Currículo das margens: apontamentos para ser professor de Ciências e Biologia

  • Marco Antonio Leandro Barzano

Resumo

O texto apresenta uma discussão sobre “Ser professor de Ciências e Biologia: entre políticas, inquietações, saberes e sensibilidades”, que foi o tema do III Encontro Regional do Ensino de Biologia da Regional 04. Diante de um tema amplo para ser debatido no escopo deste artigo, foi necessário fazer um recorte e, por esta razão, procurou-se focalizar os temas investigados no grupo de pesquisa que coordeno – RIZOMA – que nos últimos cinco anos tem acumulado experiência de pesquisa sobre currículo nos cursos de graduação de Ciências Biológicas e das escolas de educação básica, principalmente, no que se refere aos temas gênero, sexualidade, raça/etnia, meio ambiente e culturas. O artigo sugere uma perspectiva do “currículo das margens” que nomeio para se referir às temáticas/conteúdos que atravessam os currículos dos cursos de Licenciatura e afetam o cotidiano escolar, bem como dos sujeitos que são produzidos por estes currículos tanto nos cursos de Licenciatura quanto na escola. A partir desta experiência no grupo de pesquisa e de professor formador de professores de Biologia, além de estar envolvido diretamente na gestão das diretorias regionais e nacional da SBENBIO, observo que os silenciamentos que ocorrem nos currículos potencializam novas perspectivas que podem contribuir para a formação e atuação docente do professor de Ciências e Biologia.

Biografia do Autor

Marco Antonio Leandro Barzano
Professor Titular da Universidade Estadual de Feira de Santana. Atua como professor do curso de Ciências Biológicas; do Programa de Mestrado em Educação, UEFS e Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências, UFBA-UEFS. Presidente da SBEnBIO (2011-2015). Pesquisa os seguintes temas: Museus de Ciências e Currículo e Culturas.
Publicado
2016-06-17
Seção
Artigos