A construção de um glossário de topônimos latinos no Brasil

The proposal of a glossary of Latin toponyms in Brazil

  • Lucia Pestana Silva Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Fábio Frohwein de Salles Moniz Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Glossário latino, Humanismo, léxico latino, topônimos., HIstoria navigationis

Resumo

Objetivamos neste artigo, expor o processo de elaboração de um glossário de topônimos latinos no Brasil, a partir de dados coletados em “Historia navigationis in Brasiliam” (LÉRY, 1586). A construção de um glossário específico (BORBA, 2003) busca facilitar o trabalho de profissionais em obras raras, pesquisadores e historiadores que trabalhem com os obras ou assuntos abrangidos no léxico apresentados com o glossário. Apresentaremos os estudos preliminares do processo de elaboração lexical com os dados pesquisados na obra mencionada.   

Biografia do Autor

Lucia Pestana Silva, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Graduanda em Licenciatura Português - Letras Clássicas / UFRJ; Monitora de latim pelo Departamento de Letras Clássicas / UFRJ; Monitora de Latim no Curso de Língua Aberto à Comunidade / CLAC; Membro do projeto de extensão "Os clássicos no acervo de Obras Raras" / FBN; Estudante relacionada à linha de pesquisa "Instrumentos para o estudo e pesquisa da língua e literatura latinas” / Atrivm.
Fábio Frohwein de Salles Moniz, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Professor adjunto de língua e literatura latinas / UFRJ; Coordenador do projeto de extensão "Os clássicos no acervo de Obras Raras" / FBN; Membro relacionada à linha de pesquisa "Instrumentos para o estudo e pesquisa da língua e literatura latinas” / Atrivm.

Referências

AMARANTE, José. O latim no Brasil após a segunda metade do século XX e a emergência de novos materiais didáticos. In: CRAVO, Cláudia; MARQUES, Susana (Org.). O ensino das línguas clássicas: reflexões e experiências didáticas. 1. ed. Coimbra: Coimbra, 2017, v. 1, p 91-109.

BIONDO, Flavio. Historiarum abinclinatione Romanorum imperiidecades. Veneza: Octavianus Scotus, 1483.

BORBA, Francisco da Silva. Organização de dicionários: uma introdução à lexicografia. São Paulo: Editora Unesp, 2003.

BURKE, Peter. Taduções para o latim na Europa Moderna. in BURKE, Peter; HSIA, R. Po-chia. A tradução cultural nos primórdios da Europa Moderna. Trad. Roger Maioli dos Santos. São Paulo: Editora Unesp, 2009.

CAMARA JR., Joaquim Mattoso. Estrutura da língua portuguesa. 3ª ed. Petrópolis: Vozes, 1972.

CARVALHO, Moacyr Ribeiro de.Dicionário tupi (antigo) português. Salvador: BCB, 1987.

FARIA, Ernesto. Dicionário escolar latino-português. 4ª ed. Rio de Janeiro: NME, 1967.

______. Gramática Superior da Língua Latina. Rio de Janeiro: Acadêmica, 1958.

HELANDER, Hans. Neo-latin Studies: Significance and Prospects. Symbolae Osloenses n. 76, 2001, p. 5-102.

HORÁCIO. Arte poética. Introdução e comentários de R. M. Rosado Fernandes. Lisboa: Editorial Inquérito, 1984.

IRIARTE SANROMÁN, Á. A unidade lexicográfica: palavras, colocações, frasemas, pragmatemas. Braga: Centro de Estudos Humanísticos, 2001.

LÉRY, Jean de. Historia navigationis in Brasiliam: qva describitvr avtoris nauigatio, quaeque in mari vidit memoriae prodenda: Villagagnonis in America gesta: Brasiliensium victus & mores, a nostris ad modum alieni, cum eorum linguae dialogo: animalia etiam, arbores, atque herbae, reliquaque singularia & nobis penitus incognita. Genève: Suíça, 1586.

______. Histoire d’um Voyage fait em la terre du Brésil. La Rochelle: Antoine Chuppin, 1578.

LOPES, Célia Regina dos Santos et alii. Olhares sobre o português medieval: Filologia, História e Língua. Rio de Janeiro: Vermelho Marinho, 2017.

MARIZ, Vasco; PROVENÇAL, Lucien. Os franceses na Guanabara: Villegagnon e a França Antártica. 3ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015.

NUÑEZ GONZÁLEZ, Juan Maria. Ciceronianismo y latin renacentista. Minerva: Revista de filologia clássica, n. 5, 1991. p. 229-258.

SILVA, Edson Nunes da. In CARVALHO, Moacyr Ribeiro de. Dicionário tupi (antigo) português. Salvador: BCB, 1987.

Publicado
2019-10-05
Seção
Dossiê: XXV Semana de Estudos Clássicos da UFJF