Infraestrutura escolar e satisfação profissional

percepção de professores da educação básica brasileira

  • Lívia Maria Fraga Vieira Universidade Federal de Minas Gerais
  • Edmilson Antônio Pereira Junior Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Educação infantil, Satisfação profissional, Infraestrutura escolar, Condições da unidade educacional, Condições da sala de aula

Resumo

Analisa-se a percepção de professores da educação básica sobre as condições da infraestrutura escolar e a satisfação profissional, ressaltando especificidades da educação infantil (EI), com indicadores desenvolvidos a partir de resultados da pesquisa Trabalho Docente na Educação Básica no Brasil – Fase II, coordenada pelo Grupo de Estudos sobre Política Educacional e Trabalho Docente, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), de 2015. Mesmo com remuneração e carreiras mais desvantajosas, as docentes da EI apresentaram índice de respostas mais elevado em relação à satisfação profissional.

Referências

ARAÚJO, T. M.; CARVALHO, F. M. Condições de trabalho docente e saúde na Bahia: estudos epidemiológicos. Educação e Sociedade, v. 30, n. 107, p. 427-449, maio/ago., 2009.

BATISTA, A. S.; ODELIUS, C. C. Infra-estrutura das escolas e burnout dos professores. In: CODO, W. (Ed.). Educação: carinho e trabalho. Petrópolis: Vozes, 1999.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CEB/CNE n. 05/2009, de 17 de dezembro de 2009. Dispõe sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Infantil. Brasília, 2009.

______. Ministério da Educação. Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEB, 2006a.

______. Ministério da Educação. Parâmetros Básicos de Infraestrutura para Instituições de Educação Infantil. Brasília: MEC/SEB, 2006b.

______. Lei n.13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 26 jun. 2014. Edição Extra, Seção 1.

CAMPOS, M. M.; FÜLLGRAF, J.; WIGGERS, V. A qualidade da Educação Infantil: um estudo em seis capitais brasileiras. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 41, n. 142, p. 20-54, jan./abr., 2011.

CARVALHO, Rodrigo S. O imperativo do afeto na educação infantil: a ordem do discurso de pedagogas em formação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 40, n. 1, p. 231-246, jan./mar., 2014.

FALCIANO, Bruno T.; SANTOS, Edson C.; NUNES, Maria Fernanda R. Infraestrutura escolar: um critério de comparação da qualidade na educação infantil. Estudos de Avaliação Educacional, São Paulo, v. 27, n. 66, p. 880-906, set./dez., 2016.

FOLLE, Alexandra; BORGES, Lucélia J.; COQUEIRO, Raildo S.; NASCIMENTO, Juarez V. Nível de (in)satisfação profissional de professores de Educação Física da Educação Infantil. Motriz, Rio Claro, v. 14, n. 2, p. 124-134, abr./jun., 2008.

GESTRADO. Grupo de Estudos Sobre Política Educacional e Trabalho Docente. Relatório de pesquisa. Trabalho docente na Educação Básica no Brasil – Fase II. Belo Horizonte: UFMG, 2015.

______. Grupo de Estudos Sobre Política Educacional e Trabalho Docente. Base de dados. Trabalho docente na Educação Básica no Brasil – 2009. Belo Horizonte: UFMG, 2010.

HAIR, J. F.; BLACK, W. C.; BABIN, B. J.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R. L. Análise Multivariada de Dados. 6. ed.. Tradução Adonai Schlup Sant’Anna, Porto Alegre: Bookman, 2009.

MARQUEZE, Elaine C.; MORENO, Claúdia R. C. Satisfação no trabalho: uma breve revisão. São Paulo. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, v.30, n. 112, p. 69-79, 2005.

OLIVEIRA, D. A.; PEREIRA JUNIOR, E. A. Indicadores do trabalho docente: múltiplas associações no contexto escolar. Estudos em Avaliação Educacional, v. 27, n. 66, p. 852-878, set./dez., 2016.

OLIVEIRA, D. A.; VIEIRA, L. F. (orgs). Trabalho na educação básica em Pernambuco. Camaragibe, PE: CCS Gráfica e Editora, 2014.

______. O trabalho na educação básica: a condição docente em sete estados brasileiros. Belo Horizonte: Fino Traço, 2012.

OLIVEIRA, T. G. de. As condições das creches públicas e conveniadas com o poder público no Brasil. Revista Ibero-americana de Educação. v. 71, p. 73-62, maio 2016.

RAYNA, S.; BROUGÈRE, G. (sous la direction). Traditions et innovations dans l'éducation prèscolaire: perspectives internationales. INRP: Paris, 2009.

REBOLO, F.; BUENO, B. O. O bem-estar docente: limites e possibilidades para a felicidade do professor no trabalho. Acta Scientiarum. Education, Maringá, v. 36, n. 2, p. 323-331, jul./dez., 2014.

SERVILHA, E. A. M.; LEAL, R. O. F.; HIDAKA, M. T. U. Riscos ocupacionais na legislação trabalhista brasileira: destaque para aqueles relativos à saúde e à voz do professor. Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, v. 15, n. 4, p. 505-513, 2010.

SOARES NETO, Joaquim J. et ali. Uma escala para medir a infraestrutura escolar. Estudos de Avaliação Educacional. São Paulo, v. 24, n. 54, p. 78-99, jan./abr., 2013.

SORATTO, L.; OLIVIER-HECKLER, C. Trabalho: atividade humana por excelência. In: CODO, W. (Coord.). Educação: carinho e trabalho. Petrópolis, RJ: Vozes – Brasília: Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação: Universidade de Brasília. Laboratório de Psicologia do Trabalho, 1999.

UNESCO. Qualidade das escolas públicas do ensino fundamental no Brasil. Brasília: UNESCO, 2019.

VIEIRA, Lívia F.; OLIVEIRA, Tiago G. As condições do trabalho docente na educação infantil no Brasil: alguns resultados de pesquisa (2002-2012). Revista Educação em Questão, Natal, v. 46, n. 32, p. 131-154, maio/ago., 2013.

Publicado
2020-06-30
Como Citar
Vieira , L. M. F., & Pereira Junior, E. A. (2020). Infraestrutura escolar e satisfação profissional: percepção de professores da educação básica brasileira. Revista Pesquisa E Debate Em Educação, 10(1), 1027 - 1046. https://doi.org/10.34019/2237-9444.2020.v10.32018