, S. I.; BALDUCI, I. Microinfiltração em Restaurações Ocluso Proximais de Molares Decíduos Restaurados com Resina Composta Após Diferentes Pré-Tratamentos de Esmalte e Dentina. Pesquisa Brasileir Odontopediatria Clínica Integrada, v. 5, p. 09-15, 2005.

NAKABAYASHI, N.; KATSUNORI, K.; EIICHI, M.The promotion of adhesion by the infiltration of monomers into tooth substrates. Journal of Biomedical Materials Research. V. 16, p. 265-273, 1982.

NISHITANI, Y. et al., Effects of chlorhexidine in self-etching adhesive: 24 hours results. Dental Materials Journal, v. 32, p. 420-424, 2013.

SALVIO, L. A. et al., Hybridization quality and bond strength of adhesive systems according to interaction with dentin. European Journal of Dentistry, v. 7, p. 315-326, 2013.

SHAFIEI, F.; ALIKHANI, A.; ALAVI, A. A. Effect of chlorhexidine on bonding durability of two self-etching adhesives with and without antibacterial agent to dentin. Dental Research Journal, v. 10, p. 795-801, 2013.

SHARMA, V.; NAINAN, M. T.; SHIVANNA, V. The effect of cavity disinfectants on the sealing ability of dentin bonding system: An in vitro study. Journal of Conservative Dentistry, v. 12, p. 109-113, 2009.

SINGLA, M.; AGGARWAL, V.; KUMAR, N. Effect of chlorxedine cavity desinfection on microleakage in cavities restored with composite using a selfetching single bottle adhesive. Journal of Conservative Dentistry, v. 14, p. 374-377, 2011.

STANISLAWCZUK, R.; REIS, A.; LOGUERCIO, A. D. A 2-year in vitro evaluation of a chlorhexidine-containing acid on the durability of resin–dentin interfaces. Journal of Dentistry, v. 39, p. 40-47, 2011.

STANISLAWCZUK, R. et al., Effects ofchlorhexidinecontaining adhesives on the durability of resin–dentine interfaces. Journal of Dentistry, v. 42, p. 39-47, 2014.

ZHOU, J. et al., Effect of chlorhexidine application in a self-etching adhesive on the immediate resindentin bond strength. Journal of Adhesive Dentistry, v. 12, p. 27-31, 2010.

Downloads

Publicado

2016-11-22

Como Citar

1.
Resende F de O, de Andrade CO, Salvio LA. Avaliação in vitro da microinfiltração em cavidades classe II previamente tratadas com clorexidina a 2% e hibridizadas com sistema adesivo universal. hu rev [Internet]. 22º de novembro de 2016 [citado 4º de outubro de 2022];42(3). Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/2506

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)