Interlocuções entre a clínica da atividade e o interacionismo sociodiscursivo na interpretação do trabalho docente

Autores

  • Ana Carla Barbosa Universidade Norte do Paraná, Centro de Letras e Ciências Humanas, Programa de Pós-graduação em Metodologias para o Ensino de Linguagens e suas Tecnologias, Londrina, Paraná, Brasil
  • Elvira Lopes Nascimento Universidade Estadual de Londrina, Faculdade de Educação, Programa de Pós-graduação em Estudos de Linguagem, Londrina, Paraná, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.34019/2237-9444.2020.v10.31540

Palavras-chave:

Instrução ao sósia, Clínica da atividade, Interacionismo sociodiscursivo

Resumo

Para identificar dimensões do trabalho presentes na atividade e ação do professor e assim participarmos do debate sobre o trabalho docente no contexto contemporâneo, o objetivo do texto é o de apresentar reflexões e possibilidades relacionadas à utilização da metodologia de Instrução ao Sósia (IaS) no contexto da profissão docente. A partir da adaptação daquele dispositivo de análise das práticas proveniente das ciências do trabalho (CLOT, 2007, 2010), realizamos uma aplicação dessa metodologia junto a uma professora de Língua Portuguesa em escola pública do interior do Estado de Mato Grosso do Sul com vistas a mediar o processo pelo qual ela dá inteligibilidade às características do seu trabalho no âmbito escolar. Pela técnica da instrução ao sósia buscamos identificar as regras de conduta que ela atribui a si e ao coletivo de trabalho, seus parâmetros contextuais, seu modo de organização, assim como mapear características do curso do agir e a emergência de gestos profissionais. Primeiramente foram abordados aspectos da infraestrutura textual (BRONCKART, 2008), tais como o contexto de produção e suas sequências temáticas. A partir da análise dos segmentos temáticos identificados no texto, foi possível sintetizar uma agenda de macropreocupações (NASCIMENTO, 2014) presentes no curso do agir da professora. Dentre as macropreocupações identificadas, a macropreocupação de pilotagem, trouxe à tona aspectos importantes não apenas sobre o objeto de análise em si, mas também do ato da IaS.

Biografia do Autor

Ana Carla Barbosa, Universidade Norte do Paraná, Centro de Letras e Ciências Humanas, Programa de Pós-graduação em Metodologias para o Ensino de Linguagens e suas Tecnologias, Londrina, Paraná, Brasil

Mestre em Metodologias para o Ensino de Linguagens e suas Tecnologias e bacharel em Comunicação Social- Jornalismo pela Universidade Norte do Paraná (Unopar). Licenciada em Língua Portuguesa pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Tem interesse de pesquisa em ensino, formação de professores e linguagens. Atualmente leciona no Ensino Médio pela rede estadual de Mato Grosso do Sul nas modalidades regular e profissional.

Elvira Lopes Nascimento, Universidade Estadual de Londrina, Faculdade de Educação, Programa de Pós-graduação em Estudos de Linguagem, Londrina, Paraná, Brasil

Possui graduação em Letras Anglo - Portuguesas pela Universidade Estadual de Londrina, mestrado e doutorado em Filologia e Língua Portuguesa na Universidade de São Paulo (USP). Fez estágio de Pós-Doutorado na Universidade de São Paulo. É docente associada da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e bolsista produtividade da Fundação Araucária, vinculada à Secretaria Estadual da Ciência e Tecnologia. Leciona disciplinas na graduação e pós-graduação na área de Linguística Aplicada, linha de pesquisa Ensino/aprendizagem e formação do professor de língua portuguesa e de outras linguagens. Atua no Mestrado Profissional como docente. É aposentada da rede estadual de ensino onde adquiriu experiência profissional atuando em todos os ciclos da educação básica. Coordena grupo de pesquisa que tem como foco as atividades de linguagem, o agir profissional, os dispositivos didáticos para (multi)letramentos, gêneros do discurso e ensino-aprendizagem de língua portuguesa. Foi coordenadora do GT-Gêneros textuais/discursivos da ANPOLL, nos biênios 2010-2012 e 2012-2014.

Referências

BATISTA, Matilde.; RABELO, Laís. Imagine que sou seu sósia... aspectos técnicos de um método em clínica da atividade. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, São Paulo, v. 16, n. 1, p. 1-8, 2013.

BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. In: BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Tradução de Maria Ermantina G. Pereira. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997. p. 277-326.

BRONCKART, Jean-Paul. Atividade de linguagem, discurso e desenvolvimento humano. São Paulo: Mercado das Letras, 2006.

BRONCKART, Jean-Paul. O agir nos discursos: das concepções teóricas às concepções dos trabalhadores. Tradução de Anna Rachel Machado e Maria de Lourdes Matêncio. Campinas: Mercado de Letras, 2008.

BULEA BRONCKART, Ecaterina; BRONCKART, Jean-Paul. As representações do agir educacional no quadro do gênero entrevista. In: BULEA BRONCKART, Ecaterina; BRONCKART, Jean-Paul. As unidades semióticas em ação: estudos linguísticos e didáticos na perspectiva do Interacionismo Sociodiscursivo. Campinas: Mercado de Letras, 2017. p. 161-188.

BRONCKART, Jean-Paul; MACHADO, A. R. Procedimentos de análise de textos sobre o trabalho educacional. In: MACHADO, A. R. (Org.). O ensino como trabalho: uma abordagem discursiva. Londrina: Eduel, 2004. p. 131-165.

BUCHETON, Dominique.; SOULÉ, Yves. Les gestes professionnels et le jeu des postures de l’enseignant dans la classe: un multi-agenda de préoccupations enchâssées. Éducation et Didactique, Rennes, v. 3, n. 3, p. 29-48, out. 2009. Disponível em: https://educationdidactique.revues.org/543?lang=fr. Acesso em: 5 jan. 2015.

CARVALHO, Adriana Cintra de. Trabalho docente (re)velado no dizer do professor de ensino fundamental. 2009. 154 f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009.

CLOT, Yves. A função psicológica do trabalho. Tradução de Adail Sobral. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2007. 222 p.

CLOT, Yves. Gêneros profissionais e estilos da ação. In: CLOT, Yves. Trabalho e poder de agir. Tradução de Guilherme João de Freitas e Marlene Machado Zica Vianna. Belo Horizonte: Fabrefactum, 2010. p. 155-164.

DIAS, Eliana. et al. Gêneros textuais e(ou) gêneros discursivos: uma questão de nomenclatura? Interacções, n. 19, p. 142-155, 2011.

LIMA, Anselmo Pereira. Atividade, instrumentos e desenvolvimento humano em situação de ensino-aprendizagem profissional. In: BANKS-LEITE, L.; SMOLKA, A. L. B; ANJOS, D. D. (Org.). Diálogos na perspectiva histórico-cultural: interlocuções com a clínica da atividade. Campinas: Mercado de Letras, 2016. p. 33-48.

MACHADO, Anna Rachel; FERREIRA, Anise.; LOUSADA, Eliane Gouvêa. Breve definição dos fundamentos e procedimentos dos estudos do trabalho do professor. In: MACHADO, Anna Rachel; FERREIRA, Anise.; LOUSADA, Eliane Gouvêa. O professor e seu trabalho: a linguagem revelando práticas docentes. Campinas: Mercado das Letras, 2011. p. 61-96.

MACHADO, Irandé. Gêneros discursivos. In: BRAIT, Beth. (Org.). Bakhtin conceitos-chave. São Paulo: Contexto, 2005. 264p.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Gêneros textuais: configuração, dinamicidade e circulação. In: KARWOSKI, Acir Mário.; GAYDECZKA, Beatriz.; BRITO, Karim Siebeneiche. Gêneros textuais: reflexões e ensino. São Paulo: Parábola, 2011. p. 17-33.

MAZILLO, Tânia Maria. O diário do professor-aluno: um instrumento para a avaliação do agir. In: MACHADO, Anna Rachel (Org.). O ensino como trabalho: uma abordagem discursiva. Londrina: Eduel, 2004. p. 298- 325.

NASCIMENTO, Elvira Lopes. Fundamentos e procedimentos dos estudos do trabalho do professor. Londrina: Universidade Estadual de Londrina, Programa de Pós-graduação em Estudos de Linguagem, 2017. (Documento de aula).

NASCIMENTO, Elvira Lopes. O agir do professor (re) configurado nos gestos profissionais. In: NASCIMENTO, Elvira Lopes.; ROJO, Roxane Helena Rodrigues. Gêneros de texto / discurso: e os desafios da contemporaneidade. Campinas: Pontes, 2014. p. 121-143.

NASCIMENTO, Elvira Lopes; BRUN, Edna Pagliari. Transposição didática e gestos profissionais de ensinar: a construção do objeto de ensino pelo professor de Língua Portuguesa. Linguagem em (Dis)curso, Tubarão, n. temático, 2017. No prelo.

OLIVEIRA, Marta. Kohl. Vygotsky aprendizado e desenvolvimento: um processo sócio-histórico. São Paulo: Scipione,1993. 111 p.

SILVA, Alda Karoline Lima da. Apropriações da instrução ao sósia na análise da atividade de trabalho. Estudos de Psicologia, Natal, v. 21, n. 4, p. 446-455, 2016.

VYGOTSKY, Lev. Linguagem e pensamento. 2001. Disponível em: http://www.ebooksbrasil.org/eLibris/vigo.html. Acesso em: 31 jul. 2017.

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

Barbosa, A. C., & Nascimento, E. L. . (2020). Interlocuções entre a clínica da atividade e o interacionismo sociodiscursivo na interpretação do trabalho docente. Pesquisa E Debate Em Educação, 10(2), 1229–1246. https://doi.org/10.34019/2237-9444.2020.v10.31540

Edição

Seção

Pesquisa aplicada