Biologias atravessadas por sensibilidades e inquietações da contemporaneidade

  • Lucia Fátima Estevinho Guido
  • Daniela Franco Carvalho

Resumo

O texto aborda pensamentos e ações que nos tem provocado a pensar a formação inicial de professores/as de Ciências e Biologia atravessadas por sensibilidades e inquietações da contemporaneidade, guiadas pelas artes, centradas nas culturas. Para isso, propusemos no Projeto Pedagógico do Curso de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Uberlândia as práticas como componentes curriculares que versam sobre estas questões nas disciplinas: Ciências e Mídias, Biologia e Cultura, Educação e Sociedade e Estágio Supervisionado 1. Articulações para produzir/subsidiar uma inserção no exercício da docência em que o ensino de Biologia não é o foco principal. Deslocamos nosso foco para a produção criativa abordando temáticas culturais que perpassam o conhecimento biológico. Entendemos nossas ações como fazeres múltiplos, e o Estúdio MMuCCE (Mídias, Museus, Ciências, Culturas, Educação), locus das nossas orientações a estudantes da graduação e da pósgraduação, permite a circulação de ideias, criações, conversas que nos alimentam a investigar a educação por meio de artefatos culturais e museais.

Biografia do Autor

Lucia Fátima Estevinho Guido
É bióloga e pedagoga, com doutorado em Educação pela UNICAMP e professora do Instituto de Biologia e do programa de pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Uberlândia. Coordenadora do Estúdio MMuCCE (Mídias, Museus, Ciências, Culturas e Educação)
Daniela Franco Carvalho
É bióloga, com doutorado em Educação pela UNICAMP e professora do Instituto de Biologia e do programa de pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Uberlândia. Pesquisadora do Estúdio MMuCCE (Mídias, Museus, Ciências, Culturas e Educação).
Publicado
2016-06-17
Seção
Artigos