Currículo na Educação Infantil e as Ciências da Natureza: (Re)Educando para a Diversidade Étnico-Racial

  • Lucimar Rosa Dias Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Maria Clareth Gonçalves Reis Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF)
Palavras-chave: Currículo. Educação Infantil. Ciências da natureza. Diversidade étnico-racial. Práticas pedagógicas.

Resumo

Neste artigo, analisamos as propostas curriculares da educação infantil dos municípios do Rio de Janeiro-RJ e de Curitiba-PR, e os conhecimentos relacionados às ciências da natureza nelas previstos. Para essa reflexão, tomamos como referência teórica Gomes e Jesus (2013), Dias (2011), Kramer (2007), Silva Junior (2011), Reis (2010), Bento (2011), Silva (2009) e Tiriba (2010). Além dos(as) teórico(as), consideramos a Lei de Diretrizes e Bases da Educação e as Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Infantil (2009). Constatamos que, mesmo com mais de 10 anos da alteração da LDB e cinco anos da revisão das DCNEI, as propostas pedagógicas da educação infantil dessas capitais brasileiras não contemplam as proposições legais que recomendam a oferta de aprendizagem relativa às culturas afro-brasileira e africana. Com isso, apontamos a necessidade urgente de atualização desses documentos, ao mesmo tempo em que indicamos práticas pedagógicas a serem realizadas de imediato – a fim de garantir às crianças da educação infantil o direito ao conhecimento dessa área, tomando-a sob uma perspectiva plural e que contemple a história e cultura afro-brasileira e indígena. Dessa forma, as determinações legais serão cumpridas.

Biografia do Autor

Lucimar Rosa Dias, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Professora da Universidade Federal do Paraná (UFPR) no curso de Pedagogia. Atuante no Programa de PósGraduação em Educação do Setor de Educação na Linha de Políticas Educacionais. Trabalhou na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS – Campus de Três Lagoas) de 2009 a 2013. Doutora pela USP. Mestra pela UFMS. Sua experiência em docência começou nas séries iniciais do ensino fundamental em redes públicas e privadas. Suas pesquisas e atividades de extensão enfatizam a diversidade étnico-racial e
822
práticas promotoras da Igualdade Racial na Educação Infantil, Formação de Professores(ras) e Currículo. Consultora desde 2003 em diversos programas desenvolvidos pelo Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (CEERT) e MEC. Coautora da coletânea Outras Histórias ... Culturas Afro-brasileiras e Indígenas e a autora do livro infantil Cada um é de um jeito, cada jeito é de um. Possui vários artigos publicados em revistas, periódicos e jornais sobre políticas de educação infantil e a diversidade étnico-racial.

Maria Clareth Gonçalves Reis, Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF)

Professora associada da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF). Coordenadora de extensão do Centro de Ciências do Homem. Coordenadora do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (NEABI – UENF). Professora do Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política da UENF. Graduada em Letras pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Graduada em Pedagogia pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Montes Claros. Mestra em Educação pela UFJF. Doutora em Educação pela UFF. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Relações Raciais e Educação; Formação de professores; Quilombo; Identidade Étnico-Racial; Educação Infantil, Artes Cênicas (expressão corporal e teatro).

Publicado
2016-12-12
Seção
Artigos