Formação docente em Ensino de Ciências: uma reflexão a partir da epistemologia da ignorância

  • Fábio Augusto Rodrigues e Silva
  • Francisco Ângelo Coutinho
Palavras-chave: Formação de professores. Epistemologia da prática. Realidades colaterais. Incertezas. Espaços de hesitação.

Resumo

Neste artigo apresentamos algumas reflexões oriundas de nossas pesquisas em formação docente. Para tanto, trazemos as contribuições dos estudos dos sistemas de produção de ignorância, da epistemologia da prática e dos estudos de produção de realidades colaterais para pensar esses processos de capacitação profissional. O primeiro referencial nos propicia repensar as premissas que sustentam as pesquisas tradicionais que sustentam a noção de déficit e que não valorizam os saberes que são produzidos na prática, perpetuando um distanciamento entre a academia e a escola. O segundo referencial nos conduz a investigação in loco e nos desafia a desvelar e socializar os saberes que são produzidos por docentes quando envolvidos nas múltiplas tarefas do ensinar. Por último, ressaltamos como os diferentes sujeitos, objetos e processos têm efeitos performativos sobre a realidade, o que possibilita a criação de novas entidades e relações com o mundo. Terminamos com a sugestão de criarmos espaços de hesitação para pensarmos a formação docente.

Biografia do Autor

Fábio Augusto Rodrigues e Silva
Professor Adjunto da Universidade Federal de Ouro Preto, lotado no Departamento de Biodiversidade, Evolução e Meio Ambiente. Trabalha com ensino e pesquisa com interesse nos temas: formação de conceitos na Ciência e no Ensino de Biologia, formação de professores, relações entre conhecimento científico, conhecimento cotidiano e conhecimento escolar, Teoria atorrede e os contextos de aprendizagem.
Francisco Ângelo Coutinho
Professor adjunto da Universidade Federal de Minas Gerais, lotado no Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino. Trabalha com ensino e pesquisa com interesse nos temas: linguagem e cognição, materialidade da cognição, teorias da instrução, perfil conceitual, processos de comunicação (verbal e não verbal) em salas de aula de Ciências e Biologia e por teorias e modelos 274 de categorização e suas consequências para o ensino e a aprendizagem em ciências e biologia.
Publicado
2016-06-17
Seção
Artigos