ARTE, VIDA, INFÂNCIA, TERRITÓRIO: POR UMA SEMIÓTICA DA IMAGINAÇÃO E DO ESPAÇO

  • Luciano Ponzio Università del Salento - UniSalento, em Lecce – Itália
Palavras-chave: Texto. Território. Arte.

Resumo

Situado em uma espécie de “mapatexto”, poderíamos
imaginar o texto de escritura como uma parte
mutável de um continente (de Arte, de Literatura,
de Filosofia, etc.), fora de registro, não enquadrável
nas cartografias tradicionais, não inscrevível
dentro dos mapas de territórios ideológicos. Um
texto é um texto de escritura quando é estranho
e externo a cada confim territorial, desprovido
de fronteiras ideológicas; sem morada, sem pose;
não-denominável, paradoxalmente ilegível, que
a língua não consegue consumir. A semiótica é
a específica tendência do animal humano para
refletir sobre seus próprios signos e dos outros,
portanto de único responsável em nível planetário
capaz de re-escrever a superfície do mundo através
de estratégias textuais.
Publicado
2018-12-27
Seção
Artigos