A Utilização da Gamificação na Aprendizagem de Análise Combinatória: possibilidades atreladas ao uso do H5P e do Wordwall

Autores

Palavras-chave:

Aprendizagem, Gamificação, Análise Combinatória, Tecnologias, Digitais

Resumo

Na presente pesquisa é colocado em voga discussões que evidenciam o quanto é importante priorizar no processo de aprendizagem o desenvolvimento de novas práticas que objetivem o alcance de uma maior imersão dos estudantes no ambiente de ensino. Frente a isso, no experimento que será descrito no trabalho elaborado, foi trazido à tona uma metodologia ativa denominada Gamificação. Para tanto, foi traçado como principal intuito verificar o quanto as potencialidades da referida prática educacional podem contribuir para melhorias no aprendizado do objeto matemático de Análise Combinatória. Além disso, ao longo do processo foi feito uso de plataformas de atividades interativas a fim de introduzir no seio educacional as tecnologias digitais, afinal as mesmas tem ocupado um espaço cada vez maior nestes contextos. Ressalta-se que duas teorias da área da Didática da Matemática, a saber: a Teoria Antropológica do Didático (TAD) e a Teoria dos Registros de Representação Semiótica (TRRS), estiveram presentes nas discussões dos resultados alcançados. Mediante as investigações realizadas ficou nítido o quanto a Gamificação pode oferecer caminhos alternativos no que concerne ao aprendizado do conteúdo de Análise Combinatória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Lucas Martins Almeida, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia - IFBA

Graduando em Licenciatura Plena em Matemática pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA), Campus Eunápolis. Possui experiência em pesquisas voltadas a área de Educação Matemática.

Referências

BURKE, B. Gamificar: como a gamificação motiva as pessoas a fazerem coisas extraordinárias. São Paulo: DVS Editora, 2015.

CHEVALLARD, Y. A teoria antropológica do didático face ao professor de matemática. In: ALMOULOUD, S. A. FARIAS, L. M. S.; HENRIQUES, A. (Org.). A teoria antropológica do didático: princípios e fundamentos. Curitiba: CRV, 2018.

CHEVALLARD, Y. Concepts fondamentaux de La didactique: perspectives apportees par une approche anthropologique. Recherches en Didactique des Mathématiques, v. 12, n. 1, p. 73-112, 1992.

CHEVALLARD, Y. L’analyse des pratiques enseignantes en théorie anthropologique du didactique. Recherches en Didactique des Mathématiques, v. 19, n. 2, p. 111-128, 1999.

DUVAL, R. Registres de représentation sémiotique et fonctionnement cognitif de la pensée. Annales de didactique et de sciences cognitives. IREM de Strasbourg, v. 5, p. 35-65, 1993.

DUVAL, R. Semiosis y pensamento humano: registros semióticos y aprendizajes intelectuales. (Traducción de Miryam Vega). Cali: Universidad del Valle, 1999.

DUVAL, R. Signe et objet (I): trois grandes étapes dans la problématique des rapports entre représentation et objet. Annales de Didactiques et de Sciences Cognitives, Strasbourg, v. 6, p. 139-163, 1998.

HENRIQUES, A.; ALMOULOUD, S. A. Teoria dos Registros de Representação Semiótica em pesquisas na Educação Matemática no Ensino Superior: Uma análise de superfícies e funções de duas variáveis com intervenção do software Maple. Ciência & Educação, Bauru, v. 22, n. 2, p. 465-487, 2016.

SILVA, A. J. C. Guia prático de metodologias ativas com uso de tecnologias digitais da informação e comunicação. Lavras: UFLA, 2020.

ZICHERMANN, G.; CUNNINGHAM, C. Gamification by Design: Implementing Game Mechanics in Web and Mobile Apps. O’Reilly, Sebastopol, 2011.

Downloads

Publicado

2022-09-08

Como Citar

BRITO, C. E.; ALMEIDA, L. M. A Utilização da Gamificação na Aprendizagem de Análise Combinatória: possibilidades atreladas ao uso do H5P e do Wordwall. Revista de Investigação e Divulgação em Educação Matemática , [S. l.], v. 6, n. 1, 2022. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/ridema/article/view/38185. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos