Filosofia da Educação, Exercícios Espirituais e Arte de Existência

  • Andrea Díaz Genis
  • Sílvio Gallo
Palavras-chave: Filosofia da Educação, Arte de existência, Pedagogia do gênero humano, Vida.

Resumo

Na última parte da obra de Michel Foucault, a partir do curso A Hermenêutica do Sujeito e dos dois que se seguiram a ele (O Governo de Si e dos Outros e A Coragem da Verdade), aparece uma possível leitura da filosofia como exercício espiritual e arte de existência. Tal leitura é influenciada, entre outros, por Pierre Hadot, especialista no pensamento antigo. A filosofia deixa de ser pensada como tendo seu foco apenas na criação de conceitos, saberes e sistemas de ideias ou pensamentos, como um exercício puramente racional. Desta perspectiva, no coração mesmo da filosofia antiga, encontramos a perspectiva educativa (ou formativa) do gênero humano. Tudo isso nos leva a pensar uma filosofia da educação mais abrangente, que entenderá a filosofia como pedagogia do gênero humano, que ainda que não descarte seu vetor teórico e conceitual, entende que filosofia e educação identificam-se, tendo como foco problemático a vida mesma.

Biografia do Autor

Andrea Díaz Genis
Doutora em Filosofía pela Facultad de Filosofía y Letras de la Universidad Autónoma de México (Suma Cum Laude), Diretora do Departamento de Historia e Filosofía da Educação da Faculdade de Humanidades e Ciências da Educação, Universidad de la República, no Uruguay. Professora Agregada de Filosofia da Educação em dedicação exclusiva. Investigadora do Sistema Nacional de Investigadores nivel I(ANII). Autora de diversos livros: La construcción de la identidad en América Latina. Una aproximación hermenéutica (2004); El eterno retorno de lo mismo o el terror a la Historia (2008); organizadora junto a E. Puchet do livro Inquietud de sí y educación. Hacia un replanteo de la Filosofía de la educación (2010). Tem sido conferencista e professora convidada em diversos países de Europa e América Latina. Pós doutorado pela Universidad Autónoma de Madrid. Presidiu o II Congresso Latinoamericano de Filosofia da educação que se realizou na Universidad de la República, Montevideo, Uruguay, entre 21 e 23 de março de 2013. Email: diazgena@gmail.com
Sílvio Gallo
Professor Associado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas desde 1996. Entre junho de 2006 e junho de 2010 atuou como Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Educação desta universidade. Pesquisador do CNPq. Graduado em Filosofia (PUC-Campinas, 1986); Mestre em Filosofia da Educação (UNICAMP, 1990); Doutor em Filosofia da Educação (UNICAMP, 1993); Livre Docente em Filosofia da Educação (UNICAMP, 2009). Foi professor na Universidade Metodista de Piracicaba entre fevereiro de 1990 e fevereiro de 2005, onde exerceu os cargos de Chefe do Departamento de Filosofia; Coordenador do Curso de Filosofia e Diretor da Faculdade de Filosofia, História e Letras. Pesquisador do anarquismo e da pedagogia libertária, procura organizar sua prática docente universitária segundo estes referenciais. Publicou dezenas de artigos como resultado de suas pesquisas neste campo, além de quatro livros. Atualmente, desenvolve pesquisas na área de filosofia francesa contemporânea e suas interfaces com a educação, estudando autores como Deleuze e Foucault, além de dedicar-se a investigações concernentes ao ensino da filosofia. Sobre estes temas, publicou dezenas de artigos e alguns livros, sendo os mais recentes Subjetividade, Ideologia e Educação (Ed. Alínea, 2009) e Metodologia do Ensino de Filosofia (Ed. Papirus, 2012). Email: silvio.gallo@gmail.com
Publicado
2015-10-29
Seção
Artigos