À Sombra do Baobá: A Cultura Negra na Educação Etnomatemática

Autores

  • Wanderleya Nara Gonçalves Costa Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT)
  • Vanísio Luiz da Silva Rede Municipal de Ensino de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.22195/2447-524620162119875

Palavras-chave:

Africanidade. Ciências exatas. Tecnologias. Etnomatemática. Afetividade.

Resumo

O presente ensaio tem como objetivo contribuir com o cumprimento das determinações das Leis nº 10.639/03 e nº 11.645/08 por parte dos docentes da área de Ciências Exatas. Pautamo-nos no Programa Etnomatemática e em uma perspectiva socioconstrutivista da Psicologia da Educação Matemática para sugerir que a afetividade seja tomada como fator relevante para a aprendizagem escolar. Argumentamos que a adoção deste referencial, em conjunto com uma postura pedagógica que considere os elementos estruturantes da africanidade, pode colaborar com a emergência de conceitos e valores relevantes à constituição de posturas e estratégias pedagógicas mais adequados à população brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wanderleya Nara Gonçalves Costa, Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT)

Professora da UFMT. Doutora em Educação pela USP. Membro do GEPEm-FE/USP e do GEPENI/UFMT.

Vanísio Luiz da Silva, Rede Municipal de Ensino de São Paulo

Professor da rede municipal de São Paulo. Doutor em Educação pela USP. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etnomatemática (GEPEm-FE/USP) e do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etnomatemáticas Negras e Indígenas (GEPENI/UFMT).

Downloads

Publicado

2016-12-12

Edição

Seção

Artigos