A “PRATA DA CASA”: PERCURSOS ACADÊMICOS E TRAJETÓRIAS PROFISSIONAIS DE EX-ALUNAS DO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO DO RIO DE JANEIRO (1930-1960)

  • Sônia Lopes Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Patricia Gurgel Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: História, educação, percursos acadêmicos

Resumo

O Instituto de Educação do Rio de Janeiro3 tem sido objeto de um número expressivo de estudos no campo da história da educação. Entretanto, a maioria tende a concentrar-se em torno de aspectos relacionados à história institucional, em especial aos modelos de formação docente e às práticas educativas ali desenvolvidas entre as décadas de 1930 e 1960 (Castro, 1986; Accácio, 1993; Vidal, 2001; Martins, 1996; Lopes, 2006; Pinto, 2006). Estudos que focalizam especificamente os sujeitos envolvidos no processo educativo são menos comuns, destacando-se alguns trabalhos que priorizaram a identidade discente, como por exemplo, o de Villanova (2007) que traça um perfil das normalistas dos anos 1940-50, através do exame de revistas produzidas pelas próprias alunas. Em relação à categoria docente, vale citar a pesquisa de Accácio (2002) que analisou os concursos para provimento das cadeiras da Escola Normal do Distrito Federal, realizados no período de 1928 a 19304, antes, portanto, da transformação da Escola em Instituto de Educação, fato que só ocorreu em 1932 com a reforma empreendida por Anísio Teixeira, na condição de diretor da Instrução Pública do Distrito Federal.
Publicado
2017-08-14
Seção
Artigos