A percepção de duas professoras sobre as potencialidades do uso do vídeo “Soma 3” do MathLibras para o ensino de Matemática para crianças surdas

Autores

Palavras-chave:

Anos Iniciais, Ensino de Matemática, Surdo, Videoaula, Adição

Resumo

A pesquisa aqui apresentada, síntese de uma dissertação, tem caráter qualitativo e define-se como um estudo de caso. Tem como objetivo analisar a potencialidade do uso do vídeo “Soma 3” para o ensino de Matemática para crianças surdas do 1º e do 2º ano do Ensino Fundamental, a partir da percepção de duas professoras. O texto discorre sobre o ensino da Matemática, a visualidade e a Educação de Surdos. Os sujeitos da pesquisa foram duas professoras dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental da Escola Bilíngue Prof. Alfredo Dub, escola de surdos em Pelotas, RS, uma surda e uma ouvinte. A metodologia utilizada como fonte de produção e coleta de dados foi um questionário aplicado às professoras, além da análise do próprio vídeo, sendo o retorno com as respostas, por escrito da professora ouvinte e, em forma de vídeo, da professora surda. A análise foi feita a partir da Análise de Conteúdo. Como resultado fica registrada a importância da visualidade no ensino da Matemática para crianças surdas, porém com o destaque que isso não se aplica exclusivamente a elas. Também foi possível perceber que o visual interfere de forma positiva na aprendizagem dessas crianças, inclusive com o uso de vídeos didáticos como um recurso, pois a partir da pesquisa realizada, se constatou que este é um excelente recurso para o ensino. Destaca-se, quanto ao uso do vídeo analisado, que apesar de se configurar como um instrumento positivo, não é indicado para o 1º e 2º anos do EF, devido ao seu nível de dificuldade. Outro aspecto constatado é quanto à língua, pois para que possa ser usado sem auxílio das professoras, será preciso que as crianças surdas tenham sua língua mais desenvolvida, ou seja, uma maior fluência na língua de sinais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Melissa Novack Oliveira Ribeiro, Escola Bilíngue Professor Alfredo Dub

Mestre em Educação Matemática. Especialista em Atendimento Educacional Especializado, em Psicopedagogia Institucional e Clínica e, em Libras (UNICID/2012). Licenciada em Filosofia. Coordenadora Pedagógico dos Anos Iniciais na Escola Bilíngue Professor Alfredo Dub. 

Thais Philipsen Grutzmann, UFPel

Doutora em Educação. Mestre em Educação em Ciências e Matemática. Especialista em Matemática e Linguagem, em Educação – ênfase na Educação de Surdos e, em Serviço de Atendimento Educacional Especializado. Licenciada em Matemática. Docente associada da UFPel, lotada no Departamento de Educação Matemática do Instituto de Física e Matemática. Docente do PPG em Educação Matemática (PPGEMAT/UFPel). 

Tatiana Bolivar Lebedeff, Universidade Federal de Pelotas

Doutora em Psicologia do Desenvolvimento. Mestre em Educação. Licenciada em Educação Especial com habilitação em Deficientes da Áudiocomunicação. Professora Associada da Universidade Federal de Pelotas, lotada no Centro de Letras e Comunicação. Atua no PPG em Letras da UFPel. 

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 1977.

BRASIL. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: Apresentação / Ministério da Educação, Secretária de Educação Básica, Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. – Brasília: MEC, SEB, 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

CARDOSO, V. C. Materiais didáticos para as quatro operações. São Paulo: IME-USP, 2013.

GOLDFELD, M. A criança surda: linguagem e cognição numa perspectiva sociointeracionista. 3. ed. São Paulo: Plexus, 2002.

GRUTZMANN, T. P.; ALVES, R. da S.; LEBEDEFF, T. B. Pedagogia Visual na Educação de Surdos: uma experiência com o ensino da matemática no MathLibras. Práxis Educacional. v. 16, n. 37 – Edição Especial, Jan/2020. Disponível em: http://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/5982/4484. Acesso em: 21 ago. 2020.

KAMII, C. A Teoria de Piaget e a Educação Pré-escolar. 3. ed. Lisboa: Instituto Piaget, 2003.

LEBEDEFF, T. B. Aprendendo a ler “com outros olhos”: relatos de oficinas de letramento visual com professores surdos. Cadernos de Educação, FaE/PPGE/UFPel, Pelotas. Nº 36. p. 175-195, maio/agosto 2010.

LORENZATO, S. Educação infantil e percepção matemática. 3. ed. rev. Campinas, SP: Autores Associados, 2018.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 2. ed. Rio de Janeiro: E.P.U., 2018.

NUNES, T.; BRYANT, P. Crianças fazendo matemática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

SILVA, M. C. A. Os surdos e as notações numéricas. Maringá, PR: Eduem, 2010.

SOUZA, S. Ensino de Física Centrado na Experiência visual: um estudo com jovens e adultos surdos. 2007, 176 f. Dissertação (Mestrado Profissionalizante em Ensino de Física e Matemática) – Programa de Pós-graduação Stricto Sensu Mestrado Profissionalizante em Ensino de Física e Matemática, Centro Universitário Franciscano, Santa Maria, 2007. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/190802. Acesso em: 21 ago. 2020.

RODRIGUES, C. S; VALENTE, F. Aspectos Linguísticos da LIBRAS. Curitiba: IESDE Brasil S.A., 2011.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

Downloads

Publicado

2023-12-02

Como Citar

RIBEIRO, M. N. O. .; GRUTZMANN, T. P. .; LEBEDEFF, T. B. . A percepção de duas professoras sobre as potencialidades do uso do vídeo “Soma 3” do MathLibras para o ensino de Matemática para crianças surdas. Revista de Investigação e Divulgação em Educação Matemática , [S. l.], v. 7, n. 1, 2023. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/ridema/article/view/42187. Acesso em: 23 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos