À Sombra do Baobá: A Cultura Negra na Educação Etnomatemática

  • Wanderleya Nara Gonçalves Costa Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT)
  • Vanísio Luiz da Silva Rede Municipal de Ensino de São Paulo
Palavras-chave: Africanidade. Ciências exatas. Tecnologias. Etnomatemática. Afetividade.

Resumo

O presente ensaio tem como objetivo contribuir com o cumprimento das determinações das Leis nº 10.639/03 e nº 11.645/08 por parte dos docentes da área de Ciências Exatas. Pautamo-nos no Programa Etnomatemática e em uma perspectiva socioconstrutivista da Psicologia da Educação Matemática para sugerir que a afetividade seja tomada como fator relevante para a aprendizagem escolar. Argumentamos que a adoção deste referencial, em conjunto com uma postura pedagógica que considere os elementos estruturantes da africanidade, pode colaborar com a emergência de conceitos e valores relevantes à constituição de posturas e estratégias pedagógicas mais adequados à população brasileira.

Biografia do Autor

Wanderleya Nara Gonçalves Costa, Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT)

Professora da UFMT. Doutora em Educação pela USP. Membro do GEPEm-FE/USP e do GEPENI/UFMT.

Vanísio Luiz da Silva, Rede Municipal de Ensino de São Paulo

Professor da rede municipal de São Paulo. Doutor em Educação pela USP. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etnomatemática (GEPEm-FE/USP) e do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etnomatemáticas Negras e Indígenas (GEPENI/UFMT).

Publicado
2016-12-12
Seção
Artigos